abril 23, 2007

»»»»»»»»» vésperas de ... «««««««««


transmutado abril
sem horizontes
sonhos vãos
utopiasde negrura
metamorfoseada
na minguada festa
de cravos cravados
de rosas em espinhos
dá-me lírios Abril
giestas da serra
clarificando ocasos
democracia inventada
em cracia sem povo
povo sem farol,
de tormentados mantos
rasgados de esperança
de porvires estraçalhados
por amarradas globalizações
de quimeras de topo
e um povo pacóvio
suplicando magia para transmudar
aportemos, votar, votar.
para os (eles) cristalizar, cristalizar …

agradeço á wind club, dá que pensar e muito, os blogs:

http://non-morte.blogspot.com/
http://voandoai.blogspot.com/
http://isabelfilipeartdesign.blogspot.com/
http://ilhasdomar.blogspot.com/
http://mia-gato-miau.blogspot.com/

obrigado a quem aceitar ou ...

poemado e foto: poetaeusou

26 comentários:

Luna disse...

Utupia sim, vivemos em democracia, pois eu sinto que estou a viver em um fachismo emcapotado, tudo posso dizer e fazer, mas se faço...
beijo

non disse...

Bem não sou tão radical como a Luna. Lembro-me MUITO bem do fascismo. Que a Socrática figura tem vocaçaopara facho mais que para lanterna ...tem, mas daí a consegui-lo vai um Povo de permeio.

O tempo não anda para trás.

Mas gosto do que pensas e dizes.

Obrigada pela escolha. Vamos ver se consigo, não sei bem e quando.OK?
Beijinhos :)

docepoetisa disse...

Tens razão, somos um povo sem farol,que está à deriva.
bj

poetaeusou disse...

/
luna
/
tantas botas
a imitarem o botas
não é mendes bota
/
beijo
/

poetaeusou disse...

/
non
/
O tempo não anda para trás.
/
jamais
/
grato por aceitares
/
bj
/

poetaeusou disse...

/
docepoetisa
/
e com tantos faroleiros
/
bj
/

Maria disse...

Abril é Festa, Poeta!!!!!
Abril é Festa, Luna!!!

Apesar de tudo, apesar de todas as tentativas, ainda vivemos num regime democrático. Ainda. E apesar de tudo...

Não me alongo, não quero, estou em Festa!!!

Obrigada pela música, finalmente!

Hoje e amanhã e depois dou-te beijos e mais beijos

Teresa Durães disse...

A 25 de Abril de 1974 tinha 4 anos. Costumo dizer que sou filha do 25 de Abril porque não o conheci o fascismo. Sou da geração dos eternos perdidos. Nem lutaram nem perceberam nem tiveram modelos. Os entalados do meio.

Os meus filhos já são diferentes. Nem concebem uma outra forma de vida que não a da expresão livre.

Eu ouvi uns a dizerem que o melhor era calar. Outros, para assegurar. Não me lembro de ninguém me transmitir a ideia da perseguição do sonho.

Talvez por isso pouco entendo as pessoas da minha geração, os famosos yuppies. Os do calam, lambe-botas. Há excepções, claro.


- A vida é um absurdo.

Neste meio meio olho gente mais velha, mais nova e só me pergunto (a entalada do meio):

- O que faço dela [da vida]?

segue o sonho diz a voz ao ouvido, e eu tento tento tento!
(quantos tentam que caia?)

nem respondo à última minha pergunta.

Entrei nesta dissertação que tantas vezes faço de mim para mim.

Não somos uma ditadura (física) mas eu (a entalada) continuo a pensar que sim, somos ainda um povo que vive dentro da gaiola do pai estado (psicologicamente). Porque nos voos que faço grito e rasgo palavras em tentativas inúteis de demonstrar que nós somos o que fazemos, o que construímos e a revolução não atingiu as mentalidades ainda.

Digam não, digam sim, mas digam, gritam, reclamem todos os direitos. Votem sempre quando é para votar. Reclamem e lutem pelo que é vosso. As revoluções não se concluem na mesa do café dizendo mal deste e do outro mas por acções. Nossas.

Não queiram mais Pai Estado. Nenhum. Sejam pessoas e ideais.
Sejam gente viva e não adormecida.

obrigada pela tua distinção. Que aceito. Aceitando para poder continuar a gritar. Que a vida não é "assim". É o que dela fazemos.

poetaeusou disse...

/
maria
/
nao percebeste as minhas palavras
lê novamente
/
A MUSICA É PARA TI E PARA
A ODETE SANTOS
/
o alentejo ainda há-de ser nosso
dos e dos Espanhóis- hehe
/
inté
///

Luna disse...

maria
ABril deveria ser festa, se não trasmutassem as rosas vermelhas,em duras realidades do dia a dia,

Para mim e foi bem importante ter acabado a guerra colonial e os presos politicos, de resto minha amiga estamos não tarda muito como no Brasil os pobres mais pobres e os ricos mais ricas.

