novembro 12, 2008

>>>>>>>>> sou o silencio da revolta <<<<<<<<<

esta imagem é minha tirada na berlenga, anda por aí . . .

sou aloé sou gaivota
fragas da maré-cheia
conectando vendavais
na miragem do segredo,
sou silêncio da revolta
de roupa de iodo vestido
sacudindo os sussurros
na agitação dos poemas,
poema e fotos:poetaeusou

58 comentários:

mariam disse...

Poeta,
primeiras???!!!

bem, levaram as gaivotas sem pedirem permissão??! que feio isso...

... emissário do mar e das suas estrelas
seja em mares "flat" ou agitados
soltando pipilares em voos rasos aloé deixando pontualmente saudáveis gotículas por sobre os virtuais cantos
Não mais um estranho inigma tanto...

boa semana, Poeta
um abraço
mariam


sorry a divagação! :)

mariam disse...

a música, conheço... fantástica! boa escolha :)

Ana Martins disse...

Adorei a música, e o silêncio da revolta, então nem se fala!

Beijinhos poeta.

Sol da meia noite disse...

A revolta destrói, meu amigo.
E a que o silêncio guarda, essa então...

Entrega-a ao mar das gaivotas...
Deixa que as ondas a engulam...
E no rumor desse mar...
Encontra o silêncio da paz.

Um jinho *

Sonhadora... disse...

Como tudo q vc escreve, perfeito...

bjos e uma noite com muita paz!

Teresa Durães disse...

o silêncio da revolta arrasta-nos imperdoavelmente

gaivota disse...

meu querido amigo, não sei se gosto mais das fotos, se do poema...
és um provocadorzinhoooooooooooo
é inspiração para que me ponha a caminho...
já vou.........
piliparessssssss

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
falei no peculato de imagens,
pela simples razão, de muitas
das vezes, o autor do clique,
passar a "peculador" . . . só,
,
amiga
ai o mar, sempre o mar,
,
conchinhas solarengas, envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
como todas da sarah,
,
pilipares, envio-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Martins
,
grato amiga,
,
maresias de luz, envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sol da meia noite
,
vou fazer o que dizes,
e pedir hás correntes
maritimas que inunde a terra
de concórdia ao som do hino da
paz, no pilipar de uma gaivota,
,
jinos mareantes,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sonhadora...
,
maresias de uma manhã de outono,
quase verão, te envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Teresa Durães
,
o vendaval do silencio,
na revolta dos segredos . . .
,
conchinhas,
te envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
as meninas
na praia aos milhares,
pilipam pedidos de comida,
dói o coração ouvi-las,
,
maresias, dou-te
,
*

ANA DINIZ disse...

Sou completamente apaixonada por ti, poeta!


Bjs, meu amigo!

Ana

mundo azul disse...

Muito bonito!

Seu post é um prazer para os olhos e ouvidos!


Beijos de luz e o meu carinho...

Utopia das Palavras disse...

Nos vendavais...
fortalezas
Altivas...
no silêncio
das certezas...!

Beijo

Ausenda

poetaeusou . . . disse...

*
iana,
,
que exagero . . .
o mar, e tudo o que o envolve,
é belo, naturais musas,
e que me envolvem também,
vou continuar, a fotar,
para que tu aprecies cada vez mais,
,
maresias de luz, envio-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mundo azul
,
fazendo com prazer,
o belo sai realçado . . .
,
comchinhas mareantes, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Utopia das Palavras
,
um vendaval de certezas,
nos poemas sussurrados,
,
brisas de maré-cheia,
envio-te
,
*

Eduardo Aleixo disse...

o poema agita-se em sussurros
no silêncio das gaivotas agitadas
....
que pássaros de Hitchcok se juntam à beira do mar irado e se preparam para o combate contra as injustiças na terra? São já 120.000gaivotas, nas ruas de Lisboa, mas que aloé pode sarar a indiferewnça e a arrogância de quem manda?
...
voltemos ao silêncio com música de asas desistentes. Não tiveram ajuda dos humanos. Ainda não existe exèrcito. Nem vai haver. Não há aloé que nos valha. Daí o regresso ao sussurro. Agitação à beira do mar.

