fevereiro 17, 2010

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Cinzas da Tristeza



nas cinzas da utopia
os pingos da frustração
amanhecem na angustia
entrelaçando os chuviscos,
é quarta-feira de cinzas
acabou a fantasia
das euforias sem suporte
e no espaço do tempo
intervala a ilusão
do fogo-fátuo efémero,
as asas da madrugada
trazem a agonia das sombras
mascarando a realidade,
começa o carnaval da vida
no fogo do desengano
restando a inquietação
de pardacentos rescaldos
reacendendo os noctívagos
no estrebuchar dos cantares,
eu . . . desponto as alvoradas
assumindo as cicatrizes
no despertar dos vazios.
poema e fotos: poetaeusou

66 comentários:

Delirius disse...

Poeta, se são as cinzas da tristeza é porque ela te morreu!!!
Detesto ver-te triste!
Assumir as cicatrizes, sim, é o passo a dar para a frente!
Tomara ver-te de novo feliz, amigo!

Beijos!

Multiolhares disse...

Há quem diga que a vida são 2 dias e o Carnaval 3, eu diria que a vida é um Carnaval, um disfarce constante nas pessoas que não aceitam que esta ténue passagem possa ser mais do que fantasias.
Quarta feira enterra-se o Carnaval e das suas cinzas renasce a vida carnavalesca

Beijos nossos

Sonhadora disse...

Meu amigo
Lindo poema...das cinzas algo renascerá.
Muito belo.

Beijinhos

FlorAlpina disse...

São precisas queimadas...
Para devastar "euforias"...
No sombrio das cinzas...
Renascem madrugadas...
Entrelaçando realidades mascaradas...
Enganos...
Na sombra dos chuviscos...
...
Bjs dos Alpes...

Mariazita disse...

Já carnavalámos tudo, é tempo de recolhimento e reflexão.
Há que afivelar de novo as máscaras que depusemos por três dias, as tais de palhaço, que usamos o ano todo.
Algum dia o Homem andará de "cara nua"???
Gostei do poema. Muito realista.

Beijinhos
Mariazita

Confesso disse...

Do carnaval sobram as cinzas, no entanto é dela que surge a radiante Fenix... A vida renovada, energizada, pronta para novos desafios...

Beijos renovados... Sempre!

Ana disse...

É engraçado ia para dizer o mesmo da nossa amiguinha que a vida são dois dias e o Carnaval três:-).Tanta folia, tanta ilusão, tanta magia, e a partir de hoje tudo muda novamente.
Pronto e lá volta tudo novamente à vida normal (estes dias para mim foram iguais acredita, só me diverti com o disfarce do meu neto, porque o da minha "flor" de seis mesinhos, ficou pendurado no armário. Fica para o ano se tudo correr bem e ainda lhe servir:-)

O maravilhoso poema retrata a realidade, adorei!!!

As cicatrizes da vida temos que as assumir é uma verdade, mas vamos viver felizes sim?:-)

Jinhossssssss,
Ana Paula

Secreta disse...

Cinzas , será o ditar de um fim?

Cildemer disse...

"é quarta-feira de cinzas
acabou a fantasia"
Amigo poeta, a fantasia nunca acaba!
A vida é um vasto palco onde nos movemos com nossas máscaras e fantasia que raramente ou nunca deixamos de lado:)

***
Beijos e estrelinhas mascaradas e sorridentes*******

Fa menor disse...

E agora é tempo de mergulhar no interior de cada um de nós e reconhecer essas cinzas que somos...
mas depois cuidar do visual, das vestes, da higiene toda. Renascer.

Bjos

Baila sem peso disse...

...e nem sei que te diga, meu amigo!
as cinzas da tristeza, contigo...
não quero! Levanta teu astral
carnaval é todo o dia afinal...
foram só três dias de intervalo
lá no cimo até anjos enfeitaram o seu halo...
nas asas brancas da madrugada
veio inquietação depois do "vermelhão"
agonizando o corpo na angústia
fazendo chorar a vida do coração...
mas só hoje!´tá bem? na nova alvorada
quero ouvir tua voz de novo
despertando do vazio
aquecendo quem tem frio...
fica meu sereno desafio!...
Vou tentar acompanhar
a tua alegria voltar
já que a quarta-feira
está cheia de cinzas à sua beira...
vamos beijar os outros dias!!!!

Com tua poesia em sã alquimia!

Meu beijo deixa sempre companhia!

helia disse...

