setembro 11, 2010

......................................... Rio Estranho




sei de um rio
que na orla da lonjura
os barcos encarcerados
cativam verdes destinos,
rio estranho
de rotundas aquosas
margens arrevesadas
entre o leito e o infinito,
rio de folhas caídas
as lágrimas do meu enleio,
corrente de águas paradas
esverdeando contracções
na foz do meu aconchego !
poema e fotos:poetaeusou.

58 comentários:

Multiolhares disse...

Sempre existe um rio de aguas paradas que por mais que se esforce não descobre o mar.
beijos nossos

Jacque disse...

Poema e Fotos. Lindíssimos !

Bom Fim de Semana

FlorAlpina disse...

Olá Poeta,
Belissimas fotos!
Nas margens desse rio de águas paradas...
Dos barcos encarcerados...
Florescem tão belos poemas...

Bjs dos Alpes

Agulheta disse...

Amigo Poeta.Maravilha do conjunto as palavras e fotos que falam deste rio que não descobre o mar.
beijinho bfs

OutrosEncantos disse...

Desculpa o atrevimento Poeta, mas olha, a culpa é toda tua, todinha...!
Hoje estou num daqueles dias que são só emoção..., dias em que não me importo de fazer as vontades a uma certa doce preguiça...!
Posso usar o teu sofá?! Tenho também imensa sede, venho de outras visitas, passava por aqui perto a porta estava encostada, a melodia convidou-me a entrar e eu não me fiz rogada..., e fiquei alí a sonhar-me naquele Estranho Belo Rio, e nos verdes do seu peito que é o leito...
Admirável post, Poeta.
Beijo.

Filó disse...

Lindíssimas fotos de um rio de águas paradas mas muito verde.
Belo poema, descrevendo verdes destinos..

Poeta,muito bonito

Beijo amigo

Andradarte disse...

Adorei o poema, pasmei com as fotos...
Abraço

Lilá(s) disse...

Mesmo num rio de águas paradas há beleza! o verde é tão lindo! Adorei o poema.
Beijos

Daniele O disse...

Belo poema!
Belo blog!
Prazer...Dani.

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
rio de águas guardadas,
para quem as admira !
,
beijos nossos,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Jacque
,
Grato fico,
,
saudações,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FlorAlpina
,
verdes florescentes,
de um rio que estranhamente
não tem nascente, nem foz !
,
serenas maresias,
deixo-vos !
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Agulheta
,
obrigado,
por tão belas palavras,
senti-as, como minhas !
,
um mar de carinho,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
OutrosEncantos
,
como podes provar,
a porta estava escancarada,
porque sabia que passavas
na minha rua . . .
(podes bater sempre á minha
Porta, mas não passes com
ele á minha rua – de um fado)
como ia dizendo, espero que
tenhas gostado do sofá e da água
pura da ribeira, que te ofereci . . .
,
uma taça de vinho verde de
carinho, dou-te !
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
grato, amiga
um de estima,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Andradarte
,
acontece,
de quando em vez,
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lilá(s)
,
o verde pode ser lindo, mas
nunca como os tons violáceos !
,
conchinhas coloridas
,
*

Sonhadora disse...

Meu querido Poeta
Há sempre um rio que corre em nós, umas vezes águas paradas, outras turbulentas.
Como sempre lindo.

Beijinhos
Sonhadora

poetaeusou . . . disse...

*
Daniele O
,
belo incentivo,
,
belo dia, desejo !
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sonhadora
,
somos um rio,
em que as chuvadas
nos dominam !
.
conchinhas,
,
*

Lilazdavioleta disse...

Olá poeta .
Tão bom " saber de um rio " , que proporciona toda esta maravilha .
Consegui " entrar " no barco , fazendo - me folhinha , ao som de Kitaro .


Agradeço os belos comentários deixados nos meus espaços .

Um beijo ,
Maria

uminuto disse...

imagem que acompanham as palavras neste rio de poesia
um beijo

Ana Isabel disse...

Após uma breve pausa e com muito prazer, cá estou novamente a navegar neste muito belo rio.

Um abraço


Ana Isabel

SAM disse...

Querido amigo,

fotos maravilhosas e o seu poema é lindo.

Carinhoso beijo, poeta.

Fa menor disse...

Perdi o olhar nessas fotos


como barco encarcerado
mergulhado
bordado de águas
e verde


Bjins

mundo azul disse...

________________________________


...sim! Alguns rios são assim... Sentem-se protegidos, por não precisarem correr para o mar...

Belo poema, lindas fotos!

Beijos de luz e o meu carinho...

__________________________________

Daniel Costa disse...

Poeta

Em face do rio que está a semi-sepultar velhas glórias, o poema recorda sua histórias.
Abraço

Duarte disse...

