julho 15, 2008

>>>>>>>>>>>>>>>>> cavalgo <<<<<<<<<<<<<<


cavalgo
nos vitrais á solta
das vagas pintadas
em noites convulsas
montado
no fogo nocturno
entardecer selvagem
de escaldantes ocasos
perdido
em salgados olhares
nos cúmplices delírios
de inacabadas suplicas
poema e fotos: poetaeusou

48 comentários:

gaivota disse...

tempos houve, anos, em que havia cavalos a cavalgar por esta bela praia do norte, com instrutores e tudo...
já éramos uma terra importanteeeeeeeeee
mesmo sem palec's, a praia ainda parece junho...
olhares salgados, mareados em cumplicidades inacapadas...
pilipares, do sul, que ainda as há!

Ana disse...

Cavalgada de cores em escaldantes ocasos, fazendo brotar o fogo das palavras.
Um beijo.

Pitanga Doce disse...

Eu gosto do mar revolto. Por que será?

abraços de bons sonhos

Chinha disse...

Sentada à porta da madrugada
Ouvindo a canção da vida
Em Pôr do Sol de alma sonhada
Ponho uma Rosa Branca...
Junto à alma esquecida.

Bjinhos em ti

Juani lopes disse...

cabalga mi gran poeta
hasta el fin de nuestros dias
escribiendo cada dia
un poema en muestras vidas
saluditos

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
a praia de um povo triste,
é mesmo são,
os turistas têm um ar triste,
não só os portugueses, de todas
nacionalidades até os espanhóis,
ele era recuerdos, bem comidos,
melhor bebidos, muito bem
sonantes, cantavam até ser dia,
agora só cantam, não tem custo...
,
escuta cá São
,
os irmãos espanhóis, passam o dia
a falar em zapatero, alguns
parecem que estão a chamar nomes
ao arbitro é zapatero, zapatero,
mas, não comem as ditas sapateiras
nem camarão, quanto mais ameijoa,
toma um berbigão e dá tremoços
aos niños ... porque será, miga ?
,
vou á peixaria,
ver como está a crise, na TV os
politicos dizem que é psicológica,
o zé povinho, ao meu lado mostra
as carteiras vazias . . .
não sei miga,
do que devo acreditar,
se é do que vejo ou do que ouço...
,
pililipares,
,
*

gaivota disse...

olha zé, nunca concordei tanto com ninguém como contigo neste mmento e nesta tua observação!
sabes, eu não gosto de falar de política, partidos, etc, (bem sabes que conheço bem "gente" que é tão de esquerda que até se cola à direita, mesmo nas "democracias e ditas liberdades"), e eu não sou de direita, nunca! isso ESCLAREÇO!
bem, andando e caralhetando à moda da praia, é isso, amigo, vejo tudo vazio, em comparação a anos passados, e o engraçado é sentir e ver que aí a tua vizinha e minha amiga até se anda a safar... mais que os nossos três amigos, ali ao pé da farmácia da rua augusta...
mas os palecos, os de fora mesmo não vêm como há uns anos, era casa cheia pela noite dentro, comidos, bebidos (e bem!) e as bezanas desenrolavam-se pelo paredão a fora...
já era, meu amigo!
estou no ir, depois te digo quando voltar, e damos dois dedos de conversa ao vivo!
beijokinhassssssssssssss

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
galopar ao acaso no ocaso,
na busca das afogueadas noites,
em esperas do madrugar,
e amanhecer, nas palavras,
,
cavalgadas conchinhas, deixo-te,
,
*

Paula Raposo disse...

E todos cavalgamos por aí...beijos.

Teresa Durães disse...

nada como calvagar à solta

poetaeusou . . . disse...

