fevereiro 21, 2013

Vamos Fado(ar) o Tempo ?

talvez, como os animais, nossos irmãos !  
talvez
não exista o tempo
e se existe, é oco, vazio,
uma ampulheta sem areia,
é um embuste
incapaz de ser presente
por futuro não o ser,
tenho todo o tempo do mundo !
que blasfémia, és tu o tempo ?
o tempo é angustia
o momento perdido
o instante sumido
um tempo sem tempo
levado pelo vento
de um vento parado
a tempo, atalhado,
foi naquele tempo !
sempre o tempo, coitado . . .
se eu atempasse o tempo
e num átomo do tempo
o meu rosto espelhasse,
talvez constatasse
que no tempo do meu olhar
transbordado de tempo-mar,
amaruja o sofrimento,
surfando, os sulcos do tempo !
palavras e fotos:poetaeusou

38 comentários:

Agulheta disse...

Ai o tempo amigo poeta!Cada vez mais nos deixa impressivo perante tanta maldade,que por vezes nem os animais conseguem ter tempo.
Beijinhos e abraços

Filó disse...

O tempo, sempre o tempo...
Terá o tempo culpa de não haver todo o tempo do mundo ?...
Talvez....
Poeta mais um poema Lindo e que voz...com as fotos dos nossos amiguinhos, os animais.

Beijinho

Evanir disse...

Amigos, verdadeiros são para sempre, porque
quando dois corações se unem, formando um só,
DEUS se manifesta ali, através do amor
e o amor é mais forte que a morte,
é benigno, paciente, tudo sofre, crê, supera.
não se ufana, nem se ensoberbece, apenas ...ama.
certamente, permanece.

Desejo um abençoado final de semana
Beijos no coração carinhos na sua alma,Evanir
Por favor me perdoa por deixar cola
não estou conseguindo digitar.
Isso é para não deixar de passar nos blogs.
Deus sabe o quanto você é importante para mim.

:.tossan© disse...

Uma poesia diferente! Gostei imensamente, talvez porque... Sei lá porque. Muito bonita! Ih! Acho que foi o vinho. Abraço

Desventuras em Série disse...

O Talvez muitas vezes na vida, irá nos rodear, não é mesmo?, bem seu texto está impecável. Até mais. http://desventuras-em.blogspot.com.br/

poetaeusou . . . disse...

*
Agulheta
,
o tempo, destempera,
a são convivência !
,
temperadas marés,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
ai o tempo,
o tempo é sempre passado,
no instante seguinte . . .
,
atempadas conchinhas,
ficam,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Evanir
,
Amiga,
grato fico,
,
o Amor,
remove Montanhas de dificuldades,
não tenho dúvidas,
,
um mar de Luz,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
tossan (c)
,
tenho uma pomada,
da Adega Cooperativa de Borba,
que bate qualquer zurrapa,
feita com cana-de-açúcar,
srsrsrsrsr,
,
abração
,

poetaeusou . . . disse...

*
Desventuras em Série
,
amigo
irei conhecer o teu
Espaço, com todo o gosto !
,
saudações,
ficam,
*

São disse...

Sim, talvez...porque não?

Fico orgulhosa e contente por aceitares a minha sugestão

Grato beijo, Amigo!

Magia da Inês disse...

✿✿彡

Pobres de nós! O tempo é só uma migalha do infinito! Os animais estão certos.

Bom fim de semana!
Beijinhos do Brasil.
¸.•°✿✿彡

Evanir disse...

Meu Anjo..
sempre que eu puder estarei juntinho de você.
Eu sei sou uma Indomável Sonhadora além de amar ser blogueira,
e acima de tudo o carinho que tenho
por você .
Hoje estou passando em todos os blogs que eu conseguir passar
sinto saudades de cada amiga(o) por isso estou fazendo o melhor que posso fazer.
Com o meu coração pesado de tristeza e angústia,
por não conseguir fazer tudo quanto gostaria .
Mesmo assim agradeço ao grande Pai Maior
ainda que do jeito mais humildade consegui vir até
seu blog para desejar um abençoado final de semana.
Um feliz Domingo.
Beijos paz e luz,,Evanir.

Maria Rodrigues disse...

O tempo flui tão velozmente por nós que mal damos conta estamos na reta final da nossa caminhada, por isso, há que tentar vivê-lo o melhor possivel.
Belissimo poema como sempre.
Beijinhos
Maria

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
é, é sim,
sem não nem talvez.
,
(vai ao pot, anterior)
,
eldorados tempos,
ficam,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Magia da Inês,
,
amiga,
as migalhas também são pão !
,
srsrsrsr,
,
atomizados jinhos,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Evanir
,
ainda que do jeito mais humilde,
consegui ir ao teu blog, escreveste,
lembro-te:
Bem-aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança.
Mateus 5:5
,
sonhadoras conchinhas,
ficam, para ti !
*

poetaeusou . . . disse...

