julho 05, 2008

>>>>>>>>>>>>>>>>>>> invasão <<<<<<<<<

a praia antes da invasão balnear
imensas e inertes
são estas palavras
ritual de conchas
tertúlias do nada
inventada ilusão
anárquico desejo
liberdade em ti
silencio em mim
proibição em nós
lembranças futuras
devaneios perdidos
de acordados sonhos

poema e fotos: poetaeusou

32 comentários:

Multiolhares disse...

Existem palavras inertes
Como inertes as rochas
Que silenciadas sentem
A força do universo

Beijos nossos

Acordomar disse...

Ola Poeta

Passei para te ler e desejar-te um bom fim de semana :)

Beijinhos
(Acordomar)

Sol da meia noite disse...

As palavras sempre rasgam o silêncio do tempo, dos lugares, de nós...

Um beijinho, amigo Poeta
*

gaivota disse...

a praia já começa a estar cheia desde o norte ao sul, as as gaivotas já cederam lugar aos veraneantes, só se sente o pipilar aqui ao lado, pois esta rua é estratégica!
até já houve ameaço de marés vivas...
alguma celebração de mar!
esta noite já nem conseguia ler ou escrever
vou pá areia, pa norte e à marina, à raia...
baldinhos de areia deixo para os dois...

gaivota disse...

não deixo palavras, pois as tuas chegam, mesmo "inertes"
deixo um beijão aqui à Acordomar, que anda desaparecida, né???
até logo,
há caracóis e mexilhões, e ameijoas e berbigões e navalheiras...
e há chambres e rooms e cuecas aos folhos...
é só escolher!
jokinhassssssssssssssssssssss

© efeneto disse...

Quero ter direito a comer um gelado em dia de chuva, quero ter direito a poder empurrar a bicicleta ao invés de pedalar, quero ter direito de olhar para o céu, mesmo que seja no meio da mata, quero rebolar na relva, mesmo que seja a relva do Palácio de S. Bento, quero ter direito de rir alto, bem ALTO, mesmo que esteja sozinho a ver o desenho do Pica-Pau que já era velho quando eu nasci, quero ter o direito de cantar uma música bem alta junto com o cd player oferecido, mesmo que seja uma música do Zé Cabra, quero poder discutir filosofia com o analfabeto do meu colega, mesmo que seja nos 15 minutos de intervalo do trabalho, quero poder beber com os amigos e voltar tri-bêbado para casa. Se para poder fazer isto tudo lhe tenha que desejar um bom fim-de-semana, então aqui vai:
Lhe desejo a si e aquém mais gostar/amar um óptimo fim-de-semana, com aquilo que sempre desejou acompanhado da minha amizade. Um beijo a quem é de beijos e abraço a quem é de abraços. Para quem não quiser nada disto, passe bem que eu também…efeneto.

rosa dourada/ondina azul disse...

A Estas praias tão belas e desertas chega a invasão e o barulho próprio da época...


conchinhas sem invasores,

Menina do Rio disse...

Inventamos a ilusão das palavras inertes feito conchas na areia...

Um beijo

Pitanga Doce disse...

Há que aproveitar. Depois vem a invasão de vendedores de sorvete, água mineral e camarão de procedência duvidosa. hehe

abraços de fim de semana

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
,
dia de calor
inércia em mim
remanso, jardim
maresia em flor
,
beijos nossos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
acordomar
,
lin(d)a
,
Jokinhas, grandes,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sol da meia noite
,
a palavra é uma arma,
eu acredito, amiga,
,
conchinhas de amizade,
te envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
raia ?
não vai, obrigado,
,
raia, cação, fanecas,
pescada e lagosta,
não obrigado,
,
pililipares deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivotas,
,
há chambres, há rooms,
há murros nos olhos,
há sopa e tem roupa,
há cuecas aos folhos,
,
empadão de lulas, deixiiiii,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
efeneto
,
prosa cubista
,
com pequena mutações,
na relva de s.bento
botava mesas de faquires,
substituía o pica-pau,
entrando em campo o peter pan,
o pica-pau seria reciclado
para colar os oráculos de s.bento
num sitio que eu cá sei . . .
o zé cabra ? clonagem. . . 230
que trocava pelos 230 oráculos,
então e os 230 oráculos ?
iam todos para zés cabras,
a distribuírem otites, para quem
os ouvisse nas feiras e romarias,
apesar de tudo sempre iriam
conhecer o povo real, se este,
como acontece nas romarias,
não alterasse o alvo do
“tiro ao alvo” . . .
,
Sereias em conchinhas, dou
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
rosadourada/ondina azul
,
amiga
próprio e necessário
para a economia local,
reduzida a três meses,
mal medidos, de actividade,
,
serenas conchinhas, deixo-te
,

poetaeusou . . . disse...

*
Menina do Rio
,
ou suaves
brisinhas de iodo,
feitas sensibilidade,
de uma menina do rio,
,
suaves conchinhas, deixo-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Pitanga Doce
,
e . . .
fruta ó chocolate,
esquimós fresquisnhos,
olha a bolacha americana dá
para hoje e para toda a semana,
tá-mares ou nazarenos,
acorram amigos,
antes que venha a ASAE . . .
,
mariscada de conchinhas, dou-te,
,
*

Ofarol disse...

Já sei que tudo se esta a compor.
E como as palavras, são imensas não tenho palavras para descrever as fotos, muito menos para o poema.

Um abraço amigo

poetaeusou . . . disse...

*
ofarol
,
amigo C.S.
,
tudo numa boa,
o fosforo do peixe,
faz maravilhas,
,
boas vendas,
melhor saúde,
,
abraço
,
*

Acordomar disse...

peço desculpa de estar a usar o espaço; para a GAIVOTA
um beijo pra ti assim á nazarena de cuecas aos molhos :)))
ao folhos (digo)

para todos: ando mesmo afastadissima, mas de vez em quando dou um salto.

beijosssss e bons caracóis ;)

poetaeusou . . . disse...

*
Acordomar
,
a casa é tua, amiga
,
jokas
,
*

Juani lopes disse...

manten esa imagen en el recuerdo, pues hasta el invierno, no volveras a ver la playa asi
saluditos

poetaeusou . . . disse...

*
Juani lopes
,
hoje vais ver a nazaré,
de uns idos tempos,
bem presentes em mim ...
,
idas conchinhas
,
*

mdsol disse...

"ritual de conchas
tertúlias do nada"

gostei mais deste par!

:)

poetaeusou . . . disse...

*
mdsol
,
bom gosto, amiga,
digo eu, que tambem gostei,
,
conchinhas
,
*

gaivota disse...

cá venho dar uma dica à Acordomar... pois foi pariga, caracóissssssssssssssssss, empadão à maneira e umas bejecas, bué de bom!
despacha-te, nina, mexe-te, dá corda aos pés...
o poetaeusou ainda nos vai cobrar "espaço" que ocupamos em recados...
jokinhassssssssssssssss

Duarte disse...

Como muda. Assim é como gosto da Nazaré...

Para muitos será o sustento, bem entendido, mas não à nada como estar em paz, no que a tranquilidade se refere.

Feliz Estio

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
utilizador pagador . . .
,
pililipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
é o sustento . . . é,
,
o mar já foi,
já não dá . . .
,
abraço cosmopolita,
,
*

Carla disse...

...o silêncio antes da invasão!
o silêncio nas imagens e na spalavras
que belo!
beijos

poetaeusou . . . disse...

*
Carla
,
silencio . . .
no advento do estio,
na espera do outono,
,
conchinhas,
,
*