Excelente ligação da palavra com a imagem.
Onde o verde perdura água e vida existe.
Gostei deste modo teu de usar a metáfora, ficou bonito...

Aquela abraço amigo

antonio - o implume disse...

Um rio que se detém junto à sua foz em ironia do destino.

OutrosEncantos disse...

Toma lá um beijo e um carinho e a voz castiça da Adelina Ramos :-)

http://www.youtube.com/watch?v=lUx1jznzmaQ

... prometo passar sempre sozinha na tua rua... rss

'bigada, soube tudo muito bem, principalmente a taça de vinho verde de carinho.

gaivota disse...

águas paradas que perderam o seu curso para o mar...
um rio de lágrimas e de folhas caídas...
é assim!
pilipares

Insana disse...

Lindo.

bjs
Insana

RECANTO DA POESIA disse...

Da semente de um querer
Que não tem fim
Vou buscar além do horizonte
Matizes e enfeites
Margaridas e tulipas
Orquídeas também
Para alegrar a vida do meu bem

(Vera Helena)

Feliz Semana e beijos meus! M@ria

rouxinol de Bernardim disse...

todos somos cada qual à sua maneira... um rio!
Parabéns.
Boa semana.

Lúcia Leme disse...

Lindo post.

Bjus

Magia da Inês disse...

Olá, amigo poeta!
Não sei do que gostei mais se das fotos ou do poema... está tudo tão lindo!!!
Beijinhos.
Brasil

poetaeusou . . . disse...

*
Lilazdavioleta
,
Maria
e o eco do rio
confunde Kitaro
no seu murmurar !
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
uminuto
,
as tuas palavras,
navegam no rio verde !
,
brisas serenas deixo.
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Isabel
,
amiga
vejo um libelinha,
nenúfarando o rio !
.
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
SAM
,
amiga
as minhas imagens
desnudam as margens,
srsrsrsr,
,
jino,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fa menor
,
amiga
,
não troques o teu azul,
por nenhuma, outra, cor !
srsrsr,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mundo azul
,
um poeta escreveu, que os rios
nascem no mar, deslizando
lentamente, rumo á nascente.
ilogicando o seu curso !
,
marés luzentes, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Daniel Costa
,
um rio escondido,
num braço da ria de Aveiro !
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
companheiro
,
vindo de ti
sinto-me um metaforista nato,
ou pacto de Varsóvia . . .
srsrsrsr,
,
uno que abrazo !
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
antonio - o implume
,
medo da poluição marinha.
diria eu.
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
OutrosEncantos
,
amiga
conheci a D. Adelina Ramos,
á muitos, muitos anos !
na Toca e não só !
,
olha, morei na Travessa
dos Cavaleiros, ao lado da,
,
a rua do capelão,
juncada de rosmaninho,
se o meu amor vier cedinho
eu beijo as pedras do chão !
srsrsrsr,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
olha,
os sinos já tocaram !
,
pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Insana
,
agradeço, muito !
,
brisas serenas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
RECANTO DA POESIA
,
floridas palavras,
com odores da vida !
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
rouxinol de Bernardim
,
rio de águas revoltas,
inundando “muitas” mágoas !
,
saudações,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lúcia Leme
,
grato !
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Magia da Inês
,
me tocou, amiga,
,
saravá, fica,
,
*

Duarte disse...

Zé, são valores na apreciação. Sem pactos, já nos conhecemos o suficiente, com defeitos e virtudes incluídas.

Abraços de vida

poetaeusou . . . disse...

*
DUARTE
,
eu sei, Amigo,
acontece que estava a
responder-te e a ver no
Canal História, uma reportagem,
do ex.Pacto de Varsóvia,
como estava a escrever nato,
nato = OTAN, olha saiu !
,
Duarte
um vivo abraço,
,
*

OutrosEncantos disse...

És demais, Poeta!

Encantas-me!

poetaeusou . . . disse...

*
OutrosEncantos
,
amiga,
como as tuas palavras !
,
jino,
,
*

Baila sem peso disse...

amigo, um verde tão lindo
trás a esperança, sorrindo!

sei de um rio estranho e tamanho
que na encosta não tinha nascente
mas era um rio, cheio de gente
que o mimimava e aconchegava
e não o deixava ir ter à foz
porque era um rio cheio, em nós...
sei de um rio, que era aconchego
no colo das margens tão sós!

um leito de corrente em bailado
com muito carinho afagado!

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
quando o olhar pousa
nas muralhas da vida,
os verdes da esperança
transportam as memórias
dos meus guardados poemas,
flores dos jardins de sonhos
esverdeando violinos
nas esmeraldinas sonata !
,
Jinos
,
*