Abraço.

Eduardo

GarçaReal disse...

Hoje sinto um alvoroço na tua alma...Uma revolta surda envolta em espuma de mar e talvez perdida em areal.
Vendavais?????

Um pilipar para a linda foto

Bjgrande do lago em gélida tarde.

Paula Raposo disse...

Bonito poema...beijos.

Iana disse...

Poeta Amigo

Neste silencio
da revolta
viajo por ondas
e vejo-me entre
as gaivotas, com rimas
e prosas..a maré
trás uma rosa..

beijos amado Poeta amigo
admiro-te imenso
rosa amiga
Iana!!!

Pitanga Doce disse...

A minha revolta não é silenciosa. EU GRITO!!!! Se ao menos fosse uma gaivota, elegante, delicada...mas é uma ANTA, ó poeta!!!!!

abraços de cá

poetaeusou . . . disse...

*
eduardo aleixo
,
há silêncios que ferem,
agitando consciências,
nas facas longas da vida,
entre reservas sioux
dos índios tão bem falantes
infelizmente tão distantes
dos índios da meia praia
,
um abraço
,
*

AEN disse...

"Na superfície do azul brilhante do céu, tentando a custo manter as asas numa dolorosa curva, Fernão Capelo Gaivota levanta o bico a trinta metros de altura. E voa. Voar é muito importante, tão ou mais importante que viver, que comer, pelo menos para Fernão, uma gaivota que pensa e sente o sabor do infinito. E verdade, que é caro pensar diferentemente do resto do bando, passar dias inteiros só voando, só aprendendo a voar, longe do comum dos mortais, estes que se contentam com o que são, na pobreza das limitações. Para Fernão é diferente, evoluir é necessário, a vida é o desconhecido e o desconhecível. Afinal uma gaivota que se preza tem de viver o brilho das estrelas, analisar de perto o paraíso, respirar ares mais leves e mais afáveis. Viver é conquistar, não limitar o ilimitável. Sempre haverá o que aprender. Sempre."
Richard Bach, "Fernão Capelo Gaivota"

Lembrei-me deste texto, que li na adolescência e memorizei nos sentidos.

Obrigada

poetaeusou . . . disse...

*
garçareal
,
espuma alvoraçada,
na miragem do olhar,
gaivotas tristes paradas,
receando no seu voar,
a liberdade ficticia,
esvoaçando a fome,
e o barco se consome
por não ter onde pescar,
,
marulho do mar,
para o realago, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Paula Raposo
,
gratificado fico,
,
jino,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
iana
,
no roseiral ondulante
entre vagas caprichosas
gaivotas semeiam rosas
no seu esvoaçar galante
,
jinos de amizade deixo
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
pitanga
,
MORRA O (D)ANTA(S), MORRA! PIM!,
,
in - Almada-Negreiros
,
conchinhas, deixo,
,
*

Violeta disse...

gosto muito das berlengas.
Obrigada pela visita.

poetaeusou . . . disse...

*
aen
,
voltei a reler,
o fernão capelo
de richard bach,
,
as gaivotas
são como escreves,
mas sofrem tanto,
sem peixe, passando fome,
fico doente quando as vejo
ás centenas nos aterros
sanitários procurando comida,
,
vê o meu post de: 23-01-2007
,
conchinhas nocturnas, deixo-te,
,
*

cristal disse...

Olá poeta
Há silêncios revoltados e revoltas que se vão silenciando...
Vidas de forçados silêncios...
Sonhos que por entre vendavais se perderam ...
Há gritos presos em nós e angústias (mal)escondidas...
Mas.....conquista-se um sorriso!!! o céu fica mais azul e o sol volta a brilhar...
Depois há este cantinho que apetece visitar (sempre) pois (sempre) se sente a presença do mar!
Excelente musica escolhida para acompanhar suas palavras e fotos.

Muito Obrigada amigo

Aquele Abraço

Manuela disse...

