setembro 27, 2008

>>>>>>>>> solfejo escrito a dois <<<<<<<<<<


não inventes,
as esquinas do medo,
as estéreis sementeiras,
os caminhos retalhados,
nos acordes soluçantes,
escuta,
o suave marejar
da escala ritmada,
voo de pauta afinada,
solfejo escrito a dois
nos compassos infinitos
poema e fotos: poetaeusou

58 comentários:

Multiolhares disse...

Assim são os acordes tocados
Ao sabor da maresia, nas cantatas do mar

Beijos nossos

GarçaReal disse...

´
Estava aqui sentada à espera...E a ouvir a música que gosto e que tenho pelo Iglésias (Pai)
Na nossa vida há sempre um solfejo que abrilhanta os andamentos da caminhada.

Belas as fotos, pricipalmente a 2ª( tinha que ser )

Bjgrande do Lago e Bom sábado
Trouxe a Gaivota de volta...

The Hazy Looker disse...

Um caminho a dois
Vence o medo retalhado
A maresia é o compasso
A música é o enleio
O júbilo do amor


Um beijo grande

Perdido disse...

Viva, ó poeta da Nazaré. Retirei-me de África e cá estou de novo. Espero arranjar tempo, dentro de dias, para inspeccionar os blogues dos amigos.

Abraço

gaivota disse...

solfejando, uma flauta de bisel, ou transversal e um flautim, porque não...
ao som misturado do marulhar saboroso e sedento de maresia,
as ondas espraiadas nas nossas areias, a dois...
pilipares em bando!

Filó disse...

Uma pauta divinamente escrita e ritmada, esta poesia.
Vale a pena caminhar e dobrar as esquinas dos medos, quando em sintonia, se escrevem solfejos feitos de ritmo e compassos infinitos!

LINDO SOLFEJO, Poeta

Um abraço

Sol da meia noite disse...

Inventam-se medos...
Que inventam fantasmas...
Que impedem de ver, ouvir, sentir...
A beleza da vida...

Amigo, beijinho te deixo *

Ana disse...

Escutando os acordes de um solfejo que o amor escreve.
Um beijo, Poeta.

Paula Raposo disse...

É sempre bom escrever a dois...fotos lindas! Beijos.

Juani lopes disse...

preciosas fotogafias, acordes con tus palabras, feliz fin de semana
saluditos

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
,
a mar canta ao sabor das marés,
ao vento que o agita
ao areal onde espraia
á lua que o domina . . .
,
beijos nossos,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
garça real
,
martinho da vila
e julio iglesias
os meus preferidos
,
quem foi que disse
que amar é tolice não é não
sensação
bem maior do que se pensa
irreverente
ao marcar sua presença
vai e vem
nas marés de muitos tons
toda aquele que acha
nas ondas emoções
do amor que vem
,
ín-martinho
,
pilipares para a garça,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
The Hazy Looker
,
jubiloso compasso
enleio
dos caminhos partilhados,
,
maresias de iodo, deixo
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
perdido
,
bom retorno, amigo,
a estas estradas mágicas,
,
cuidado com a palavra
inspeccionar,
eles andam por aí . . . hehehe
,
abraço
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
liras, citaras e harpas,
em sons de vento norte . . .
,
pilipares
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
filó
,
“coisas” que a poesia tece,
nas esquinas da musica,
os medos, receosos ficam . . .
,
marejar sonante, te envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sol da meia noite
,
os pavores,
que nós guardamos …
e que nos limita o viver,
,
suaves brisas, deixo,,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
amar a musica,
é amar a liberdade …
,
conchinhas musicais, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
paula raposo
,
a dois,
será sempre partilhar,
,
jinos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
juani lopes
,
fruto das belezas
que me envolvem,
,
saluditos
,
seguem-fotos-amanhã-
,
*

Esmeralda disse...

Desenha na pauta uma bonita e radiante clave de sol, cravejada de redondinhas semibreves com sustenidos e bemóis de maneira a aprimorar a bela melodia de andamento grave, o mais lento de todos, aquele que deliciará e embelezará toda a tua vida.

beijocas

Ricardo Galvão de Mello disse...

mais uma vez... um desenho no teu texto, um cheiro uma imagem especada em palavras...

obrigado pela visita

vou-t voltar a visitar, até mais nao aguentar poesia desta ... o que jamais acontecerá!

abraço

mundo azul disse...

