março 13, 2007

»» gaivotas do amor ««


amor vê as gaivotas
em amorosa sintonia
desperta teus sentidos
inquieta as emoções
fixa as realidades
soltando os afectos
liberta o casto freio
em ávido peculato
dos subtis desejos
êxtases cintilantes
em enlaçadas noites
madrugadas do provir
na trilha do amor
em saciados espasmos
de esperas dilatadas
de néctares em enxurrada
nas entranhadas margens
confluindo para o cálice
do sublimado amor
poema/foto: poetaeusou

32 comentários:

wind disse...

Belíssimo post, boa conjugação poema/imagens:)
beijos

poetaeusou disse...

/
Wind
conjugação
das tuas boas vontades.
só ...
/
jino)
/

Sininho disse...

Que bonitas estão essa duas gaivotas, namorando no bico da rocha!
Se não vivesses aí, à beira-mar, os teus versos não te sairiam, tão espontâneos.
Digo eu.
Abrç.

poetaeusou disse...

***
SININHO
*
os olhos da minha imaginação.
vêem para lá do horizonte.
não é possivel ?
é, para a imaginação
não existem
muros, barreiras, fronteiras ...
*
abç.
***

pitanga disse...

Sempre que pintava nunca podia faltar as gaivotas.
abraços de quem voa

poetaeusou disse...

///
PITANGA
/
hoje na assembleia das. gaivotas a Gavy Rosa... foi eleita,
Presidente Honoraria !!!
As companheiras pililipipavam,
a rosa que eu elegi, lá lá lá lá.
abç)

Maria disse...

Correndo o risco de me repetir, aqui digo:
Mar, gaivotas, emoções, sentimentos, amor... os ingredientes necessários para uma linda fotografia e um belo post...

Sou eu a dizer...

Farinho disse...

Então agarra nas asas das gaivotas e voa a o encontro do teu amor.

Bonito poema.

Beijocas

Era uma vez um Girassol disse...

Gaivotas, namoro, sempre o mar!
Estás inspirado, poeta!
E nem precisas da primavera...
Beijinhos

poetaeusou disse...

Maria
*
se tu o dizes acredito...
inté

*

poetaeusou disse...

Farinho
/
és tão pragmática
é assim tão fácil ...
/
bj)
....

poetaeusou disse...

*
Flor môr.
A primavera está em cada flor.
Basta olhar e imaginar.
Sentimos o revigorar de todo o ser.
O perfume, o pólen, as andorinhas.
e os andorões, hihihihi.
um grande)

Caçadora_de_sonhos disse...

Lindo poema.
O amor é uma constante na vida

poetaeusou disse...

*
caçadora_de_sonhos
é
a
inconstância
do
sai/fica
do
fica/sái.
////

acordomar disse...

hummm, mas axo q ja vi a foto deste castelo noutro blog... estranho !!! ( vou ver se me lembro onde)
Adios muchacho

poetaeusou disse...

a cor do mar
foi na paula raposo
mas é minha ...
adios niña.

=^.^= Tarina =^.^= disse...

O AMOR é sempre o AMOR...
Adoro quando postas sobre o amor... e quando misturas o mar, e as minhas tão adoradas gaivotas...

Sabes.. no outro dia tive uma surpresa...

Em plena lota de penixe... isto ás suas 10h da noite... levantaram voo, não sei dizer antas como é obvio, mas quase a certeza, que mais de 1000 gaivotas sairam de cima de uma grande armazem... Voaram por cima de mim...cobriram o séu negro de branco...
Parecia magia...
Nunca me tal tinha acontecido...
Foi espectacular...
Nesse momento, a máquina, aquela que anda sempre dentro da minha mala para eventuais buscas de lente... ficou em casa :(

Como gosto de gaivotas LOLOLOL

1 beijinho =^.^= tarina

P.S. acho que os meus comentarios estão todos ai LOLOL Também não tinha importancia... se já os leste.. isso sim é importante!

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Desculpa os erros ortográficos...
É que depois de um dia de trabalho e de uma aula de Free Combat... não tenho força nem para escrever!

Desculpa!

=^.^= tarina

Luna disse...

O amor é sempre amor,pouco importa, se é no cheiro do mar, no bater de asas de uma gaivota, ou nas palavras de um poeta.
beijokas

poetaeusou disse...

TARINA
Respondendo:
Tive um desgosto de amor.
Com 7 anos, um cão o Norte.
Morreu nos meus bracinhos.
Ainda hoje choro. Virei-me,
para as gaivotas, criei-as , no meu.
Quintal em liberdade guardavam a salsa.
a hortelã as figueiras comiam comigo…
as gaivotas na lota, vi dezenas de vezes.
É a chamada limpeza dos armazéns. OK ?
As damas, como diz o Tibúrcio, têm tanta tralha na mala, menos a máquina ? hihi
seria uma foto espectacular.
Um xino

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Pois...
Garanto-te que na minha mala é mais certo encontrares uma maquina fotografica do que um baton LOLOL (por incrivel que pareça...)

Limpeza dos armazens ahaha!?!?!?

Foi lindo ver o céu coberto de branco!

1 beijo =^.^= tarina

P.S. sentida pela morte do teu norte!

poetaeusou disse...

*
TARINA
*
Free Combat ?
ainda bem que me avisaste...
andava com umas ideias esquisitas.
não, nem pó ... hihihihihii
*
um beijo, de amizade, sempre.
*

poetaeusou disse...

TARINA
é á seria.
ou peixe rejeitado da lota.
ou do armazem.
em vez de queimado com criolina,
o que é obrigatório é dado ás
gaivotas poucos segundos já era ...
jino

dacasadamthilde disse...

Um poema lindíssimo acompanhado de fantásticas imagens. Mar, gaivotas, amor... um ambiente paradisíaco poeta.
Beijinhos

poetaeusou disse...

*
LUNA
*
o amor é sempre amor
*
serenata á chuva
*
explendor na relva
*
e o mais romantico
*
"Coberto com
uma tunica de estrelas"
*
um bj. de ternura
*

poetaeusou disse...

/
dacasadamathilde
/
é o teu olhar mathilde
/
para ti, palavras tuas.
/
O mar gaivotando
um fantástico poema
acompanhado de imagens
paradisiacas
um poeta
em lindissimo ambiente
gaivoteia o amor ...
/
um, de gratidão
/

Ana Luar disse...

Fechei os olhos, enquanto a brisa do mar azul, de bordas pintas com muitas gaivotas espreitava comigo este espaço de sonhos salpicados... Adorei o que li!

poetaeusou disse...

ANA LUAR
Todos os dias a,
ana luar é, nos teus blogs.
tactecteada por mim.
de olhos cerrados, sonhando.
eu, qual impuro, não indiciei.
para não quebrar, encanto tal ...
bocage ?
o meu seguinte post.
dentro de minutos,
estás inclusa.
grato.

pitanga disse...

Poeta, a Rosa mandou dizer que agradece o título. Depois saiu voando!
abraços

poetaeusou disse...

/
PITANGA
*
para a rosa
*
óh rosa
amorosa
explendorosa
não desditosa
mas formosa
rosa
*
voa, voa, espalha. as tuas pétalas.
perfuma o nosso globo. e a mim.
carente.
*
conchinhas nazarenas
*

Sílvia disse...

é o amor...tão bem cantado pelo Poeta :)

poetaeusou disse...

*
amor, amor, amor...
lá lá lá
*
b)
*