dezembro 16, 2007

»»»»»»»»» p o r q u e ? «««««««««


Meu aloé
deus das areias
deixa-me amar-te
protector,
das areias nas falésias
das erosões do tempo
das dunas, pelo mar
volto a ti, flor, amor
quero abraçar-te
pretender-te, ser raiz
porque não te amei selvaticamente ?
porque te pedia que não me desses tudo,
dizendo que o nosso amor seria eterno ?
porque contive o meu prazer,
para nos teus olhos, sentir o teu ?
porque não saciei o meu desejo,
em espasmos, coloridos gemidos de violinos ?
poema e fotos: poetaeusou

36 comentários:

gaivota disse...

o aloé passou a servir para tudo, remédio milagroso! e o sobergo a ficar despido...
já foi há uns anos, mas o aloé continua mágico!
até a praia ficou mais praia!
este teu poema, está muito interessante, muito bonito, muito sentido
muito lindas as tuas fotos, muita cor, como só podia...
beijinhos e boa semana

marias disse...

Porque?
...
se sente a nostalgia
do que passou
podia ser
e não foi
.....
Porque?

Beijinhos

Sol da meia noite disse...

Perguntas, Poeta... Apenas perguntas.
Procura a resposta em ti...

Beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
*
o soberco está lindo,
e eu amo os aloés, desde os 6 anos,
aprendi com o professor Miranda,
cabo verdeano um amigo, que tive,
,
nota: hoje tenho andado enrolado,
"comá pardela", só agora "assenti".
*
brisas em jinos
*

poetaeusou . . . disse...

Porque?
*
marias
*
nostalgia . . .
do futuro . . .
,
melancolia ?
,
marés de jinos
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
procuro,
e não encontro,
procuro
não sei o quê !!!
*
jinos
*

Maria Luar disse...

Não há aloé que não deixe amar-se. Ama, homem do mar, Selvaticamente como as ondas amam as praias.
Abraço

gaivota disse...

desde os 6 anos, bués..., né?
assenta, assenta, meu amigo, olha as filhoses...
jinhos
p.s./nota : o sporting ganhouuuuuuuuuuuuu

Maria disse...

Hoje nem os aloés nem as fotos me lavam a alma, esteja ela onde estiver...
Desculpa, Poeta.
Inté

Ana disse...

Tanto o aloés se sentiu amado que desabrochou em flores.
Um beijo para quem o amou.

MEU DOCE AMOR disse...

Porque faltava uma corda ao violino?

Hummm...

Beijinho

MEU DOCE AMOR disse...

Trago uma...eu ponho nele.

Agora podes tocar a melodia do Amor...aquela que cura.

Um beijinho doce querido Poeta do Mar

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido Poeta, sabes porque sentes nostalgia, porque estas plantas que estão nas tuas fotos, são parentes pobres dos verdadeiros ALOÉS.
Os verdadeiros, limpam-nos até a alma, meu amigo.
Hoje estive no teu Sítio.
Melhor almocei na Nazaré e deliciei-me ao andar descalça pela praia á beira da água.
Amigo, muitos beijinhos.
Fernandinha

multiolhares disse...

Porque o teu amar é assim
Intenso, sentido
sem necessidade de palavras
Mas o aloé sabe ele conhece o teu sentir,
E sempre vai florir para ti
O aloé também tem magia
A magia inexplicável do amor

Beijos nossos
luna

Maria Clarinda disse...

Ficou lindo o poema ao Aloé...
Ficaram lindas as tuas palavras nestas fotos maravilhosa...
Jinhos de carinho

isabel mendes ferreira disse...

porque a erosão do tempo é gume ..que se sente....


gostei do seu espaço...povoado de belíssimas imagens.


onde as palavras são a margem.



bom de tudo neste dezembro.

________________

Paula Raposo disse...

Uma boa pergunta!! Terás de ser tu a descobrir a resposta...

GarçaReal disse...

Amor eterno?
Gemidos de violinos?
É preferivel pois os gemidos dos violinos são iguais ao choro da alma e afinal também cantam amor,só que chorando...

Bjgrande e um pilipar terno em tua Gaivota.

poetaeusou . . . disse...