...solfejos a dois, são sempre bem afinados!!!

Um poema bonito e delicado!

Beijos de luz e um final de semana feliz!!!

poetaeusou . . . disse...

*
Esmeralda
,
nas tuas palavras,
vi-te como maestrina,
da opera de viena,
regredi á sissi imperial,
adorei, amiga,
,
maresias musicais, deixo
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ricardo Galvão de Mello
,
esta casa é tua, amoga,
volta sempre,
,
abbç,
,
*

mulher lua disse...

É mesmo isso, já bem bastam as desgraças, visíveis e audíveis, a que todos assistimos, 24 horas por dia, por esse mundo fora! Nada de inventar mais cenas negativas, toca a acreditar em nós mesmos, a sermos seguros daquilo que somos e prá frente é que é o caminho. Como se diz:
Não há caminho para a felicidade, a felicidade é o caminho!
Por isso, nada de inventar pedregulhos e becos sem sáída que só existem no nosso "pequeno mundo". Alarguemos os horizontes, metamos a mão em pala por cima dos olhos, e toca a caminhar...

Veijios

poetaeusou . . . disse...

*
mundo azul
,
palavras azuis,
de afinados mundos,
invadiram este canto,
gratificado fiquei, amiga,
,
buzios cor de anil, deixo-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mulher lua
,
farei o que sempre em frente
porque a felicidade é já ali...
,
lá vamos cantando e rindo,
levados, levados sim . . .
oh !!! diacho, esta não, hehehe,
,
alrgres conchinhas, deixo,
,
*

Esmeralda disse...

Quando era pequenina, gostava de ser a Sissi, a princesa Sissi...
...e brilhar como ela brilhou.

Não maestrina, mas em tempos flautista. ;)

poetaeusou . . . disse...

*
Esmeralda
.
sissi - romy scheneider,
,
a flauta mágica de mozart ?
,
conchinhas musicais, deixo,
,
*

mariam disse...

lindo!

belo solfejar
um hino ao amor
sussurros desse mar

e, as esquinas, contornam-se!


bom fim-de-semana

um abraço outonal
um mimo
e um sorriso :)

Ricardo Galvão de Mello disse...

Raiva doidivana

Ardo por dentro...
Que raiva inquietante...
Mal respiro...
Todo tremo...

Sinto vontade de rasgar o peito
Vontade de gritar muito alto
Vontade de bater em tudo
Vontade de chorar

Raiva
Raiva
Raiva
É o que sinto...


Não me posso mexer
Preciso de me soltar disto
Quero 'tar livre
Quero viver

Que calor
Que mágua
Dois punhos Cerrados
Que vontade de destruição

Ofegante
Exaltado
"Parkinsonizado"
Sem conseguir dar resposta...


PORQUE? PORQUE? PORQUE?

Eduardo Aleixo disse...

essa solfejo
a dois
assim tão
harmonioso
vence
por certo
o mar
o mais
tormentoso!

Um abraço-
Bom fim de semana.

EA

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
uma autentica,
orquestra sinfónica,
são as tuas palavras,
,
conchinhas musicais, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
ricardo galvão de mello
,
a revolta de Parkinson,
inerte, parada, apática . . .
,
abraço,
,
*

mariam disse...

Zeca Afonso, sempre.
Poeta, o mimo, era para Si, faz favor de ir buscar!

um abraço apertado
e um sorriso :)

mariam

poetaeusou . . . disse...

*
Eduardo Aleixo
,
tudo a dois,
é partilhado,
em todas as vertentes . . .
,
abraço
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
miriam
,
agradeço-te amiga,
,
já me tinha sido atribuído,
pela TULIPA,
esteve exposto dois, três dias,
procedo sempre assim.
,
zeca, deu tudo,
pouco recebeu em troca,
tantos que tiraram partido dele,
sugaram-no . . . ainda hoje . . .
,
a morte saiu á rua num dia assim,
naquele lugar sem nome pra qualquer fim
uma gota rubra sobre a calçada cai
um rio de sangue dum peito aberto, sai…
,
brisas de sol-pôr, dou-te,
,
*

Rosa Maria disse...

Que bom podermos escrever solfejos a dois, quando é possível...

Bom fim de semana

poetaeusou . . . disse...