Pois é levam tudo sem pedir.
Larápios...
Amigo va lá participar numa coisa no meu blog.
Se quiser claro.
Beijinho
Manuela

Duarte disse...

É uma das cadeiras por aprovar. Berlengas...
Sempre que o tentei o mau tempo não o permitiu.

Tudo o que de bom aqui nos trazes
do nosso mar vem bem...

Saudações amigo

Multiolhares disse...

podemos ser tudo o que quisermos
basta deixar a imaginação á solta

beijos nossos

poetaeusou . . . disse...

*
violeta,
,
bom gosto,
,
grato pela visita,
,
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
cristal
,
sorrisos
são favos de mel,
são a musica escolhida,
de violinos no telhado,
lembram um olhar encantado,
que na rota preferida
do rumar do meu batel,
são azimutes precisos,
,
suaves conchinhas, dou,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Manuela
,
é para já, amiga,
,
conchinhas, deixo,
,
*

Filó disse...

Poeta,

É gaivota , aloé..
É revolta
É maré
É vendaval
É grito
É silêncio
É Canto
É poesia
É mar !

Um abraço amigo

gaivota disse...

e pronto... dia lindooooooooooooo!
eh pá, só agora reparei na legenda das gaivotas....................
lolololololololololol
anda por aííííííííííííí
também andam outras gaivotas minhas
daí da praia por aííííííííííííííí
que até se dizem doutros sítios!
ah zé... não presta... deixa roubar
há-de vir a saber-se, tudo!!!!!!
olha a caldeirada do manel tava boa e a senhora da nazaré lá tava no seu cantinho, sossegadinhaaaaaaa
pilipares

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
tinha 7 anos, quando fui á
berlenga, num barco de pesca, na
inauguração da ronca (sirene de
aviso) do farol da nazaré,
Duarte
o mar estava picadito, não me
amedrontou, porque com sete anos
já era um homem, medo ? nunca !
agora, que fui a segurar a
barriga durante toda a viagem,
tal aconteceu e mais no dia
seguinte houve um acréscimo de
pesca na ordem dos 100%,
ainda estou para entender qual
foi o tipo de isco, que atraíu
tanta quantidade de peixe. . .
,
um abraço, amigo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
foi sardinhas ?
da arca ?
come-as tu . . .
,
o meu foi
robalo “au meunier “, toma…
,
pilipares
,
*

mdsol disse...

sacudindo os sussurros...
conchinhas deles
:))

Juani lopes disse...

soy viento del este
que viaja al oeste
para sentir
el silencio
de bellas poesias
saluditos

Rosi Gouvea disse...

Saudades eternas...
Bom estar de volta! Feliz por poder passear por aqui!

Beijos doces

ondina disse...

só se roubam boas fotos... pode ser chato, mas é reconhecimento de algo genial.
bjs de confraternização
bjs

Ana Ramon disse...

Parece-me que andas num período menos bom, a julgar pelas palavras de sentimentos novos para mim. Mas de qualquer forma, acontece a beleza nas fotos e na poesia. E é isso que importa ao poeta.
Um beijinho grande

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Amigo Poeta, Linda postagem... Boa noite de Paz e amor com muita tranquilidade... Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Gerlane disse...

Sussuros em agitação poética...grande poeta!


Beijos!

poetaeusou . . . disse...

*
mdsol
,
gemidos
ao vento,
,
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Juani lopes
,
o vento suão,
que vem da
cálida andaluzia,
, saluditos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Rosi Gouvea
,
esta casinha é tua,
volta sempre,
,
conchinhas douradas,
envio-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
ondina
,
linda,
o problema,
nestes casos, quem é
lesado é apontado
por plagiador,
,
jinos para as princesas,
raios de sol outonal, para ti,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Ramon
,
estados de alma, apenas,
afluxados aos sentires poéticos,
,
brisas de amizade,
envio-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA & POEMAS
,
os meus
agradecimentos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Gerlane
,
vendavais de
desassossegos,
,
vemtos de ternura, deixo
,
*