outubro 14, 2008

>>>>>>>>> não digas que não sentes<<<<<<<<<


não sentes o sal
vulcão escaldante
nas veias em fogo
quando olhas o mar ?
não sentes o abrigo
que sai do meu colo
cais em efervescência
bem dentro da gente ?
não digas, que não sentes !
poema-fotos-video:poetaeusou

58 comentários:

gaivota disse...

não digo...
não nada nada, nem a ninguém!
esse porto de abrigo parece que nos quer abraçar...
esse mar de sonho visto do sul...
o espraiar das ondas, verão quente...
o sol, o mar e as gaivotas
sim, as minhas meninas!!!
as minhas companheiras...
pilipares delas e beijinhos meus

Duarte disse...

Claro que sinto, como não?!
Mar que no abrigo sussurra,
na praia solta espuma branca.
Céu pintado de claros escuros...
É a minha terra!

Um abraço

mariam disse...

uau
hoje consegui ser a última no infra e quase quase a primeira neste :)

Poeta, depois daquela trovada.. de gordas e cinzentas nuvens, que deixam o mar ficar esmeralda... aqui temos estes sentires todos, em novelo...
eu, sinto!

sorrisos :)

mariam

Filó disse...

Um abraço salgado neste encontro de Mar e Poeta!

É bonito este Amor, sente-se...


Um abraço amigo

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Amigo Poeta, neste mar
puro de Amor feito, escuta Poeta o som melancólico da água a murmurar os teus sentires!...
Escuta Poeta um pouco mais do barulho do mar a murmurar o teu nome... Cerra teus olhos... Abre teu espírito... Acende a luz no teu coração... Procura ouvir o som da felicidade... Abre teus olhos, como vês existo!
Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

GarçaReal disse...

Sinto...

É necessário sentir, é urgente olhar o mar, conjugar o verbo amar, sentir a efervescência do coração em louca turbulência,sem mentir, sempre a sorrir, pois transposta em si esse fabuloso sentir.

Bjgrande do Lago

Pilipares para a gaivota

GarçaReal disse...

Há tantos anos que não ouvia esta tão famosa música da Mara Abrantes...

Já a tinha esquecido

Bjgrande de lá da garça

Sol da meia noite disse...

Sal que dá tempero ao sentir...
Sabor às lágrimas...

Sal que levanta ondas...
E em espuma as desfaz...
E na salgada areia...
Um rasto de sal...

Marés salgadas de jinhos * *

Gerlane disse...

Jamais direi que não sinto tudo isso, amigo poeta! E da forma como te expressas e com essas imagens que postas, sinto muito mais que isso!

Abraços te deixo!

tulipa disse...

Gostei de ler.
Belo momento de reflexão.

Ali para trás,
li Kalinka
meu antigo nome
cognome
sei lá...mas,
ainda hoje
quando leio ou oiço
esse nome
vibro de intensidade.

Eu bem quero, mas a vida não me permite. Passar 1 x por semana nos blogues dos amigos seria o ideal, mas...quem fala em ideais nesta época...há crise de toda a maneira e feitio.
Difícil, muito complicado.

Eu coloco uma questão: qual a tua opinião sobre as «praxes»?

Votos de boa semana.
Beijinhos.

Sonhadora... disse...

Sinto o chamado ao amor.

bjos!

Carminda Pinho disse...

Pronto, tá bem! Não digo. :)))

Beijos, Poeta.

Isabel-F. disse...

bom ....


este poema é MARAVILHOSO.

adorei.


bjs e obrigada por nos proporcionares a leitura dos teus belos trabalhos.

Paula Raposo disse...

A inspiração continua!! Estou a gostar...e também gostei desta leve mudança de visual, na foto lá em cima e no tipo de letra. Ficou melhor. Beijos.

Teresa Durães disse...

o mar é sempre intenso

Ana disse...

Sente-se o sal e o sol. E o abrigo qu é um colo de poeta.
Um beijo.

Esmeralda disse...

Bom dia.
Passa no meu cantinho, deixei lá um presente matinal para ti.

beijocas

Esmeralda disse...

Se me tivessem escrito estas palavras, diria sem pestanejar:

Sim, sinto!!

beijocas

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
obrigado, amiga,
,
não digas ás gaivotas, tá ?
,
pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
duarte
,
apetece mergulhar nas nuvens,
seguir com elas, e fazer chover
um pouco de dignidade por este
mundo fora . . .
,
um abraço, amigo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
com tanta sensibilidade
acolhida em ti,
tinha a certeza que sentirias . . .
,
sentires em conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
filó
,
o sal do amor
tecido em palavras,
encontro sentido,
com o mar . . .
,
sentidas conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
fernando & poemas
,
fernandinha
,
estou neste momento,
ouvindo o seu marulhar,
não . . . espera,
é … é a tua voz,
voz divina, com sotaque,
a vitorino nemésio, a natália correia.
e um açor esvoaçante
cantando carinho e ternura
que te deixo,
.
*

poetaeusou . . . disse...