*
Rosa Maria
,
escrever
ler ou tocar,
a dois é parilhar . . .
,
suaves e rosadas brisas, deio-te,
,
*

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido Amigo Poeta, adorei a tua bela postagem... muitos beijinhos de amizade e carinho,
Fernandinha

mariam disse...

:)

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA & POEMAS
,
fernandinha
,
ciao, ciao,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
a morte saíu a rua,
é do zeca afonso
,
as nomeações podes ver aqui,
não sou contra, sou avesso,
faz-me lembrar o jorge sampaio,que
distribuiu 27.948 condecorações,
só não deu ao al capone, porque
já tinha morrido . . .
,
não deixo de agradecer,
a tua nomeação, obrigado,
,
brisas de amizade, deixo,
,
*

MEU DOCE AMOR disse...

Não invento...o que faço depois de escutar?

Beijinho doce e bom fim de semana

brisa de palavras disse...

Perdi-me no meu de tanta beleza, parabéns!
adorei as palavras e as imagens!
um abraço
brisa de palavras

poetaeusou . . . disse...

*
MEU DOCE AMOR
,

o que faço depois de escutar?
,
olha ... inventa ... hehehhehe,
,
brisas nocturnas, deixo,
,
*

MEU DOCE AMOR disse...

Mas...invento ou não invento?

Se dizes para não inventar...só para escutar...assim fico na dúvida e descontrolada.Perco o rumo do suave marejar e entro numa escala com ritmos diversos, o que poderá causar uma tempestade de emoções.Não encontrarei a tão famosa pauta, não terei par para o solfejo e vaguearei no infinito sem compasso.

Será o descer às profundezas, sem retorno...o que me impedirá de inventar.

Ricardo Galvão de Mello disse...

O que serei?!


Sou feito do mar e da terra
Sou feito do amar e da guerra
Sou feito do extravasar da água
Que esculpe a rocha sem mágoa

Sou feito do amor sem trégua
Sem compasso nem régua
Sou o inesperado orvalho que rega
A colorida flor que se entrega

Não sou descanso nem remanso
Não sou a paz que anseias
Sou um tempo de cheias
Que te faz correr o sangue nas veias

Sou pior que uma intempérie
Sou um desvelo em série
Sou o abandono da tua calma
Sou o desejo inocente de tua alma

Sou um mundo feito de teias
Sem enredos nem peias
Sou coisa sem tempo nem espaço
Sou só o que desejas no teu regaço




Visita-me, espero por ti, caro amigo Poeta.

abraço

poetaeusou . . . disse...

*
brisa de palavras
,
o teu olhar
enganou-te,
ou
tens os olhos
rasos de condescendência,
,
maresias de agradecimentos,
envio-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
*
meu doce amor
,
sei que para ti é um dilema,
mas quem sou eu
para te apontar caminhos,
não desças ás profundezas,
vou dar-te outra pista,
,
de José Régio
,
Ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!
,
e agora, miiiiiiga ???
,
maresias inventivas, deixo-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ricardo Galvão de Mello
,
belo poema,
,
irei visitar-te
,
abç
,
*

Gabriela de Sousa disse...

Olá!
Estive a reparar no título, "solfejo escrito a dois". A vida é, no final, um solfejo: uma sucessão de sons com ritmo e sentido lógico que pode soar mais ou menos agradável, depende de cada um. Porque a vida é uma composição e somos nós que compomos a nossa vida!

... e a obra acaba por soar melhor se não a tocarmos sozinhos... talvez mesmo a dois a música acabe por soar mais doce!

Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
Gabriela de Sousa
,
tocaste-me,
com as tuas palavras,
,
sentires e pensares, maduros,
,
obrigado amiga,
,
maresias nocturnas, deixo,
,
*

Duarte disse...

Nesses caminhos intermináveis
guiado pelo ronco adormecido
desse mar sem fim.
Donde me leva?
Se pudesse caminhar por ele!
Iria mar adentro... até ao fim.

Bonitos momentos os que aqui nos trouxeste

Um Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
duarte
,
ah, se o mar tivesse varandas,
,
saudações,
,
*

Ana disse...

Lindas as imagens, lindo o poema, até é bonita a forma dele, assim escrita.

O chamado dia inspirado...

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
saíu,
digo eu . . .
,
maresias de iodo, deixo,
,
*