abril 13, 2010

---------------------------------- toma cuidado mulher


deixa-me cantar-te
enfeitiçada pedra
pedregoso segredo
das minhas memórias,
rochedo mulher
do vento muralha
ocultando a fúria
da erosão do tempo,
mulher sem medo
de lágrimas adiadas
diluindo angustias
nos canteiros de pedra,
toma cuidado mulher
rocha pura condensada
das areias renascida,
o mar é um traidor
e vai querer desfazer-te
em areia que tu és,
é numa noite de luar
ao sabor da maré-cheia
que o mar não vai perdoar
transformando-te em sereia.
poema e fotos:poetaeusou

56 comentários:

Paula Raposo disse...

Gostei desssa transformação em sereia!!

lita duarte disse...

Poeta,

Nossa! Que coisa forte!
E que imagens maravilhosas.

Beijos.

FlorAlpina disse...

Que susto poeta...
O mar traidor...
Erosão areia...
Furia, e de repente sereia!

Belíssimo poema!
E as imagens essas...que saudade...

Bjs dos Alpes

Baila sem peso disse...

Tomarei cuidado poeta
mas nada me importava
se dos males que padeço
nesse mar em que adormeço
na noite de luar a cantar
ele me transformasse sereia!
e eu vinha todos os dias
beijar suavemente a areia
cantava em maré baixa, maré cheia
e no cimo de um rochedo
enfeitiçava todos os medos
das gentes e seus segredos...
ah e não esquecia os poetas
que antes de ser gente
são vela da fantasia acesa
que se põe em suave mesa...

cantas como ninguém
esse mar que nos banha além
e o sabes, sem nenhum porém...

(no domingo fui molhar o olhar
lá p´rás bandas da Caparica e trouxe a maresia que cheirava tão bem...e trouxe a sua força com solinho também...para os dias em que chuvinha vem!)

Meu carinho numa tarde de meia luz
em que a chuva, não tarda seduz...

e deixo bailado em rochedo desenhado

São disse...

Como mulher, deixa-me que te agradeça muito este belissimo poema, ilsutrado com magníficas fotos.

bem hajas, Poeta!

SAM disse...

Inspiradíssimo poema...Belíssimo poema! E agradou-me demasiadamente, poeta... Huauuuuuuuu!

Lindo dia. Beijos, com carinho.

Mariazita disse...

Para ser transformada em sereia...
acredito que a rocha não se incomode
de ser desfeita em areia.

Lindo, o teu poema!

As fotos também...

Beijinhos

Isabel-F. disse...

que MARAVILHA ...

adorei este teu "rochedo mulher" ...

bjs

Canduxa disse...

A mulher é mesmo uma força da natureza,
retratada por ti num rochedo
de uma forma muito linda.
Só podia mesmo ser transformada em sereia... bela, sem medos e sedutora.

Só tu poeta, poderias fazer essa transformação.

beijinhos de carinho deixo

Fernanda disse...

As fotos são deslumbrantes e decerto que nelas se encontram mulheres fortes e corajosas... ou não fossêm mulheres de pescadores...

Um abraço

Zélia Guardiano disse...

..."mulher sem medo , de lágrimas adiadas"...
Maravilha!!!
Parabéns!!!
Um abraço

Filó disse...

É, Poeta

Mulher é força e coragem, como um rochedo, resistente às imtemperies..
E também, frágil como um grão de areia, que se desfaz, perante gestos de ternura em Jardins enfeitiçados...
Obrigado por tão belo Poema, com fotos e música, LINDO muito LINDO !

Beijinho amigo

gaivota disse...

que linda a pedra do guilhim! o mar anda a fugir... vaza tantoooooooooooo
e sereia assim, não tem medo do mar, que não é traiçoeiro!
pilipares

gaivota disse...

anda...
toma lá...
e vão 2!!!
o teu quim tá-se a portar bem
lolololol
a chuva dá ânimo à luz!
pilipares

MEU DOCE AMOR disse...

