abril 11, 2012

"Natalei" num 19 de abril, de um passado ano !

natividade
companheira(o)s destas estradas,
hoje de nada eu vou falar/comentar,
nem prosar, nem “poemar” nem “gramaticar”
porque nasci, expirei, foi em pleno Abril,19,
e o meu traumatismo começou (8) dias antes.
durante a novena (9 meses) á agua me adaptei,
dessas águas ainda não rebentadas, rejeitado fui,
não quero falar, hoje não digo nada, porém penso,
porque teria que sair do portal, no qual eu entrei ?
mas como não sei quem sou, nem de onde vim,
não quero falar, nem opinar, fico calado !
não, não vou divagar as minhas dúvidas existenciais,
não quero saber do que me meteram na cabeça e as
origens disto tudo, o verbo, o nascimento, o Adão sem
parra, a costela roubada e a Eva da maçã ou pêro mofo,
do paraíso, do éden, do pentateuco ou os cinco rolos
das escrituras, achadas cheias de bolor, no mar vermelho,
quero lá saber dos livros de todas as religiões, até do meu
livro de cheques, sem tecto nem telhado, me interessa,
o que diz o génesis ou não, da tora e da bíblia, do manitu e do
búfalo sentado, do alcorão e do bin laden, vindo do capital
e o mesmo capital afrontando, do escolhido dalai lama e do
João Garcia a escalar o himalaia para lhe pedir um autógrafo.
olimpo ? quero lá saber se o zeus era o pai e dono da
minerva, minha irmã e deusa da sabedoria, hehehehe, da hera
protectora das mulheres, do casamento e do nascimento, o que
me faz pensar; Portugal gostará dela, da gaia, a mãe-terra ?
saber do apolo ? os alunos de ? da dança, da musica, da poesia ? 
e que o dionísio e o baco passem a vida a ver quem bebe mais,
quero lá saber, da vénus e da camila, o carlos que saiba eu não,
da amaterasu japonesa, da hindu ambika, tetis e até da selene,
deusas ? sei lá, o que sei é que a afrodite era do adónis, e o
eros não comia ostras, o resto é conversa fiada, tangas, tretas . . .
não me interessa o jorge amado, se a gabriela tinha sapatos ou
não, da Wilma dos orixás, iemanjá ou inaê, nas sereias, nas musas,
nas ninfas e se o poseidon esteve exilado na ilha dos amores . . .
estou farto, do aquilino, lobo antunes, rómulo x gedeão, do
pessoa, espanca, sophia, agostinho da silva, natália, nemésio.
redol , das bocas do marcelo, das desbocas do medina, que o
tó costa queira imitar o sampaio e que o santana “surripiasse”
a misericórdia do meu amigo e misericordioso padre melicias,
(um abraço para o Pe.Victor, extensivo ao Dr. Pedro) não quero
saber da ronca da júlia pinheiro, com ou sem nevoeiro, da dicção
da fátima lopes, dos trapinhos do goucha, e das pernas arqueadas
da cristina ferreira, ora toma para não gozares com os outros . . .
estou fartíssimo do picasso, matisse, degas, da vieira, do almada,
do van gog, do miguel angelo, da paula rego, do gilex que é
da minha terra, do mário botas, que também é, do dáli e dáqui,
pôrra para a globalização, para liberalização do mercado e da
troyka que me chupa, e dos nossos banqueiros, angolanos feitos,
do camilo lourenço, zé gomes ferreira e do cavaco que não cavaca
com o coelho de passos de tartaruga, aguenta Pedro ! e do seguro
inseguro e sem seguros que o salvem, não vás ao mar tonho !
do jerónimo, dançarino em 24 camarada em 26, avante, sempre,
e do louçã, tresandando a caviar, hehehe, com baptismo na
freguesia da Dona Maria, onde começou, voltaste “lá”, meu ?
da filosofia do sócrates, que de filosofo grego, passou a aluno não
conseguindo imitar o senhor professor bochechas na sorbonne,
zenha, quantas voltas de gozo já deste no caixão ? e repisando,
do coelho coelhando na relva do relvas (como está meu primeiro)
e o gato Gaspar, gasparando a troika, numa solução final, que não
seja á de 1939/44 e da nossa presidente, assunção esteves (sexi),
do jerónimo das rumbas (avante camarada) dos portas da direita e da esquerda, ditosa mãe que deu á luz a anti-dualidade, do semedo, ainda dás consultas ? do louça, o m. brand com a tua voz   e a apolónia, dos verdes ... verde ? madura e bem, com tantos anos no hemiciclo…
não quero falar do abramovich do chelsea que bem nos tramou
e copiou os 5 por cento do calouste gulbenkian, putin, este lixou-te .
quero lá saber do karl marx , a viver á conta do capital do engels
cujo livro (o capital) me enganou bem enganado, ou não . . . é, é.
e o nobel ? que arrecadou mais euros, com ecce homo, na boca
de poncio pilatos e nas variações de nietzsche, do que todas as
igrejas cristãs, além dos 125 trabalhadores do diário de noticias, é.
quem é esse gajo? perguntou o paulo futre, boa, na boa que estás.
quero lá saber dos nossos mil cantores, do fedor das televisões
e dos gatos fedorentos (vivó benfica), do bocage e do aleixo, do
farta discos do zeca afonso (a morte saiu á rua num dia assim)
até do almada estou refarto, - morra dantas, morra pin, pin - !
pin, pin, raio de som para uma bala, irá viver com um torpedo ?
farto estou das otas e contra-otas e dos TGV para as berlengas,
quero lá saber de mim, o que sou e serei, donde venho e para onde
irei, para o psiquiatra ? talvez,  mas perguntarei, o meu ser será ?
serei o ser do meu ser ? sou a existência do haver no mistério do
existir ? sendo o meu eu, como sou outro ? se sou o que nunca fui,
se vou ser o que já fui, o que eu agora sou ? sabem ? nem eu, e
como não quero saber, hoje não digo nada, e não disse … pronto .
palavras e foto:poetaeusou

