janeiro 26, 2010

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .atempado, tempo . . .



além destas portas
transporto o aquém

inventando visões
do tempo distante
fui escora perdida
espiando memórias
quimeras do tempo
em átrios furtivos,
no portal do tempo
faccionei alquimias
comportas da vida
portagens de mim
entrando a tempo
no tempo perdido
do tempo sem tempo.
poema e fotos:poetaeusou

64 comentários:

Bianca disse...

Hum... estava lendo seu blog. Posso estar enganada, mas pelo seu estilo, vc deve ser apreciador de Fernando Pessoa, não?

Canduxa disse...

...
no tempo perdido
do tempo sem tempo
..
são memórias
de outras vidas,
aqui vividas.

Lindo o teu poema!

um abraço

Marlene Maravilha disse...

Eu gosto demais destas portas, ambientes, antigos, austeros,mas que no fundo, é o nosso tempo vivido, memórias da vida por si mesma! Gostei! Gosto do teu espaco.
beijo

SAM disse...

Bonito sempre. Um poema de reflexão introspectiva. Belas fotos.

Carinhoso beijo, poeta!

SAM disse...

Amigo, obrigada pelo comentário que ilustra a postagem. Vou guardar! Beijos!

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Acabei de chegar e nada mais gostoso que ler todo o carinho deixado. Foram dias mágicos, onde a natureza mostrou sua força dentro de nós. Cada um de vocês fazem a diferença, acreditem! Essa energia porreta é boa demais de sentir, minha gente. Sei que o recado é coletivo, mas a admiração por cada um é individual. Assim que organizar tudo, deixar tudo no ponto, retorno com mais calma no blog de cada um de vocês, viu? A correria impossibilita muita coisa, mas não tira de nós o querer bem que sentimos por todos.

Beijo bem grandão!

Rebeca

-

Sonhadora disse...

Lindissimo poema

além destas portas
transporte o aquém
inventando visões
do tempo distante

Adorei

Beijinhos
Sonhadora

FlorAlpina disse...

...entrando a tempo
no tempo perdido
do tempo sem tempo...

lindo poema,
Atravessa portas
transportando sentimentos...
...
Bjs dos Alpes.

KrystalDiVerso disse...

E assim continuará, caro Poeta, aventurando-se, sempre, mais além, sempre para lá da sua imaginação e sensibilidade que o precedem. Na memória do tempo conseguirá você erguer portais intemporais? Talvez... talvez;... porque o tempo parce não ter força suficiente para que não pare pelo poeta. E não pára!... Nem o Poeta, sempre à frente do seu tempo.

Escolha entre... beijos e abraços.

Ana disse...

Olá poeta já não vinha a este espaço fantástico há já algum tempo e por falar em tempo adorei este maravilhoso poema em que o terminas com dois belos versos:
"no tempo perdido
do tempo sem tempo."
As imagens fantásticas ilustram-no na perfeição. Adorei!!!!
Agora vou ler o que ainda não li, porque por incrível que pareça não tenho tido "tempo" de fazer comentários. Porque o "tempo" voa...
Beijinhos,
Ana Paula

gaivota disse...

do tempo sem tempo, atempadamente escouramos o tempo que a vida nos dá!
o tempo não se perde!
apenas pode passar, ou passamos nós por ele!
pilipares

RETIRO do ÉDEN disse...

Atempado, tempo...
Fez-me lembrar as avaliações dos meus diversos directores...
Eram várias as funções que desempenhava...mas eles colocavam sempre no final a palavra...atempadamente.
Queria dizer como é óbvio que as tarefas eram feitas no tempo certo.
Mesmo assim, nunca lucrei nada com isso, aqui na terra...mas como não ando a trabalhar para isto aqui...e sim para um outro lugar...nunca estranhei.
Mas todo este blá, blá, foi só uma lembrança, um aparte.

