março 01, 2010

- - - - - - - - - - - - - - - - - - no langor do vento norte.


na esquina do vento sul
vejo o mar encapelado
vagas de dédalos sombrios
desígnios emaranhados
encrespando o meu olhar,
sinto o áspero sudoeste
requeimando a lucidez
despudorados braseiros
limitando o pensamento,
quero o cheiro das nortadas
 convertendo os temporais
em tormentas de prudência,
vendavais de dignidade
de aglutinadas verdades
cultivando a liberdade
no langor do vento norte.
poema e fotos: poetaeusou

62 comentários:

Baila sem peso disse...

Na música, meu amor, meu amor
vejo a maresia em seu fulgor
sinto toda a beleza na cor
em vento que do sul ou do norte
queima a pele da verdade
e trás o rosto de ansiedade
em que beleza é certeza...
e certeza não tenho de nada
a não ser que o mar é brisa amada
e se zanga com a terra
quando a ela, doendo se entrega...
ah, mas quando faz as pazes...
tanto de que juntos são capazes!

meu beijo
boa semanita

Sonhadora disse...

Meu amigo
Lindissimo poema...neveguei nas belas palavras.

Lindoooo

Beijinhos
Sonhadora

Ana Martins disse...

Sem palabras... Sublime!

Beijinhos,
Ana Martins

SAM disse...

Lucidez, prudência, dignidade, verdade, liberdade... Belíssimo poema, poeta!

Beijos e ótima semana.

lita duarte disse...

Poeta,

Majestoso é o mar...
Palavras vibrantes.

Beijos.

Filó disse...

Magnífico poema...
Vagas de palavras acertadas e prudentes...
Poeta lindo, lindo... e comovente este vídeo !

Beijinho amigo

Cildemer disse...

Amigo poeta,
a música arremessou uma onda do mar da Nazaré que me inundou os olhos, e o poema fez-me voar nas asas do vento norte!

***
Beijinhos*******

Multiolhares disse...

Pois eu nas vagas do mar, vejo a escultura da vida, dias calmos que habitam nas pessoas ou a sua selvajaria nas raiva atiradas na areia desprotegida, muito podemos aprender com o mar,
beijos nossos

Fernanda disse...

O mar deve estar mesmo muito encarpelado e o vento Norte é gélido.
Nestes dias o mar enfurecido assusta, mostra toda a sua pujança, espuma-se de raivoso, qual fera!
Mas...mesmo assim é belo, como o seu poema.

Abraço,

Mariazita disse...

Belíssimas imagens do mar encapelado, que assim fica ainda mais bonito.
"vendavais de dignidadede aglutinadas verdades cultivando a liberdade " - só isto seria suficiente para tornar o teu poema sublime

BeijOOOcas
Mariazita

Justine disse...

O mar anda zangado com os homens, amigo. E a terra também. Valha-nos a poesia...

Fernanda disse...

Olá
Agradeço a sua passagem pelo meu blogue e pelo elogio à minha linda princesa.
O poema é lindo!

Uma boa semana
Um abraço
Fernanda

Canduxa disse...

a tua esperança é a minha também
liberdade,
dignidade....
os teus poemas são sempre um grito,
que lanças no mar encapelado
chegando até aqui.

beijinhos para o amigo e poeta

gotadevidro disse...

E como precisamos dessas tormentas de prudência,desses vendavais de dignidade, tão ao largo deste nosso país....

Uma boa semana e desculpa a ausência.

Espero não sofras também do que está no novo post...:):):)

bjitos da gota

Daniel Costa disse...

Poetaeusou

Nas esquinas dos ventos, podem espreitar sempre tormentos, que o poeta observa para descrever com dignidade um certo mar.
Abraço
Daniel

Oliva verde disse...

Obrigada pela tua visita.
Que o temporal traga a liberdade, que as ondas do mar nos deixem sentir a igualdade. O cheiro a maresia far-nos-á, então, muito bem!

segredo disse...