*
Pitanga Doce
,
eu tambem . . .
atrevo um convite,
vamos mergulhar,
no próximo tsunami ...
,
prepara a geleira,
inclui,
feijão preto e caipirinha,,
não quero CDs,
levamos o nelson need,
como cantor e guarda-costa,
tá ????
,
os meus respeitos, nelson ned,
,
Quem é...
Que não foi pelo menos
Uma vez na vida
um pouco de alguém
Quem é...
Que não sabe também
Que nun jogo de amor
Ninguém é de ninguém
,
conchinhas tsunamistas,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Chinha
,
branca rosa
posta a jeito
no teu peito
faz sonhar
no madrugar
em manhã vida
musica sentida
canção formosa,
,
conchinhas de amizade
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Juani lopes
,
galopando
em cavalo alado,
semeando poemas
nos ventos da vida,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
aproveita bem
os próximos dias,
,
pililipares
,
*

São disse...

Lindo! Lindo!
Fica bem, poeta.

poetaeusou . . . disse...

*
Paula Raposo
,
paulinha
,
galopa
nas planicies da mente,
,
jinos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Teresa Durães
,
sem freio . . .
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
grato, grato, grato,
,
conchinhas
,
*

Arco-íris disse...

"em salgados olhares
nos cúmplices delírios
de inacabadas suplicas"
Tuas palavras encantam todos que por aqui passam...
beijinhos...

as velas ardem ate ao fim disse...

um bjo Cavaleiro!

Iana disse...

Lindo.. amei o post... esta maravilhoso mesmo...

Eu agradeço....

Pela sua ternura, pelo seu afeto...por sua amizade
de coração amigo querido...

beijos e boa semana de verão maravilhoso...

Iana!!!

Janeca disse...

Muito bonito. Gostei!

WOLKENGEDANKEN disse...

Fantastica foto ! Parece o delta do Nilo.

poetaeusou . . . disse...

*
Arco-íris
,
e tu enches de cor
este meu canto
como por encanto
arco-iris em flor
,
coloridas conchinhas, dou-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
as velas ardem ate ao fim
,
aceito
há luz das tuas velas,
,
buzios sonantes, deixo-te amiga,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Iana
,~
amiga,
as tuas palavras,
são um balsamo,
entrado em mim,
agradeço - te,
,
douradas conchinhas, deixo-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Janeca
,
grato fico,
,
conchinhas de mar, para ti,
.
*

poetaeusou . . . disse...

*
WOLKENGEDANKEN
,
conheço fotos do nilo lindas,
,
esta é do mar da nazaré,
fotada nas dunas
entre os canaviais,
,
conchinhas de amizade, para ti,
,
*

Duarte disse...

Os contraluz tem um elevado grau de dificuldade, mas tu, que es poeta e aguerrido aventureiro nas lides do disparo certeiro da câmara, dás, e dás, e ao fim consegues. Parece que o caule está a começar a arder. Bom efeito, com o difícil que é controlar a luz nessa situação.
A palavra adorna o resto, e pode-se dizer, trabalho perfeito.

Reconhecido

Duarte disse...

Logo prossegui, e fiz o que geralmente não posso contemplar, por falta de tempo, e gostei muito da conversa de vós os dois, São e Zé. Estais ambos na possessão da razão: isto está muito feio, mesmo mau. Vamos notar todos e nada de psicológico. Todos sabemos das curvas da economia, os famosos dentes de serra: hoje pletóricos e amanhã a apertar o cinto. Agora vieram as vacas fracas, isto é passageiro, avaliam os anos de experiência que um tem. De todas formas, São e Zé, só é valido o que se vê com os nossos próprios olhos. Enquanto que em Portugal a malta apertava o cinto, aqui Zapatero e Solbes diziam que não passava nada, tudo eram alegrias, e a malta a comprar e a gastar. mas já nos toca também, e pode que até seja mais difícil de superar, pois não estávamos habituados a ter que olhar para o porta moedas para ver o que lá tínhamos, agora olhamos e está vazio.

Sol da meia noite disse...

Cavalgas por sobre o tempo...
Cavando sulcos...
Com o teu sentir...

