junho 28, 2012

desisti, porem, suportarei . . .



desisti de ti
na praia da desilusão,
fria praia
como é o teu olhar,
paus desnudos
desprovidos de riscados,
troncos despidos de panos,
igualando o teu sorriso,
como eu sofro
destes medos espalhados
nos sentires que me amarguram,
sonhos desfeitos
na rota da minha sina,
bandeira do meu fadário,
ventos que eu não assoprei,
para o pântano do meu destino !
poema e fotos:poetaeusou

36 comentários:

São disse...

Amigo Zé, não sofras assim, que me aflige...

Um abraço solidário

Filó disse...

Praia fria e triste, despida de panos coloridos....que a enfeitam.
Poeta, sonhos desfeitos, talvez seja por não quereres alterar a rota da tua sina, para que te leve ao teu destino....
Apesar de triste é Lindo o poema e as fotos, magestralmente musicado !

Beijinho

helia disse...

Um Poema muito bonito ,apesar da tristeza que os sonhos desfeitos fazem sentir ! Mas é sempre tempo de voltar a sonhar !

carmen disse...

Poetaes,

as vezes e melhor desistir, mas se refazer para seguir pela vida, sem amarguras que nos abatema alma...

Virar a pagina, seguir em frente, sem grandes cicatrizes...

conchinhas consoladoras deixo!

Andradarte disse...

Sofrido.....mas belo poema...
Abraço

MEU DOCE AMOR disse...

Eu não.Roubaram-me o sorriso ,mas fui procurá-lo.

Beijinho doce:)

Nivea disse...

Olá...!

Os espelhos são usados para ver a face, os poemas, a alma do poeta.

A dor transformada em poema!
É meu caro poeta, todo coração é uma célula revolucionária.(rsrsrs)

Desiste não, se a realidade se faz triste, melhor é ter a vantagem de existir sonhando.

Sabe amigo, hoje estou sofrendo de sesquipedaliofobia. (rsrsrsr)

Shalom!
N.N

Duarte disse...

Taciturno, noto-te no verso,
Descuida, cobrir-se-á de fulgor,
Se vestirá de cor no anverso
Para que não te enchas de dor.

Aquele abraço

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
Amiga,
eu não estou afligido,
estou desafligido, o que é pior !
srsrsr
,
Conchinhas,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filo
,
Querida amiga,
e eu reforçorçando,
sou mais Vanessa Mãe !
,
Jinos,
*

poetaeusou . . . disse...

*
hélia
,
Amiga
sonhar é fácil, não é ?
assim sendo, vou voltar a sonhar !
,
marés de conchinhas,
*

poetaeusou . . . disse...

*
carmen
,
no perfume das nortadas,
voam vozes de consolos .
,
marés de agradecimentos,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Andradarte
,
só com sofrimento,
se atinge o BELO !
,
saudações .
*

poetaeusou . . . disse...

*
MEU DOCE AMOR
,
Amiga
Nem o sorriso da Gioconda
ou Giacondo, me faz sorrir !
,
Adocicadas conchinhas,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Nívea,
,
Amiga
a minha “maleta” é mais de,
hipopotomonstrosesquipedalofobia,
srsrsrsrsrsrsrsr,
,
Shaloms de conchinhas,
*

gota de vidro disse...

Amigo se sempre

Desistir é ter saudade, é sentir a nostalgia e a tristeza da perda.

Entendo bem...Vamos embandeirar esses paus desnudos e dar-lhes a cor que merecem.

Bonito e triste

Bom fim de semana

(Atenção ao protector solar...)

Beijitos da gota

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
meu amigo,
,
se o verso cobre o fulgor,
acetinando o seu brilho,
tenho que mudar de trilho,
e olvidar a minha dor !
,
aquele abraço,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gota de vidro
,
querida amiga
vou seguir as tuas palavras,
vamos colorir os sentimentos !
,
o problema diminuiu 90%,
vou esperar por Setembro,
talvez seja a melhor solução !
,
agradecidas conchinhas,
deixo-te,
*

Silenciosamente ouvindo... disse...

Desistir...Mas depois há uma
nova esperança, uma nova
renovação.A vida é uma mutação
permanente.
Um grande beijinho
Irene

elvira carvalho disse...

Finalmente um amigo conseguiu descobrir o que se passava com o meu pc e repará-lo.
Peço desculpa pela ausência, mas se a princípio conseguia abrir alguns depois deixei por completo de conseguir abrir. Levei horas a correr o antivírus a desinstalar programas e a reinstala-los e nada. Por fim um amigo através de um amigo virtual, através de um programa de controlo remoto, levou quase três horas a mexer nele e conseguiu pô-lo como novo. Bem Hajam os amigos.