*
garçareal
,
é urgente sentir,
o mar e verbalizar o (a)mar,
cantando o lagomar.
em poemas de carinho e amizade,
,
poemas em pilipares para a garçarrel,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sol da meia noite
,
sal que tempera o optimismo
regride a desilusão e activa
a procura da felicidade
sabor a sal, o sal da vida . . .
,
marés de palpável esperança,
te envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gerlane
,
o desejo de sentir
é o apogeu dos sentires . . .
,
sentidas brisas de amizade, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
tulipa
,
a tulipa será sempre,
a kalinka do meu imaginário,
,
darei a minha opinião
,
tulipadas brisas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sonhadora
,
o amor é cego e vê
não sei porquê . . .
,
brisas de amor, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
carminda pinho

,
grato pelo
teu silêncio, amiga
,
silenciosas maresias, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
isabel-f.
,
maravilhosas
são as tuas palavras,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
paula raposo
,
Ai … paulinha
,
se as comissões reguladoras,
funcionassem como tu,
que bom seria . . .
hehe
,
jinos nublados, envio-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
teresa durães
,
e,
um imenso poema . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
sinto as tuas palavras,
como o sal da amizade,
,
abrigadas brisas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
esmeralda
,
grato
irei amiga . . .
,
jinos solares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
esmeralda
,
com a tua sensibilidade,
tinha a certez que sentirias,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
garçareal
,
mara abrantes,
faz parte do meu arquivo musical,
desde imberbe,
nos discos de vinil,
,
pilipares musicais deixo,
,
*

Maripa disse...

O mar dentro de mim,
é o sal das minhas lágrimas,é o perfume do meu corpo desbotado...é

Como posso dizer que não o sinto?

Abraço amigo.

Ana disse...

Vejo e sinto o rumor dessas águas agora mais mansas.
Tal como o Outono da tua Nazaré.
Ou a instabilidade dessa falésia e as núvens a cobrir o mar.

Tudo isso existe...
tudo isso és tu...

Abraço

PS-Não me têm deixado muito tempo a sós com o computador...
Daí só cá estar hoje.

poetaeusou . . . disse...

*
maripa
,
sentir o mar,
é ter a sublime sensibilidade,
dentro de nós . . .
sei que sentes, amiga . . .
,
sensíveis brisas, envio-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
nada te obriga a comentares, amiga,
,
praia de Sesimbra hôhô
princesa do mar hôhô
,
Conchinhas, deixo,
,
*

AnaMar disse...

Por momentos deixei de sentir. Mas ao ler-te, depressa (me) voltei a sentir, saindo aos poucos dum estado amorfo que detesto.

Bjs

Chinha disse...

O sentir um abrigo, a procura de um vulcão, o arder de um olhar , um viver para poder sonhar.

sinto....

boa semana

bjinhos :):)

LuzdeLua disse...

Nao tem como não...
Belas imagens
Passando, deixo-te um beijo amigo
Bjs

poetaeusou . . . disse...

*
AnaMar
,
quem não detesta, amiga,
,
sentidas conchinhas, deixo-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Chinha
,
sensações sublimes,
de etéreos sentidos,
,
sentidas brisas te envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
LuzdeLua
,
sinto,
oe teus sentires,
obrigado, amiga,
,
maresias de amizade, envio-te,
,
*

daniel disse...

Poetaeusou

Mar belo manso, corpos esfusiantes, porque não usofruimos a tranquilidade de antes?

Abraço,
Daniel

MEU DOCE AMOR disse...

Sinto.

Já venho

poetaeusou . . . disse...

*
daniel
.
realmente amigo,
só existem dois
mares da tranqualidade,
o da nazaré e o da lua . . .
repara na minha modéstia . . .
,
um abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
MEU DOCE AMOR
,
vai e vem,
como as marés,
,
sentidas brisas, deixo,
,
*

cristal disse...

Olá Poeta

Sinto sim...Impossível não sentir!
Qual gaivota inebriada de azul/céu, azul/mar, cruzando os céus, ensaiando uma canção para o mar escutar ...
Lentamente descendo e poisando na areia pertinho do mar...

A música de hoje? fez-me sentir uma certa nostalgia outonal!

e...


Gostei muito!!!

Um Abraço azul/céu e muitas *** do mar

Multiolhares disse...

Só posso sentir,
Sentido o teu sentir
Nesse sentido marear

Beijos nossos

poetaeusou . . . disse...

*
cristal
,
sabia que sentias,
,
disse-me o mar no seu marejar,
contou-me uma ninfa,
espraiada ao sol,
cantou uma sereia encantada, na areia,
soprou-me o vento, soando contente,
encantou a Mara Abrantes, musicando,
,
brisas nocturnas, deixo-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
,
luna
,
sinto no cais
em abrigo sentido
sentindo o olhar
do encanto esperado
derrubando escolhos
no risco traçado
rumando aos teu olhos
.
beijos nossos
,
*

tossan disse...

Sim, sinto
que me chamam,
com o clamor
da beleza
"in natura"
através da ode
deste poeta.

Abraços

poetaeusou . . . disse...

*
tossan
,
quem não sente a beleza
que nos rodeia
um grito da natureza
poema escrito na areia
o vento a declamar
com o marulho em fundo
a som que sai do mar
e encanta todo o mundo
,
Abraços,
,
*

Madalena disse...

A avaliar pelo poema, Amigo, não estás mesmo nada "numa" de outono. :)

Bjinhos

poetaeusou . . . disse...

*
Madalena
,
non
como nunca estou, onde estou,
penso que estou no luar de
agosto,ou não estou ? estou ...
,
nocturnas brisas . . .
,
*