Poema e Fotos lindos e adequados a esta 4ª Feira de Cinzas
O Carnaval passou , a animação e euforia destes dias passados também, mas tenhamos esperança e ânimo para ultrapassar as dificuldades que surgem na Vida.

Lilá(s) disse...

Amanheceu com a augústia, acabou a fantasia...é hora de regresso aos papéis, á burocracia ao stress ao ritmo doido do dia a dia...sobra esta poesia que mesmo com "cinzas de tristeza" aconchega.
Bjs

Nilson Barcelli disse...

As cincas são sempre tristes.
Ainda assim, é melhor uma alegria efémera do que nada...
Poema e fotos muito bons. Parabéns pela qualidade.
Abraço.

Filó disse...

Poema triste e carregado, no amanhecer de quarta feira de cinzas..
Mas das cinzas se renasce e se desponta para a vida,sem máscaras, sem utopia e desenganos..
O carnaval de fantasias e das máscaras terminou, mas o da vida real, esse, continua e oxalá se possa ouvir e vêr sempre o "vermelhão", a cor dos corações vivos, das pessoas que se amam, fazendo de cada dia, um dia diferente..mas positivo.

Lindos vitrais...
Poeta, beijo amigo

poetaeusou . . . disse...

*
Delirius
,
amiga
tristeza não tem fim,
felicidade sim,
assim escreveu o poeta . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
e o Carnaval
recomeçou . . .
,
beijos nossos,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sonhadora
,
esperamos que sim . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FlorAlpina
,
e vamos viver
dentro do possível,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Mariazita
,
o Entrudo é um hiato,
do carnaval da vida . . .
,
brisas serenas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Confesso
,
a mitologia grega,
chama Fenix ao Sol,
morre ao fim da tarde e
renasce ao começo do dia.
,
brisas renovadoras,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
alterando o Ary,
Carnaval é quando
um homem quiser,
srsrsr,
,
Conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Secreta
,
Cinzas,
é um partir do nada . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Cildemer
,
é estranho
o palco da vida,
com a anual repetição,
dos espectáculos.
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fa menor
,
vamos mergulhar amiga,
no visual da inteligência .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
e como tu ordenas,
vamos “alquimiar” a alegria ,
,
renascidas conchinhas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
helia
,
é isso . . .
vamos transpor os escolhos,
que nos atormentam !
,
Conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lilá(s)
,
as agruras,
do dia a dia espera-nos,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Nilson Barcelli
,
Grato fico,
,
tudo que é efémero,
terá que ser vivido
com intensidade,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
amiga
sonhar é fácil, logo
facílimas são as utopias,
,
o Carnaval está ao nível do
natal, Ano Novo e Aniversários,
em que nos repetimos de boas
intenções até á exaustão . . .
,
marés de carinho, deixo,
,
*

carmen disse...

Lindo poema!

Grande realidade! O Carnaval é uma utopia e muitos se arrependem depois de fazer o que eles mesmos não gostariam... ou pelas consequências não tão alvissareiras.

bjs pós carnevalescos, realistas

Maria disse...

Lindo texto- um pouco triste -
beijos pra ti,
poeta-que-es

Duarte disse...

Encheste este espaço de cores e belos dizeres. Gosto imenso.

Que vitrais, quanta luz!

O verso fala a sério, até agora a pecar, e agora a penar... é assim a vida: mas tu até o dizes muito melhor, querido amigo.

Um grande abraço

Ana disse...

Poeta, hoje estás triste? Sinto a falta do azul do teu mar!
Um beijo grande.

Hellag disse...

belos vitrais, profundas palavras...realço esta parte "desponto as alvoradas
assumindo as cicatrizes
no despertar dos vazios"...belas muito belas, quase cruéis!

RETIRO do ÉDEN disse...

Quando era criança... chegada a 4ª.feira...queria continuar a brincar o carnaval. Custava-me entender porque cessava esse divertimento assim de uma hora para a outra.
Tudo tem um tempo...de viver e de morrer...neste caso de interiorizar e "trabalhar" o tempo da comunhão com DEUS.
Façamos uma boa comunhão connosco e com ELE.
Bonitas fotos e poema.
Forte abraço
Mer

gaivota disse...

que lindos vitrais! gosto imenso!
mas olha cá, não estejas triste...
para o ano há mais! à moda da praia, porque carnaval é o ano inteiro! inxentes e corsos, sempre, a toda a hora!
pilipares ensaiados...

Daniel Costa disse...