Maria desculpa não estar na tua alegria, mas os olhos do povo mão me deixam

Poeta
desculpa este desabafo, acho que a Maria me vai dar com ima berlenga na testa
jinhos aos dois

poetaeusou disse...

/
teresa durães
/
Que a vida não é "assim". É o que dela fazemos.
/
sábiamente, sábia.
/
grato pela boa recepção,
/
abç
/

poetaeusou disse...

/
luna
/
Maria desculpa não estar na tua alegria,
»»»»»»»»»»»mas os olhos do povo mão me deixam««««««««««
/
é neste teu sentir, que eu quero mergulhar....
/
mas tio antónio, nunca mais ...
/
um beijo respeitador
/

Luna disse...

Poeta
sem duvida estou contigo e não largo o tio António não mesmo.
beijos

Maria P. disse...

Abril ainda não aconteceu.

Um beijinho.

Bia disse...

é o 25 de abril, ficou na memória de todos, os que o viveram e os que ouviram e leram sobre o mesmo.
Os cravos foi a imagem que ficou...

Maria disse...

Voltei agora.
Luna, achas que te dou na testa com alguma coisa? só se for um beijo...
Eu percebo-te, mas eu não baixo os braços.
Estão e starão aqui prontos para o que for necessário. Para tudo.
Não vejas qualquer agressividade nas palavras, é apenas o entusiasmo da hora de comemoração que se aproxima.

Beijos para ti luna.

Poeta:

Li sim, e percebi.
Mas as palavras que deixei à Luna são também para ti, sei que as entendes.

ATÉ VER .... disse...

Sou daquelas que lutou por Abril.Não fechemos as portas que ele abriu nem deixemos que os rubros cravos que as espingardas engalanaram, murchem para sempre. Apesar dos tempos difíceis , é possível estar aqui a falar. Isso não podemos esquecer.
Longe vão os tempos da guerra colonial, ds seus cerca de 9000 mortos, dos mais de 10000 estropiados, das mães que em vão choraram, dos filhos dos pais que não voltaram, das viúvas que não tornaram a sorrir.
Pelos capitães que fizeram florir os cravos, pelo povo que os ajudou, por todos aqueles que pelos seus ideais democráticos arriscaram a sua vida, deixo aqui o meu agradecimento.
Beijinhos. Abril, sempre!

poetaeusou disse...

/
maria p.
/
o 25 durou, uma semana,
morreu no primeiro,
1º de Maio, em liberdade.
a força do povo era grande,
tinha que ser dividido,
logo os partidos de vários,
quadrantes, coutado de incompetentes, em todos os partidos.
Testas de ferro dos feudalistas
15 dias, antes.
Fazendo o jogo deles nestes 33 anos.
é é velos por aí, com grandes reformas, bons conselhos de administração. e o povo cada vez pior.
De todos os partidos, todos.
País pobre ? riquissimo, ainda á muito para gamar ...
os espanhóis que o digam...
/
maria.p... calhou a ti, hihihi.
/
um beijo
/
h

poetaeusou disse...

/
bia
/
os ideais de abril
são translucidos
só que nunca foram
concretizados ...
/
nem nunca serão
em algum lado ...
/
xi
/

poetaeusou disse...

/
maria
/
queremos o mesmo
/
por caminhos diferentes
/
ao estado novo, nunca mais
mas ao estado,
que isto chegou, tambem não
/
inté
/

poetaeusou disse...

/
até ver
/
mari amar, queridinha,
/
são recordações, só
/
a vida começa hoje
/
o resto é passado, história,como
a outra historia riscado da memória
para nos meterem o 25,que de tanto falado, foi banalizado.
até os nossos poetas foram banidos
/
o 25 é uma data sublime, feita por
homens puros, eu incluido, que a
partir do dia 2 de maio, foi aproveitado, por pessoas sem pudor,
entregue a um bando de exilados, exilios dourados, e quem enfrentou
neste pais, a besta (touro) expressa, nos pincéis de picasso, na sua guernica foram apodados de Fachos...
/
viva o 25 de abril, sempre,
mas, não á maneira deles ...todos.
/
um beijo grande
/

poetaeusou disse...

/
luna
/
TIO ANTÓNIO, NÃO POR FAVOR
/
pode ser o meu
verdadeiro chama-se antónio.
/
um beijo
democrático
que ainda não vi nesta terrinha.
/

Isabel-F. disse...

Querido Amigo,

Obrigada por me designares a mim para o Thinking Award ...

que palavras posso eu dizer-te?

... simplesmente que fico feliz por nossos caminhos se terem cruzado.

Bjs

poetaeusou disse...

/
isabel-f
/
grato
com o teu gesto
,
grato
por enalteceres
o estético
o belo
/
abç
/

pitanga disse...

Estou com a MARIA. Abril é festa! É primavera. É plantio!
Amanhã vamos por as batatas. Não é lindo? A terra a nos oferecer tudo!

abraços

poetaeusou disse...

/
pitanga
/
muitos caminhos
uma só chegada ...
/
abç
/