agosto 30, 2010

............................ Poemas de Verão ( 12 )




picadinho  mar 
video

a vaga velha flutua
no poço de água
de mar chamado,
turbante branco
gotejante fontanário
que me prende á inacção,
cativa nora, rejeitada,
irmã do meu cativeiro,
alcatruzes vazios
cansados do sobe e desce
nascente secando as rãs
saltitantes na poeira,
o pó, a que me reduziste !
poema-fotos e video: poetaeusou

agosto 27, 2010

............................ Poemas de Verão ( 11 )





na esplanada do mar
sou o cigarro
das noticias nas esquinas
aloés informativos
nas asas de horário nobre,
as minhas novas
são partidas e chegadas
no cais dos becos perdidos,
bússola encalhada
no salitre das charnecas
esperando que te dispas,
não, não quero,
o teu despudor físico
quero apenas a nudez
do que pensas e me arrepia !
poema e fotos: poetaeusou

agosto 25, 2010

............................ Poemas de Verão ( 10 )




ouve-me, tem pena,
de mim,
vivo agarrado
ao cannabis dos odores
emanado das flores
do tumultuoso jardim
que só serena
quando te levo a meu lado,
porque tu és
o meu pólen pigmentado
de aromas viciosos
véus ardentes ansiosos
das essências suplicadas,
desejos incompreendidos
de sinais que não entendi
no teu canteiro, perdidos,
porque só . . . te via a ti !
poema e fotos:poetaeusou.

agosto 22, 2010

............................ Poemas de Verão ( 9 )



amanso
no remanso da procura
o pousio do romance
novela das minhas buscas
na fábula do tu e eu,
não sabendo quem tu és
sei que és tu,
seguindo em rumo incerto
punição que não mereço
cativo da frigidez
no calor que está mim,
enquanto tu és, talvez,
o insonso sal
do salitre que absorves,
transferência corrosiva
causticando a distancia
entre o iodo e a pele
quebrantando a vontade
do meu olhar tacteando
os poros que não imitam
o vai e vem das marés !
poema e fotos:poetaeusou

agosto 20, 2010

............................ Poemas de Verão ( 8 )




sou o terraço,
penedo subido
suportando a acidez
da tua indiferença
na altivez barrenta
da insensibilidade !
não me digas
que não sentes o sol
vulcão escaldante
nas veias em fogo
quando olhas o mar ?
não me digas
que não sentes o calor
que sai do teu colo
cais em efervescência
abrigando canículas ?
não !
não me digas, que não sentes !
poema e fotos: poetaeusou

agosto 18, 2010

............................ Poemas de Verão ( 7 )




o mar, docemente á tardinha !
video

olha,
ouve nos marulhos,
os aplausos do mar,
ecoando nos meus olhos
quando tu, passas por mim,
porque não paras
um só segundo que fosse
para sentires a ovação
da plateia que eu sou ?
a tua atitude
faz de mim, palco vazio
que contigo encheria
evitando os bastidores
das decepções que eu enceno !
poema-fotos-video:poetaeusou

agosto 16, 2010

............................ Poemas de Verão ( 6 )




não escondas
as marés do teu olhar,
não aspirjas
esses lábios sequiosos,
não silencies
os poemas em dueto,
não modifiques
os êxtases desvairados,
e a tua forma de amar
não a alteres,
guarda-a . . . só para mim ! 
poema e fotos: poetaeusou

agosto 15, 2010

............................ Poemas de Verão ( 5 )





os teus desencontros
despertam em mim
um mar de apetites,
ritual esculpido
na espera perdida
da tua ausência,
porque me obrigas
seguir os trilhos errados
na maré das encruzilhadas ?
ou será que o teu desencaminho
é simples coincidência,
e que a tua chegada esquecerá
a ansiedade que me devora ?
poema e fotos: poetaeusou

agosto 13, 2010

............................ POEMAS NAIF - ( 7 )




se o amor é poesia
eu faço amor
com as palavras,
sílabas em flor
frases dolentes,
carentes . . .
ai as febres do amor
como são perigosas !
são flores e espinhos
picos de cardos
rosas espinhadas
olhos sem rímel
risos meninos
ódios amargos
preces cantadas
favos de mel !
poema e fotos:poetaeusou

agosto 11, 2010

............................ Poemas de Verão ( 4 )





dança comigo
o bailado da vida
escrevendo no palco
a palavra amor,
num passo a três tempos
mendiga-me um beijo
balanceando olhares
nas suplicas etéreas,
e no salão esmeraldino
sobranceiro ao mar
quereres inacabados,
cingidos, apertados,
perdendo o medo,
guardarão segredo
do azulado valsar !
poema e fotos:poetaeusou

agosto 09, 2010

............................ Poemas de Verão ( 3 )




na pele do areal
de búzios travestido
ouço os teus passos
ressoando os acordes
dos violinos da areia,
são mil sons harmoniosos
de sinfónicas caldeiradas
sobremesas de guitarras
com vinho tinto do fado,
aconchegando o destino
dos teus olhos vagabundos
trazendo as tuas entregas
que são o meu alimento !
poema e fotos: poetaeusou

agosto 07, 2010

................................ Poemas de Verão ( 2 )




eu sonhei
no regaço das quimeras,
que o coral do teu olhar, eram búzios surrealistas
onde tu feita sereia, atraíste-me com o teu canto,
entoavas que o areal, eram penas de gaivotas
e que o sol no ocaso, desenhava as tardinhas
incendiando de cores as sombras do infinito,
revelavas os segredos
remexidos pelas dunas, onde os peixes vão dormir
e que as auroras boreais
saíam da casa de água fugindo ao sol da manhã,
foi quando eu descobri
que no leito da solidão, solitário me encontrava,
e surfando a desilusão, convoquei as conchinhas,
para que elas soubessem, do meu tristonho acordar !
poema e fotos:poetaeusou

agosto 05, 2010

..................................... Poemas de Verão ( 1 )




olha amor
quando por ti me cruzo
sinto agitados enleios
obrigando-me a dizer-te,
que se te pudesse abraçar
como abraço o teu olhar
quando tu o meu abraças,
nos teus braços me perderia
e em embaraços ficaria
ao sentir os teus abraços !
poema-fotos:poetaeusou

agosto 03, 2010

.................................. POEMAS NAIF - ( 6 )




no pólen do sono
sonhei contigo
eras um alaranjado lilás
sem roxos nem violetas
e os bálsamos jornadeavam
entre trocadas funções
da azafama das cigarras
e o remanso das formigas,
estranhas cantigas
invertendo as versões
que foi o meu acordar !
poema e fotos:poetaeusou

agosto 01, 2010

.................................. POEMAS NAIF - ( 5 )




se fosse uma flor
seria um barco
de pétalas ondulantes
cruzando as jarras,
e nas amarras
bem ao cantinho
um nenúfar colocava
ou dele, umas folhinhas,
servindo de vai e vem
aos voos das libelinhas !
poema e fotos: poetaeusou