21 comentários:

São disse...

Fascinada! Encantada!

Sem capacidade para te dizer quanto te admiro, mais à tua prosa e à tua inteligência!

Abraço de parabéns ,muita amizade e alguma invejinha( ai, como eu gostaria de escrever assim!!!)

Filó disse...

É Poeta...e assim, não dizendo nada, se diz tudo...
Excelente prosa.

Beijinho

Fa menor disse...

E viva la VIDA..
e a loucura!

Bjos

Daniel Costa disse...

Poetaeusou

Que soberdo desfile de tanta gente e silêncio. Bem podias também citar Maria Guinot, que ao piano cantou: "e troco a minha vida por um dia de ilusão"!
Vai um abraço então!!!

Lilazdavioleta disse...

Que de hoje um ano estejamos a ler um texto com esta envergadura .

Eu quero , e muito .

Beijo especial ,
Maria

Duarte disse...

Não querendo dizer nada desabafaste bem...

Isso, Zé, querem fazer-nos enlouquecer.

Abraços de vida, para contrariar

mundo azul disse...

_______________________________

...imagine se dissesse...

Adorei a sua viagem por todos os recantos dos registros que nos impingem, desde que nascemos... Um excelente monólogo!


Beijos de luz e o meu carinho...


__________________________

elvira carvalho disse...

Há gente que quando quer dizer tudo, não diz nada. Quase todos vão para a politica. Outros há que não querendo dizer nada, dizem tudo. Quase todos são homens de letras.
Bom e depois de tudo isto ficamos a saber que na próxima 5ª feira é o dia do seu aniversário.
Um abraço e bom fim de semana

Lilá(s) disse...

Excelente a tua prosa poeta! valeu pelo desabafo...
Beijinhos

:.tossan® disse...

Melhor não falar nada. Basta ler o que você escreveu para me deixar feliz. Abraço

elvira carvalho disse...