*
Maria,
,
Vamos admitir,
que após a degradação
da matéria, a nossa,
imaterial vida continuará,
pela simples razão,
que nada custa, acreditar . . .
,
atempadas conchinhas,
deixo,
*

© Piedade Araújo Sol disse...

ai o tempo!
esse malvado!
gostei muito.
beijo

Maria Emilia Moreira disse...

Olá amigo Poeta!
Ai o tempo! O que ele faz connosco!O que eu era e o que sou hoje!!Apenas intelectualmente mais rica, pois os anos dão alguma sabedoria.Vamos aproveitando tudo o melhor possível.
Belo poema...para reflectir.
Abraços.

elvira carvalho disse...

O tempo. Ai amigo o tempo é muito caprichoso. Umas vezes ele parece parado e outras corre que nem o melhor atleta. E no meio ficamos nós ao sabor dos seus caprichos.
Um abraço e uma boa semana

Papoila disse...

Olá Poeta!
Estou de volta ao campo depois de longa ausência.
Vim a sua casa num tempo sem tempo para encontrar este poema intemporal ...
Beijo

Ana Martins disse...

Fabuloso poeta, fabuloso!

Beijinho,
Ana Martins

may lu disse...

O tempo constrói pontes. Entre o passado, o presente e o que está por vir... O verdadeiro ele solidifica, coloca no lugar e imprime nos corações. Porém, o que é poeira se vai com o vento... perde-se no tempo, no esquecimento.
Grande beijo!

Daniel Costa disse...

Poeta eu sou

O tempo sempre será, "o tempo sem tempo". Esta talvez seja uma das melhores definições, que se encotram no poema.
Um abraço meu amigo

poetaeusou . . . disse...

*
(C)Piedade Araújo Sol
,
SAol
,
sim, sim,
o que nos faz,
a malvadez do Tempo.
,
temporais conchinhas,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
elvira carvalho
,
sem o tempo,
navego num mar sem rumo,
ao sabor dos caprichos da procela,
onde eu a pouco e pouco me consumo
na esperança vã da minha estrela !
,
conchinhas, deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Papoila,
,
bem vinda cara amiga,
tu sabes que estás sempre
virtualmente presente,
neste cantinho !
,
searas de conchinhas,
ficam,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Martins
,
tem gosto a Fábulas,
o teu Fabuloso.
srsrsr,
,
marés de estima,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Maria Emília Moreira
,
Cara amiga,
temos que aceitar os efeitos
corrosivos do Tempo numa erosão
diária, desgastante, cáustica,
que remédio ! não será ?
,
amigáveis conchinhas,
ficam,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mary lu
,
amiga,
não tenho palavras, que possam
traduzir, o que senti ao ler a
tua poética prosa !
,
parabéns, muuuuitos !
,
agradecidas conchinhas,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Daniel Costa,
,
amigo,
concordo plenamente !
,
abraço,
fica.
*

Luis Eustáquio Soares disse...

destemporal poema, intenso em suas atemporalidades vitais, porque, como escreveu um poeta brasileiro, drummond, todo tempo é tempo, a hora mesma da morte, é hora de nascer - fora do tempo.
a
l

poetaeusou . . . disse...

*
Luis
,
como eu te compreendo
,
Drummond, também "poetou"
,
Não há tempo consumido
nem tempo a economizar.
O tempo é todo vestido
de amor e tempo de amar!
,
in-O Tempo Passa ? Não Passa ?
,
um abração,
*

Fa menor disse...

E, no entanto, tal como esses animais são nossos amigos, o tempo é o melhor aliado...

Bejinhs

poetaeusou . . . disse...

*

,
é ?
pobre de mim,
o tempo,
só me acarreta contratempos !
ai, ai,
,
atempadas concinhas,
*conchinhas

GarçaReal disse...

o tempo...o tempo...o tempo que findou, o tempo que passou , o tempo presente, o tempo que virá...O tempo que de nós não fica ausente.

Adorei

bjgrande do lago

poetaeusou . . . disse...

*
GarçaReal
,
querida amiga,
o tempo não existe,
passou há um segundo,
repara,
o passado, o presente e o futuro,
resumem-se a ápices, e instantes,
segue em frente, cabeça erguida,
sereno olhar, somos lusitos, é pá,
"isto" não pertence á cena !
,
olha em frente,
e o seguinte, é o porvir,
o destino, a sina, o fado !
,
pililipares, de amizade !
fica,
*