Um poema muito triste e sofrido. Oxalá seja apenas fruto do seu talento de poeta, e não resultado de experiência pessoal.
Um abraço e bom fim de semana

francy´s disse...

sempre é valido suportar carissimo.
tenhas um lindo final de semana.
bjs

Daniel Costa disse...

Poetaeusou

Embora a praia que mostras, seja de relativamente, recente criação. Primeiro como baía privilegiada de praia de pescadores. Não deixa de ser fustigada pelos, tomando o seu ar desolador.
Um abraço

LUZ disse...

Boa tarde Henrique,

Sofrimento, medos?
Afaste-os! Amanhã, é sempre um novo dia.

Bom Domingo.
Voltei a postar.

Saudações com luz.

poetaeusou . . . disse...

*
Silenciosamente ouvindo...
,
Irene
,
embora seja
uma situação dolorosa,
e como escreves,
advirão sempre, outros amanhãs !
,
vagas de conchinhas,
ficam,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Elvira carvalho,
,
Amiga
é,
um amigo é um dom etéreo !
abrange as duas vertentes,
experiencia pessoal e talento (srsrsrsr).
,
um mar de conchinhas,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
franvy,s
,
Suportarei, sim !
,
celestiais conchinhas,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Daniel Costa
,
Óh meu amigo,
não digais semelhante isso ! srsrsrsr,
a Nazaré, uma praia de recente criação ?
a mais típica Praia de Portugal ? a praia do Leitão de Barros
do Alves Redol, (uma fenda na Muralha) dos pintores da estranja,
dos cineastas Franceses, que a deram a conhecer ao Mundo,
ainda o Amigo Sousa Cintra, andava a comprar terrenos no Algarve
a (cinco coroas) o metro quadrado, o seu fulgor e não outro . . . !
e entrando no teu reino, quem cantou ? são loooucas, são loooucas !
amigo, a Nazaré foi a pioneira, desde 1911, antes só Estoril e Cascais !
qual Figueira da Foz, na realidade foi acolhedora dos amigos Galegos,
alguns Bascos, como foram no Norte no País, em Lisboa, e na Nazaré,
que em segunda e terceira geração são quadros do nosso País,
tudo situado no após - Guerra Civil de Espanha, Figueirenses perdão ?
e divagando, como sabes em pleno século V I I I, os Fenícios, vindos
do Líbano e das margens do mediterrâneo, atravessaram Gibraltar,
povoando algumas recônditas praias desde a foz do Guadiana ao Delta
de Aveiro, passando, principalmente, por (os agora) Sines, Setúbal,
Lisboa(absorvidos), Peniche, Nazaré (Pederneira - Cós) Buarcos e Aveiro,
incluindo a maioria das povoações que beijavam, o Delta do Rio Vouga !
logo, meu amigo, raízes deixaram, como é óbvio !
,
Meu querido Amigo,
não denigres a Nazaré e o seu Mar, (hehehehehe)
Os Pescadores, meus Pais e Avoengos, seriam privilegiados, se
desfrutassem de um Porto de Abrigo, o Botas não gostava da Nazaré, a
Praia era dos Pescadores, de Novembro a Maio, de Junho a Outubro,
“os Senhoritos” tinham a primazia, um primado que nunca percebi . . .
Os Pescadores ? “os pés descalços ? não dignificavam a socialização …
Meu querido,
A Nazaré desoladora ? uma Terra de contrastes logo Cosmopolita,
de Janeiro a Dezembro, dezenas, largas, de Línguas aqui são faladas,
quando quiseres és meu convidado e vamos “assentar” os Idiomas,
Ventos ? Tempestades ? Trovoadas ? Mar Bravíssimo ?
A Nazaré, está protegida, pelos ventos e marés predominantes,
Os Ventos ? apenas sopram “bons ventos” á terra amada !
Tempestades ? ameaças de Amor , simplesmente !
Trovoadas ? Santa Bárbara é uma Nazarena adoptiva !
O Mar ? ah o mar,
O Mar apenas assedia a Nazaré,
A Nazaré sabe e Canta
,
De tão longe veio o mar
Embalando uma sereia
Dizendo sempre a cantar
Pacto terno nessa areia
Saltando da proa a ré
Crianças ouvem cantar
Encanto que vem do mar
É canto, é Nazaré,
(in - de um amigo)
,
Daniel,
Aguenta é apenas defender quem amamos.
E se insistires, luto até contra o - TEU/MEU FADO –
Porque o Fado surgiu na Saudade dos nossos Marinheiros
In – Fernando Pessoa, Porém não era Português . . .
,
O Fado foi-nos trazido,
Por um Árabe foragido,
Vindo numa Caravela,
Com uma guitarra trinando,
Uma viola acompanhando
Nunca se ouviu trova tão bela !
,
Abraço amigo, do sempre amigo,
José Casal
*


,

poetaeusou . . . disse...