*
maria luar
*
aloés, meu amor
*
pilipares
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
*
tou assentade,
*
brisinhas
*

poetaeusou . . . disse...

*
maria
,
- alma lavada, alma chorada –
,
inté
*

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
as falésias e os pontos altos
das dunas, estão belas, com
o sublime colorido dos aloés,
*
os meus 9 –numero preferido – vasos,
estão a começar a florir, um pouco atrasados.
,
conchinhas coloridas, deixo
*

poetaeusou . . . disse...

*
meu doce amor
,
ou o stradivarius, é de corda ???
,
jinos
*

poetaeusou . . . disse...

*
meu doce amor
*
para ti,,
,
Pelo que no teu colo há de suspenso,
Te supunham as ondas uma delas...
Todo o teu corpo, iluminado, tenso,
Era um convite lúcido às estrelas....
Imaginei-te assim á beira-mar,
Só porque o nosso quarto era tão estreito...
- E, sonolento, deixo-me afogar
No desenho redondo do teu peito...
,
in-david mourão ferreira
*
marés de jinos
*

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA & POEMAS
,
fernandinha
,
deixa-me, discordar,
são genuinos, trazidos pelos fenicios, das praias do mediterraneo, foi inspirado na
função natural do aloés, fixação das areias, que os povos, habitantes do litoral atlantico,
a maior parte descendentes de fenicios, do algarve ao delta de aveiro, plantaram o chamado pinhal
de leiria, que me perdoo o D. Duarte Pio, mas o D. Dinis nunca
plantou qualquer pé de pinheiro,
relativo aos aloés, apenas lembro,
que não existem rosas genuinas,
existem apenas rosas ...
,
os meus aloés são genuinos e prontesssssss !!!
,
um jino de amizade e carinho
*

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
,
intensa magia,
palavra sentida
aloés, a vida
Porque o teu amar é assim
Intenso, sentido
de florido, amor
,
beijos daqui
*

poetaeusou . . . disse...

*
Maria Clarinda
,
aloés, menino,
encantado ficava,
no versinho, na palavra
semeava carinho
*
vagas de jinos
*

poetaeusou . . . disse...

*
isabel mendes ferreira
*
grato, isabel
terás sempre,
a porta escancarada,
nesta casa,
,
jinos de iodo
*

poetaeusou . . . disse...

*
Paula Raposo
,
paulinha
,
óbvio. . .
,
romãs em jinos,
a saber a canela
*

poetaeusou . . . disse...

*
garçareal
*
hoje vai um poema,
*
Quem vê, Senhora, claro e manifesto
O lindo ser de vossos olhos belos,
Se não perder de vista só em vê-los,
Já não paga o que deve a vosso gesto.
Este me parecia preço honesto;
Mas eu, por de vantagem merecê-los,
Dei mais a vida e alma por querê-los,
Donde já não me fica mais de resto.
Assim que a vida e alma e esperança,
E tudo quanto tenho, tudo é vosso,
E o proveito disso eu só o levo.
Porque é tamanha bem-aventurança
O dar-vos quanto tenho e quanto posso,
Que, quanto mais vos pago, mais vos devo.
,
in-Luís de Camões
*
pilipares para a tua garça
*

Paula Raposo disse...

E a erva doce....eh eh eh

poetaeusou . . . disse...

*
paula raposo
,
e arroz doce,
com poemas da paulinha,
,
bji
*

Papoila disse...

adorei fotos e palavras ...

beijos
BF

Helena disse...

Nada é eterno Poeta
cada dia deve ser vivido como se fosse o ultimo..

Beijinhos

Um Momento disse...

Nas cordas de um violino de palavras coloridas
Bela musica aos meus olhos,
no meu pensamento senti
De cores alegremente sentidas
Em profundas lembranças estremeci
Entre falésias , dunas ...mar e brisas douradas
um tempo em erosão
Abraça um sentimento que deseja uma flor voltar a beijar em tempos de emoção
PorquÈ?
Porque o amor de raíz...
Se sente no peito, bem abraçado ao coração

Beijo de Mar
(*)

poetaeusou . . . disse...

*
um momento
,
um mar de violinos te deixo,
,
jinos omentaneos
*