Bonito jogo de palavras com esta palavra que tem um grande peso em nossas vidas...é responsável por tudo ou quase tudo...
Um desgosto maior...passará com o tempo..a aprendizagem...vem com o tempo... a velhice, vem com o tempo...o amadurecimento seja nosso ou do que fõr...vem com o tempo...etc.,etc.
Fotos muito belas que se entrelaçam no tempo.
Forte abraço
Mer

poetaeusou . . . disse...

*
Bianca
,
na realidade
Gosto de Fernando Pessoa,
mas tenho outras preferências,
o Pessoa e os seus gémeo,
são muito profundos,
complicados, chatos … srsrsr,
,
amigáveis conchinhas, ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Canduxa
,
memórias
são segredados ficheiros,
,
conchinhas luzentes,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Marlene Maravilha
,
abertos portais~
escondendo memórias,
,
altaneiras brisas, ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
SAM
,
atinada observação, a tua . . .
,
Um jino mareante, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
SAM
,
tudo mereces, amiga,
,
procura na Net em,
poema Se, ( if ) de Kipling
terás o poema na integra,
,
conchinhas poéticas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
~*Rebeca e Jota Cê*~
,
organiza-te, linda,
os outros podem e
devem, esperar . . .
,
conchinhas floridas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sonhadora
,
que as visões
sejam reais, espero . . .
,
sonhadoras conchinhas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FlorAlpina
,
que o tempo
continue a atempar,
o tempo nos Alpes . . .
,
atempadas brisas
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
KrystalDiVerso
,
se o tempo é poesia
a poesia faz tempo,
num sonhar atempado
olhando o tempo perdido
tempo que não é passado
por ser tempo indefinido . . .
,
conchinhas imtemporais,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
quantos epítetos,
o tempo tem,
está frio o tempo
que tempo é que faz
já não tenho tempo
oh, como o tempo voa
o tempo não pára
ainda vais a tempo
o tempo é madraço
não, não percas tempo
dá tempo ao tempo . . .
,
atempadas conchinhas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
são . . .
este tempe nadá pranáda,
almoci, fui lá óssul, e jáé
noitinha, ke tempe éeste ?
dáme overão, dáme overão,
ké o tempe dos chambressss,
,
pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
RETIRO do ÉDEN
,
olha a tua sorte,
atempadamente
roçava a esperança . . .
no meu caso
era sempre extemporâneo,
e inoportuno foi, eternamente . . .
srsrsrsr,
,
um mar de ternura,
sem tempo, te deixo, aqui,
,
*

Luis F disse...

Amigo

Um belo momento...

Ficam as palavras do poeta,
O momento que ondula no verso
As memórias do tempo...
A letra vivida,
Assim neste silêncio
O poema nasce.

Um abraço
Luis

Artur Gonçalves Dias disse...

e o que será o tempo senão a quimera solta que nos afaga a condição de viajantes etéreos


Saudações

Multiolhares disse...

Entre portas fechadas, portas entreabertas, caminhamos presos a esse tempo do tempo, no tempo sem fim.
beijos nossos

Justine disse...

Belíssimo o conjunto poema/fotos! As pedras reflectem a poesia intemporal das tuas palavras...

São disse...

Lindissimo, lindissimo, amigo!
beijinho

gaivota disse...

e tá cá um briol que mata!!!
já tou de lareira ôtra vez, á meu...
pá semana tou por aí a devolver o chapéu... lololololol
e a mandar vir o solinho pá gente
depois e carnaval e inxentesssssss
é o que m'apetece, mêm'a sério
onde é qu'anda o agostooooooooo
pilipares

Lídia Borges disse...

Lindo! Cheio de ritmo e rico no conteúdo.

L.B.

Baila sem peso disse...

e neste tempo sem tempo
com tempo a fugir ao tempo
vai o poeta dedilhando
com as palavras entoando
tempo...tempo...tempo
em contratempo, do tempo
que sinto perdido
na memória em som antigo...

e fico aqui cheia de frio
voltou o tempo invernio (existe?):)
e fica um sonhar vadio
a sonhar com o calor
que trás a flor...

um beijo a tiritar
quase a espirrar :)

poetaeusou . . . disse...