Poetaeusou

Acabado o dom carnaval, ninguém leva a mal que fiquem apenas silêncio e sombras. Um óptimo poema, mas ambiente sombrio.
Abraço
Daniel

GarçaReal disse...

No terminar da folia aparece a realidade encapuçada em dias de espairecer.
Tempo de meditação, de introversão...

belo poema....

Desculpa a ausência. espero breve retornar, pois não esqueço a amizade.

bjgrande do Lago

poetaeusou . . . disse...

*
carmen
,
é amiga
vamos na onda,
e quando vem a vaga boa,
reparamos que
não temos prancha,
,
Conchinhas,
,
-

poetaeusou . . . disse...

*
Maria
,
é triste
chegar a quarta-feira
e reentrar no Carnaval . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
Pelos vitrais da capela
entrava a bênção do céu
Passavam-se os meses...
tempo corria
E todas as vezes que eu via
a Maria sozinha e menina
Dizia-lhe assim: Maria da Luz
Tu és para mim o sinal da cruz,
da cruz pequenina .
,
lembras-te ?
.
um abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
amiga
reentrámos no
entrudo da vida ,
.
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Hellag
,
amiga
e cruéis . . . são,
,
Conchinhas,
,
-

poetaeusou . . . disse...

*
RETIRO do ÉDEN
,
Mer
Estou a ser sintético,
mascarei-me á politico
com roupas velhas e um
saco azul ás costas,
não sei qual foi o deputado
que me viu, só sei que estou
com 40 graus de febre desde
a madrugada de terça-feira .
srsrsrsr,
,
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

-
gaivota
,
tom a morreri,
jánavejo o Sr. dos Passos,
,
Pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Daniel Costa
,
Jardim distante e deserto
Sinto tão longe e tão perto
O passado que te ensombra
Devaneio, irrealidade
Silêncio, sombra, saudade
Saudade, silêncio e sombra
,
In-teresa Tarouca,
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
GarçaReal
,
introspecção meditativa,
ausente de nós, como povo . . .
,
carinho e amizade
na forma de pilipares,
espraiados no lagoReal,
deixo,
,
*

Teresa Durães disse...

nunca gostei assim tanto do carnaal para ficar triste

CarlaSofia disse...

começa o carnaval da vida...
numa única frase, a verdade.
beijo
~universosquestionáveis~

poetaeusou . . . disse...

*
Teresa Durães
,
é
o que não sentimos,
não nos faz “ mossa”
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Carla Sofia
,
pois,
o Entrudo
que nos manipula . . .
,
conchinhas,
,
-

utopia das palavras disse...

Antes da cinza
incandescência
foi luar
um corpo a vibrar
uma vida a viver
da cinza...
de nome tristeza
a singela certeza
do voltar!

Beijo, poeta

Canduxa disse...

pois...
cinzas são cinzas!
não esquecer que é possivel renascer das cinzas
olhar o novo dia
cantar
e celebrar.

meus beijinhos renascidos,
para o poeta

poetaeusou . . . disse...

*
utopia das palavras
,
Cinzas
Renascidas
Afogueadas
Vividas . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Canduxa
,
a cinza do teu olhar,
tem odor a hortelã,
entre as brumas da manhã
perfumando o meu acordar.
,
conchinhas,
.
*

poematar disse...

Das cinzas, renasça a alegria solar. Tudo de bom, amigo.

uminuto disse...

nas cores destes vitrais a cinza torna-se nada
um beijo

Isabel José António disse...

Caro Amigo Poeta,

Belo poema, um pouco triste, mas belíssimo. Parabéns.

Quando se anda iludido o dar-se conta dessa situação trará a tirsteza consigo.

Bem aventurados os poetas que fazem dos estados de espírito, rimas e catigas.

Um grande abraço

José António

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Aqui sempre é um belo lugar para ficar.
Um bom final de semana poeta.

poetaeusou . . . disse...

*
poematar
,
e,
o braseiro solar,
o sal da vida,
,
saudações,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
uminuto
,
vitrais,
o silencio mensageiro . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Isabel José António
,
amigo,
vamos “metaforando”
enquanto os ventos deixam . . .
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

-
MARTHA THORMAN VON MADERS
,
fico honrado
com a tua visita,
,
conchinhas, deixo,
,
*

Desnuda disse...

Poeta, maravilhoso. O carnaval da vida... É verdade!


Carinhoso beijo

poetaeusou . . . disse...

*
Desnuda
,
um Entrudo,
que só para no Carnaval,
,
conchinhas,
,
*