Tomo...mas até que gostava de experimentar ser uma sereia...

A bela...sempre bela sereia
De lábios sedosos e encantados
Que no seu castelo de areia
Beija fervorosamente os seus amados

In "Moi"

Beijinho doce

Quem disse que não era polaca?Está implícito,não?

Breizh da Viken disse...

Gostei bastante...
As fotos muito bonitas!

abraço

José Sousa disse...

Gostei do do seu blog. Consulte os meus, divulgue e deixe o seu comentário. www.congulolundo.blogspot.com
www.queriaserselvagem.blogspot.com
Bj.

Cildemer disse...

"é numa noite de luar
ao sabor da maré-cheia
que o mar não vai perdoar
transformando-te em sereia."

Eu também gostava de acabar assim:-)

***
Beijinhos***

Fátima disse...

A força da mulher comparada à do rochedo...permitindo se transformar em areia, só mesmo para virar sereia , e muito linda!

Agradeço em nome de todas as mulheres tão bem acarinhadas por suas palavras e comparações.

Lindo!

Beijo.

seu gordo disse...

PASSEI GOSTEI E COM SUA PERMISSÃO ESTAREI VOLTANDO . BOA SEMANA FIQUE NA PAZ

PÉTALA disse...

Poeta também eu já escrevi sobre a Mulher Rochedo mas não consegui dar-lhe a magia da sereia

MULHER ROCHEDO
Aguentas a rebeldia da maré
Esbates a violência da onda
Bebes o sal em lágrimas
Mas ainda assim...
Acaricias a espuma como seda
Vestes-te com algas sedosas
Enfeitas-te de conchas e búzios
Embalas o berço de peixes dourados
E fundes-te no sol do horizonte
Sem pedires nada em troca
Do negrume da tua existência.

Aromas de
Pétala

Pitanga Doce disse...

Ai que lindo! Eu não me incomodava nada de ser transformada em sereia se houvesse uma boa razão pra isso. Mas tinha de ser muuuito boa.

abraços Poeta

Sol??? Ou nem por isso?

cristal disse...

Olá Poeta


Belo este Hino à Mulher!

ADOREI!!!!

Fique bem, amigo

O Abraço de sempre

poetaeusou . . . disse...

*
Paula Raposo
,
Paulinha
grato fico,
conchinhas .
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
lita duarte
,
Gostaste ?
obrigado,
,
brisas serenas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FlorAlpina
,
qualquer dia voltas,
a Praia está linda !!!
,
coloridas marés,
envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
um verdadeiro poema
o teu comentário !!!
,
a Costa do Vapor
era a minha praia preferida
nos ano setenta e tal . . .
só por uma razão,
na maré-cheia, com o mar
a entrar pela foz do Tejo,
eu e um grupo de amigos,
íamos a nado ao Farol do Bugio,
era na uma brincadeira ao tempo,
acabando com um bom jantar no
“Cabrinha” no Ginjal, penso que
ainda existe . recordei !
,
um mar de jinos deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
a mulher
é a Pedra Angular
da vida .
,
conchinhas coloridas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
SAM
,
Huauuuuuuuu
grande comentário !
,
Conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Mariazita
,
Amiga,
as rochas nascem
das ardentes areias
lavas incandescentes,
que depois se consolidam,
logo, areia como são ,
sereias poderão ser . . .
,
brisas serenas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Isabel-F.
,
feliz estou
obrigado,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Canduxa
,
e o canto
do encantamento
no encanto .
,
um mar de jinos,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fernanda
,
amiga
a família piscatória,
virou emigrante,
aderiram a outros misteres,
e as Nazarenas ganharam
mais força, nesta terra
matriarcal que é !
,
brisas serenas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Zélia Guardiano
,
grato
marés de abraços,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
é a sensibilidade
do teu olhar que te faz
comentar assim,
obrigado .
,
conchinhas floridas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
o canto das pedras está areado,
de manhã fui a pé, até á Prainha,
quanto ás fotos, não levei pilhas,
só acontece comigo, eheheh,
,
pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
contra tudo
e contra todos . . .
,
Pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
MEU DOCE AMOR
,
não há sereios ?
assim como o “Je”
srsrsrsr,
,
conchinhas floridas,
deixo,´
*

poetaeusou . . . disse...