*
Luis F
,
as tuas palavras
são um belo poema.
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Artur Gonçalves Dias
,
quimeras
em soltas utopias,
“fantasmagorando” viagens .
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
tempos perdidos
nas portas sem tempo,
,
beijos nossos
,

poetaeusou . . . disse...

*
Justine
,
Grato, fiquei,
,
um mar de melhoras,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
lindíssima,
lindíssima és,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
briol ?
sóssé, do Cartaxo !
,
pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lídia Borges
,
obrigado,
,
brisas serenas,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
expiro o encanto
de um vírus sadio
nas tuas palavras
que invadem esta casa
qual pardal chilreando
no campo ecoando
num bater de asa
no tempo que lavras
em arado vadio
cantando o recanto .
,
srsrsr,
,
um jino de óó,
a tiritar de orçamentos,
,
*

Teresa Durães disse...

excelente poema! descreve bem esse nosso tempo distante

Confesso disse...

É bem assim que penso... Quantas vidas presenciadas, vozes, risos, choros... O tempo passa...E elas lá... Guardiãs do passado, vigias do presente... Monumentos do futuro...

Beijos em tempo... Presente...

Fa menor disse...

Bela fotos!
imagens de um tempo que o nosso nõ pode perder!

Bjos

poetaeusou . . . disse...

*
Teresa Durães
,
Pedras que falam . . .
,
Conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Confesso
,
confesso
que contigo concordo,
,
conchinhas deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fa menor
,
São Pedras de Portugal . . .
,
brisas serenas,
,
*

LOURO disse...

Olá Poeta!

Prefeito casamento,fotos e poema,em
verdadeira sintonia...

No tempo perdido
do tempo sem tempo.

Abraço
Lourenço

uminuto disse...

adorei estas pedras e o tempo que por elas passou
parabéns pelo novo visual do blog
um beijo

poetaeusou . . . disse...

*
LOURO
,
grato
,
um abraço
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
uminuto
,
Gostaste ?
obrigado,
,
conchinhas do tempo
ficam,
,
*

segredo disse...

E alem destas portas está alguem k escreve mto bem;)
Beijinho de lua*.*

utopia das palavras disse...

Mágoa minha
dos sulcos do tempo
lívidos riachos
na minha pele!

ai o tempo, o tempo, poeta...engrandece-nos!

Beijo

carmen disse...

Poetaés:

Lindo poema!!!

Do tempo sem tempo,
pensando em mim

bjs

Chris disse...

Um poema onde a reflexão do tempo, atempa o próprio tempo... gostei.
Um beijo
Chris

poetaeusou . . . disse...

*
segredo
,
e que eu agradeço,
porém . . .
deixando um mar de carinho,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
utopia das palavras
,
o tempo
vinca-nos a alma,
deixando na mente
as experiencias vividas . . .
,
marés de jinos,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
carmen
,
amiga,
não conheces o A. Mourão ?
é um que cantava, assim . . .
,
oh tempo, volta para trás,
traz-me tudo o que eu perdi
tem pena e dá-me a vida
a vida que eu não vivi . . .
,
Conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Chris
,
e atempadamente
deixo-te
marés vivas de ternura,
,
*

Marlene Maravilha disse...

No almadegordamaravilha, tem um bolo de panquecas maravilhoso! Sirva-se!!
beijo

poetaeusou . . . disse...

*
Marlene Maravilha
,
Ai que malvadez !!!
,
mas eu vou, ai, vou, vou !
,
um jino,
,
*

Mari disse...

Poeta, teu poema é profundo e me convida para viajarmos além das letras! Lindo! Obrigada por sua visita! Abraço, Mari

Mariazita disse...

Quem fui no tempo distante, que memórias conservo?
O portal do tempo fechas as portas ao pensamento...
Gostei, do poema e das fotos, a recordar tempos idos.

Bom domingo

Beijinhos
Mariazita

poetaeusou . . . disse...

*
Mari
,
para além das palavras,
existem cativas memórias,
nos portais dos agradecimentos,
que aqui deixo,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Mariazita
,
temporais memórias,
recordando vivências . . .
,
conchinhas,
,
*