Amigo voltei para agradecer a sua visita ao Sexta. E esclarecer uma coisa relativa ao plano Marshall.
Tudo o que eu escrevo naquele conto além da vida do Manuel, que é de conhecimento próprio já que o Manuel foi o homem que me deu a vida e eu não alterei nada nem sequer os nomes, obedece a aturada pesquisa como já disse uma vez. E em todas elas eu descobri que Portugal anunciou ao mundo a sua recusa ao plano Marshall em Setembro de 1947, precisamente ano e mês que nasci. Mas essa recusa durou apenas 1 ano.
Por exemplo Maria Fernanda Rollo,
Análise Social, vol. XXIX (128), 1994 (4.°), 841-869

diz:

"De uma inicial atitude de rejeição do auxílio, formalmente
anunciada em Setembro de 1947, as autoridades portuguesas viram-se compelidas
a solicitá-lo precisamente em Setembro do ano seguinte."

Um abraço e Bom fim de semana

Enigmático Byjotan disse...

Para mim é tudo descobrimento que absorvo com encanto.Abraço do agora leitor.:-BYJOTAN.

GarçaReal disse...

Encantada com a tua prosa,pois emana inteligência.

Não dizendo nada, dizes tanto mas tanto....

Adorei. Ler-te foi fascínio.

Parabéns.

Bom fim de semana

Bjgrande do Lago

LUZ disse...

Olá José,

Como sou Professsora de História e de Língua Portuguesa, e se o tivese que avaliar, dar-lhe-ia 20 valores.
De facto, a sua cultura geral é tão abrangente e tão ironicamente rica.
Fala desde política, telivisão, descobrimentos, futebol, religião, afinal, quotidiano histórico com um à vontade impressionante, mas de raiva, talvez desilusão, SOLIDÃO.

Julgava que era homem de poucas palavras, afinal, dentro desse peito há muito para libertar, sair e ser ouvido.

ESTOU PRONTA A OUVIR TODOS OS SEUS DESABAFOS.

Ficará mais leve, porque nem sequer nos conhecemos e a NET pode ser um anjo ou um demónio, mas não tema, porque eu não sou nem uma coisa nem outra, sou MULHER.

Um abraço de estima.

Amor feito Poesia disse...

Muita coisa que ontem parecia importante ou significativa amanhã virará pó no filtro da memória. Mas o sorriso (...) ah, esse resistirá a todas as ciladas do tempo.

Caio Fernando Abreu


Feliz e abençoado Domingo e beijos meus! M@ria

gota de vidro disse...

Um texto fantástico para o poeta do mar e do amor que afinal além de poemar também sabe prosar.

Adorei

Bom domingo meu amigo

Beijinho da Gota

Maria disse...

Meu amigo poeta não querendo dizer nada abriu a sua alma em desabafo. Em poesia ou em prosa, sempre brilhante.
Bom domingo
Beijinhos
Maria

Baby disse...

UAU!!!!fiquei sem fôlego com tanta arte e engenho, não esquecendo umas gotas de loucura nesse mar de sapiência!

Um abraço.

OutrosEncantos disse...

eheheheheh!...........
que fantástico, Poetatués!

não sei dizer como foi, mas....
li sem respirar...
ri à gargalhada...
saltaram-me os olhos de espanto...
e até chorei...
terminei num sufoco!

fabuloso.
o teu melhor poema.
dificílimo de escrever.
parabéns, adorei!

beijo e abraço carinhoso.

Marlene Maravilha disse...

Nem quero saber quem és. És poeta e pronto. isso basta, mas nem tanto!
Excelente retrospecto. Um pouco surreal e louco? Talvez sim talvez nao. O que vale é a sequencia dos fatos e o interior é real e verdadeiro, nao importa quem sejas, afinal. Gostei de fato!
beijooooooooooooo

Sandra Zelly disse...

Poetaeusou,
... passei por passar, porque também
a existência da essência, por vezes briga com a minha real estrada, mas fiquei extasiada com a Sua, é bem "o infinito do Limite", mas também, se me dá licença "o Limite do infinto" dos que como eu o admiram na Sua vasta cultura cinzelada em filigrana de sabedoria e amor pelos Outros, embora esteticamente camuflado!
Parabéns ao 19 de Abril, de um passado ano!, que trouxe até nós aquele DIVINO (ser ou não ser), que entrelaçando as palavras, não sabe nada, porque a magnitude do tudo lhe está intrínseca !
Bem Haja e Boa Noite.