*
Breizh da Viken
,
grato,
brisas serenas
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
José Sousa
,
obrigado,
irei visitá-lo .
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Cildemer
,
amiga
nunca se sabe,
o dia de amanhã
nunca ninguém o viu,
,
um mar de carinho,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fátima
,
Diz-me
mulher rochedo,
dessa tua força
qual o teu segredo .
,
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
seu gordo
,
volte sempre .
,
Saudções,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
PÉTALA
,
amiga,
,
o teu poema
é muito superior ao meu
digo-te em verdade .
,
odoradas maresias,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Pitanga Doce
,
Linda.
o que é uma boa razão
para ti ??????? srsrsr.
,
conchinhas solarengas,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
cristal
,
a Mulher merece
o que de bom existe .
,
conchinhas coloridas,
,
*

Fa menor disse...

É! Temos de ter cuidado com o mar...
os seus ímpetos podem desfazer até quem se pensa rocha.

Bjins

Delirius disse...

Está aqui o mim que me ofereceste, espero estar à altura do que mereces

http://meusmimosmeusdelirius.blogspot.com/2010/04/aguas-limpidas-apelantes.html

E agora, este aviso de assustadora ternura, que é este poema que supera todos na força do sentimento. Pode até sentir-se o reboliço das tenebrosas ondas desse Mar que amo a desfazer-se impiedosamente na/em areia...

Cada dia mais e mais..., Poeta do Mar.

Bjinho, amigo.

Multiolhares disse...

Assim é a mulher forte como um rochedo ainda que as vagas da vida as queira desfazer, é só um pouco que se vai desfazer
beijos nossos

poetaeusou . . . disse...

*
Fa menor
,
rochas é areia condensada,
da big intial explosion . . .
srsrsr,
,
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Delirius
,
honrado e sinto
obrigado.
estarás certamente,
,
brisas serenas, deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
a erosão do tempo,
que nos desfaz aos poucos,
,
beijos nossos,
,
*

Jacarée disse...

A cor dos sonhos dilacera o desejo do poeta
Lágrimas adiadas...
Amor crescente
Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Jacarée
,
amigo
sonhos adiados
dilaceram as esperas,
,
abraço,
,
*

Baila sem peso disse...

Cacilhas...o "Cabrinha" no Ginjal...
a cervejaria do marisco sem igual :)
xiiii...já nem me lembro
tem tanto ano no calendário
que não faço esse "cenário"!!!
Ando muito caseira ultimamente
só saio quando é mesmo urgente
(isto ´tá bera pró marisco
se tornar vício ou petisco):)))
e vivo na banda de cá...
vejo Cristo Rei do lado de Lisboa
mas atravesso por vezes as pontes
quando quero mergulhar noutras fontes :)
Compreendi esse teu recordar...
quer dizer que o poeta
é também um "nadador atleta"? :)
Eu canso-me tanto amigo
já poucas braçadas consigo!
Ah, mas para me tirarem de molho
naqueles dias em que o mar visito
é preciso um grito bem aflito...
assim como: - Sai daí já!
Olha que viras sapo ou rã! ;)

Um beijito com barbatana de peixito
e volto já!...

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
cacilheiros
minha aventura
quando rumava
ao cais certo
e desperto
que me esperava
mas que o fado não quis
um fadário malfadado
de letras desencontradas
desgarrando as guitarradas
desditosas, desgraçadas,
no desejo do reencontro
que ainda hoje procuro
visualizando o ressurgimento
no local do meu tormento
fonte da minha saudade !
,
conchinhas luzentes,
,
*

19 Abril, 2010 10:28