Belas as palavras e as fotos!

Amigo, um beijinho *

poetaeusou . . . disse...

*
duarte
,
a perspicácia
mora em ti . . .
eu sou pragmático,
na área da fotografia,
o segredo,
a sensibilidade,
está na escolha . . .
,
com a máquina digital,
dispara-se cinco, seis vezes,
do mesmo ângulo
e . . .
escolhe-se a que gostamos,
,
há sempre um toque pessoal,
mas, conta pouco . . .
,
saudações
,
*

rosa dourada/ondina azul disse...

Cavalgada de cores e sentimentos :)))


conchinhas,

poetaeusou . . . disse...

*
duarte
,
aqui é igual,
o 2013, ultimo ano dos fundos,
antecipou-se . . .
,
ainda tivemos tempo,
para acabar as 387 autoestradas,
de construir a OTA nas berlengas,
de inaugurar 10 hospitais
na quinta do conde,
fazer um "KGB" aéreo
entre a mossad e a cia,
e inaugurar uma ponte entre
o douro e rabat, para os mouros,
cercarem o estádio do dragão,
e vingarem-de do S. Jorge,
o tal, que tinha as 7 cabeças,
hehehe
,
vamos levar a crise a brincar,
ao fim e ao cabo, quando chegar
a hora H, só perde quem tem . . .
,
saudações, amigo,
esta é a tal faceta,
a minha sigla é: SANA
sem algemas
nem amarras . . .
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
ondas sulcadas,
belas ao sol-pôr,
telas em flor
inacabadas . . .
,
afogueadas conchinhas,
deixo-te, amiga,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
rosa dourada/ondina azul
,
e pintados vitrais,
,
em azuladas ondinas
,
conchinhas ao sol-pôr
,
*

Multiolhares disse...

Adoro vitrais
Onde com o pincel colorido
Podemos cavalgar com a imaginação

Beijos nossos

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
vitrais
cavalgados
em tecto sixtino
capela de frescos,
feita michelangelo,
nas cores de um sol-pôr
,
beijos nossos,
,
*

mdsol disse...

cavalgo
perdido (a)
nas fotografias
tãããããooooooo bonitas!
:))

poetaeusou . . . disse...

*
dsol
,
estou tãooo contente,
cm as tuas palavras,
,
conchinhas amigas,
,
*

Duarte disse...

Estamos na mesma onda, de ideias, pelo que vejo. Quanto à bola, leão, leão sou... e tu como o Sol do fim da tarde, mas ambos venceremos o dragão, não o mitológico, ou do São Jorge como tu dizes.

Ana disse...

Se este é um ocaso verdadeiramente escaldante, as vagas abaixo foram "pintadas" por mão de mestre...

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
pronto para a reconquista,
eu d. lampeão,
senhor de todas as circulares,
amo e senhor da cintura de lisboa.
e de todos os ucranianos,
que se embebedam á sexta-feira,
nomeio-te califa de valencia,
e de toda a bacia mediterranea,
agora em moda . . .
,
[سلودوس]
(saudações em arabe)
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
pintados ocasos,
em ocasionais fotagens,
de vagas escaldantes,
na praia do norte,
sitio da nazaré . . .
,
carinhosas conchinhas, deixo-ie,
,
*

Azul disse...

Galope
De sentires profundos...

Beijo

Azul

poetaeusou . . . disse...

*
azul
,
sentir o belo,
profundamente
,
galopantes conchinhas
,
*

mariam disse...

deixo-lhe isto, a acompanhar um largo sorriso :)

DESEJOS

Escondem-se
Na crina das ondas
No dorso das colinas
No galope das tempestades
Na quietude dos olhos mansos

Revelam-se
Nas paixões humanas
Nos dias
Nas noites
dos dias

mariam

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
desejos,
escondem-se
Nos dias
Nas noites
dos dias,
,
adorei a definição,
,
definidas conchinhas
,
*