E como é bom ver e ouvir o mar...
Beijinho de lua*.*

Iana disse...

Caro e doce Poeta amigo...

Em suas ondas velejar
me leva neste enquanto
no doce banlanço do mar...

Grande e terno abraço caro Poeta amigo, muito tempo que cá não deixava nada, pois minha vida tomou um rumo que achava eu dificil de retornar, mas, cá estou para em teu mar muitas conchinhas encontrar...

Beijos com carinho e a amizade de sempre.. rosa amiga
Iana!!!

sonho disse...

O mar encanta de em toda as suas formas...
Beijo d'anjo

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
ai se o nada fosse tudo
o mundo seria diferente
nivelando toda a gente
exceptuando uma minoria
que nos suga dia a dia
esfomeados, sem parar
por isso vamos sonhar
que ainda somos capazes
com fulgor e sempre audazes
em segurança, contudo !
,
Olha saiu . . .
,
Conchinhas,
,
*

GarçaReal disse...

Também na tua esquina de vento sul o mar está encapelado, talvez na espera da bonança, talvez num querer louco de o transformar no langor do vento norte...

Magnifico este teu poema

Pilipares muitos para a linda

Bjgrande do Lago já com saudades

poetaeusou . . . disse...

*
Sonhadora
,
Grato, fico,
,
Conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Martins
,
agradeço
a uma ave sem asas
que sabe voar . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
SAM
,
desnudo
me senti . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
lita duarte
,
o mar imenso,
faz vibrar
o nosso olhar !
,
Conchinhas mareantes,
Ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
feliz fiquei
com as tuas palavras,
obrogado,
,
Jino,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Cildemer
,
És a rainha das praias
Amante do pescador
Amor não escondas o amor
No amor das sete saias
Vistosas no dar a dar
Elas são ninho de amor
Mas se a dor vier do mar
Ao fará que vem traidor
Barcos no mar
Redes alar
Peixe a saltar
No mar de esperança
Lota a tocar
Quem quer comprar
Para a Nazaré
Canta a bonança
Lá lá lá lá
,
Conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
Luna
,
o mar
na sua linguagem gestual
é um grande Mestre . . .
,
beijos nossos,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fernanda
,
Amiga,
,
o enfurecimento do mar,
é apenas um mero aviso,
não quero ser importunado, grita,
e nós respeitamos,
recolhendo aos cais de abrigo,
aquando no mar,
admirando a sua beleza,
quando estamos em terra firme .
,
conchinhas mareantes,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Mariazita
,
a liberdade
tem a força das marés,
onde a dignidade
ruma nas brisas serenas .
.
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Justine
,
é,
a poesia é a grande ponte
entre as margens da humanidade .
,
conchinhas poéticas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*

Fernanda
,
gratificado fico,
,
um mar de benquerenças
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Canduxa
,
vamos gritar em nuíssimo,
apelando aos homens dignos .
,
um mar de jinos,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*

gotadevidro
,
não,
Joanetite aguda, não .
e o engraçado,
em cinco (5) ocorrências,
já fracturei nove (9) ossos
(alguns em “duplicado) srsrsr
sempre nos membros inferiores,
sabes, que em sessenta dias no
máximo, estavam consolidados
não deixando danos colaterais e
prontos para novas adversidades ?
,
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Daniel Costa
,
tormentos
são simples lamentos
na vontade de mudar os ventos.
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Oliva verde
,
nas asas do nosso querer
chegará a Liberdade .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
segredo
,
o mar é um Hino
á Beleza !
,
conchinhas mareantes,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Iana
,
minha amiga,
feliz me sinto,
com as tuas palavras,
como bem sabes,
a vida é uma luta constante,
e para se atingir o bom porto
a perseverança é urgente . . .
,
conchinhas coloridas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sonho
,
o mar,
é um sonho !!!
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
GarçaReal
,
Amiga
,
os ventos
já nada dizem . . .
,
pilipares para a lindinha
no Lago com jinos mil,
,
*

helia disse...