*
LUZ
,
Luzido me senti, com a tua visita.
é minha amiga, medos e sofrimentos,
fazem parte dos meus caminhos, eu
chamaria, veredas, atalhos, carreiros, trilhos,
e quando se tornam intransitáveis, teremos que ter outras opções, nas encruzilhadas,labirintos e emaranhamentos, que nos deparam !
,
celestiais conchinhas,
deixo,
*

Daniel Costa disse...

Caro Amigo

Não me soube expressar bem, Sei da ancestralidade da praia e da região. Que segundo julgo ser do meu conhecimento, a paia de pescadores é que veio a ter formação mais recente, por pescadores vindos mais do norte. De resto, conheço a praia e a ambiência e a admiro, maia a partir no Natal de 1974, em que o cenógrafo e pintor, Abílio de Matos e Silva, criou os selos postais comemorativos, desse ano, com base no traje na Nazaré de que era admirador. Os selos foram premiados em Veneza, com o Prémio Aziago, para o melhor selo religioso desse ano.
Como nasci em Peniche (Bufarda), sinto haver bastante afinidade, tanto assim, que não raro aí me têm falado de familiares meus.
Depois já escrevi, para um revista da Afinsa sobre a Nazaré. Para a mesma revista entrevistei o Prisendente do grupo "Mar Alto" (na qualidade de dirigente filatélico), colectidade que visitei. Já o vira como elento do Tá Mar, a actuar, ao vivo em Miragaia, freguesia da Lourinhã.
Por fim sou um teu adirador, especialmente pelas fotografias do mar da Nazaré e do teu jeito de escrever poesia, onde ela se sente muito.
Numa palavra, sou admirador da Nararé, onde não vou há dois anos.
Um abraço de amizade.

OutrosEncantos disse...

gosto de te ouvir cantar os nossos "sitios" mais pitorescos e lindos, Zé! (lolll, não é que não sabia o teu nome, Poeta...,desculpa lá a cusquice rss...)

e foi essa canção que me disse que o teu poema belo foi um desabafo momentâneo..., essa palavra "desistir" não existe no teu dicionário

beijos e conchinhas, querido amigo.

poetaeusou . . . disse...

*
Daniel Costa
,
Meu caro Amigo
eu apenas quis glosar, simplesmente,
expressaste muito bem e eu bem compreendi,
apenas apimentei um pouco a analise ao teu comentário.
Abílio de Matos e Silva, casou com uma Nazarena, fui(sou) amigo de um
seu, de nome Rui. embora perdesse o seu rasto o que é natural,
desconhecendo se ainda vive em Santarém .
Peniche, 60% dos seus habitantes são, ou, descendentes de Nazarenos,
a nível concelhio é de 40%, logo os Penicheiros são nossos Irmãos,
Lembro-me de algumas Exposições Filatélicas no Salão Mar-Alto, que
a par do Tá-Mar, são os únicos Ranchos 100% genuínos !hehehehehe !
Admirador ? eu sei meu Amigo e que é recíproco da minha parte !
,
Amigo aquele abraço,
Fica,
*

poetaeusou . . . disse...

*
OutrosEncantos
,
Querida Amiga,
,
É, José Casal, simplesmente,
e como sabes, não existem,
cusquices nem desculpas, nestas estradas !
,
Para ti, ofereço-te,
,
gostava de ser
um barco de pedra
rumando empedrado
nos brilhos etéreos,
na rota traçada
vogava poemas
heranças rochosas
em mim deserdadas,
e nas amuradas
das minhas emoções
lavrava memórias
do incauto presente,
suplicando ás nuvens
uma chuvada forte
que lave o vazio
nebulosa, sombrio,
que é o meu desnorte !
,
In-poetaeusou,
,
Etéreas conchinhas,
deixo-te,
*

OutrosEncantos disse...

humm :)) e vaidosa eu fico com o teu poema lindo, Zé ;))
'brigada :))
levo-o comigo.

beijo.

Graça Pereira disse...

O vazio deixa sempre uma angústia...seja em que situação for.
Mas os sonhos de amor desfeitos...podem renovarem-se a todo o momento. Basta esperar pela maré cheia.
Parabéns pelo poema, pela imagem e música. Uma "praia" linda!
Beijo
Graça

poetaeusou . . . disse...

*
OutrosEncantos
,
Amiga,
É merecido, merecidíssimo, direi !
,
conchinhas surfando, deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Graça Pereira,
,
Paira no ar,
o perfume das tuas palavras,
marés cheias renovadas,
atestando os vazios !
,
Um mar de conchinhas,
*