"Vento e Mar ", ponto de partida para mais um lindo Poema!

Baila sem peso disse...

...saiu e muito bem...
sem olhar a qualquer porém...
tanto aqui como do outro lado
agradeço as tuas palavras
que são belas e soam a "fado"
de um tudo e nada que se lavra...
e na poesia se semeia a semente
para adoçar a vida da gente :)

beijinho na tarde que vai sombria
que já a noite parece que anuncia!

Fa menor disse...

tormentas de prudência,
vendavais de dignidade

boas coisas a desejar!

Bjos

Lilá(s) disse...

O mar da Nazaré sempre a inspirar este poeta, MAGNIFICO poema.
Bjs

poetaeusou . . . disse...

*
helia
,
srsrsrsrsr,
sorri, ao ler-te,
em tempos de crise,
dizemos aqui no burgo:
Mar e Vento
é meio sustento . . .
,
brisas serenas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
e aqui o sol brilhou
solarengando a Nazaré
na subida da maré
embalado na conchinha
esperando pela tardinha
como quem anuncia
vou declamar poesia
e até o Mar se calou !
,
brisas nocturnas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fa menor
,
grato amiga,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lilá(s)
,
Ai Nazaré
Deixa-me embalar o mar
Deixa-me embalar o mar
,
Conchinhas,
,
*

utopia das palavras disse...

Do vento a norte
sempre espero
mudar a sorte
do meu povo...!

Palavras bonitas (as tuas...inspiradoras!

Beijinho

FERNANDA-ASTROFLAX disse...

QUERIDO POETA, ADOREI, NÃO TENHO PALAVRAS PARA DESCREVER TANTA BELEZA... CADA VEZ MAIS INSPIRADO, TU ESTÁS MEU AMIGO... ABRAÇOS DE AMIZADE E CARINHO,
FERNANDINHA

Ana Isabel disse...

Que lindo!..Que lindo!!

Escreves tão bem!!!


Um abraço

Ana Isabel

Duarte disse...

Furiosas de espuma,
de poeirada branca;
estendem-se na praia,
infatigáveis,
as ondas.

Um grande abraço, amigo Zé

Ana disse...

Na esquina, entre os dois ventos, a liberdade que o mar dá! Nem temporais , nem tormentas, lhe retiram poesia, muito pelo contrário!
Um beijo para ti, Poeta.

RETIRO do ÉDEN disse...

«vendavais de dignidade
de aglutinadas verdades
cultivando a liberdade
no langor do vento norte.»

Lindo se se concretizar...por ora vamo-nos contentanto no sonho/ilusão, no langor do vento norte...
forte abraço
Mer

poetaeusou . . . disse...

*
utopia das palavras
,

o vento mudará,
como sempre . . .
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA-ASTROFLAX
,
linda
contente fiquei !
,
Conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Isabel
,
ruborizado, fiquei.
obrigado,
,
brisas serenas,
ficam,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
e no vai e vem das marés,
espraiam nos nossos olhos .
,
abraço
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
vamos cantar liberdade
nas praias dos vendavais . . .
,
cantantes maresias, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
RETIRO do ÉDEN
,
Mer
outros ventos virão,
nas nuvens da dignidade .
,
maresias reconfortantes
ficam,
*

Ana Paula disse...

Na esquina do vento norte viste um mar encapelado, que de vez em quando se zanga com a terra... Adorei o maravilhoso poema e essas fotos maravilhosas que o teu olhar registou nessa praia maravilhosa.
ADOREI!!!!
Jinhossssssss

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Paula
,
amiga
as tuas palavras,
sabem-me ao mel
de puras flores do campo,
trazidas pelas obreiras abelhas !
,
conchinhas,
,
*