novembro 05, 2009

>>>>>>>>>>>>>>>>>tapo e destapo<<<<<<<<<<


vagas quebrando beleza
sigo o silêncio
da minha voz
ouvindo a culpa
desta insistência,
tapo e destapo
as minhas mãos
em sintonia
com a sinfonia
gesticular,
que ri e chora
nas partituras
entre o solfejo
do meu sonhar.
poema-fotos-video:poetaeusou

76 comentários:

Ana disse...

Seguir o silêncio da tua voz, ao encontro da música das ondas!
Um beijo, Poeta.

EDUARDO POISL disse...

Tudo muito lindo, Imagens perfeitas e um belíssimo poema.

Te desejo uma semana linda com muito amor e carinho.
Abraços com todo meu carinho.

FOTOS-SUSY disse...

OLA POETA, MAGNIFICAS FOTOS, O POEMA ESTA BELISSIMO...ADOREI O VIDEO...VOTOS DE UM EXCELENTE DIA AMIGO!!!
BEIJOS DE AMIZADE,


SUSY

Marlene Maravilha disse...

E como sonhas lindo meu amigo!!!!
As fotos sao divinas! como sempre!
É tudo tao bonito que nao há novidade!
Beijos e um dia de glórias!

Sonia Schmorantz disse...

Devíamos seguir nossos silêncios, são sábios, são poetas também...
Um abraço

gaivota disse...

não nos vimos... mas parece que estávamos no mesmo sítio à mesma hora...
não fiz filme, mas muitas fotografias
de resto já sabes...
mas a minha voz não se calará em solfejos de vida em partituras musicadas...
piliparessssssssss

Val Du disse...

Poeta

O silêncio quer ouvir e sonhar.

Que belo poema. Que belas imagens.


Beijos.

Ofarol disse...

Poeta

Falar, muitas vezes para quê?...se o "Silencio é de Ouro"...
Este poema é de uma "musicalidade" magnifica, quebrado pelo som das ondas "enrolando na areia"... da nossa querida praia.

Um abraço Poeta.

Lena disse...

Poetaeusou,

O silêncio a beira mar,
ouvindo a sinfonia do mar
as ondas enrolando-se na areia.

O mar esta bém bravo,
que lhe aconteceu Poeta ?
foi mudança de lua ?

Um beijo !

Clara Margaça disse...

Acena-me e sorri
por entre a chuva miudinha
que vem presentear a
nossa noite;
corre e enlaça
a tua mão direita à minha esquerda,
e caminharemos juntos
rasgando o amanhecer,
protegidos pela mais forte pelicula:
esse sentimento tolo.

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
ecoa a tua voz
no silencio das falésias,
,
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
EDUARDO POISL
,
o carinho das tuas palavras
derrubam todas as fronteiras
que nos obstam á concórdia,
que deve existir
entre a humanidade,
,
bem – hajas, deixo
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FOTOS-SUSY
,
grato, amiga,
enviando marés
de amizade.
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Marlene Maravilha
,
sonhar
é glorificar o divino . . .
,
conchinhas coloridas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sonia Schmorantz
,
quantas das vezes,
o silêncio grita
para além do mar !
,
brisas serenas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
á Miga,
parecias a
Helena Roseta na
entrevista á rádio Nazaré !
,
também és
“variadôra da Cambra de Lisboa” ?
,
pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Val Du
,
imagens
são poemas visuais,
,
Conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ofarol
,
companheiro,
,
o som da revolta, que
quebra de quando em vez,
perante a beleza da nossa terra,
,
saudações, amiga,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lena
,
talvez com saudades tuas,
o que prometeste ao Mar
quando, no cantinho e a sós,
passavas horas a falares com
os seus olhos, as marés ?
srsrsrsr,
,
brisas de mar bravo,
nas grandes marés de Outono,
deixo-te,
,
*

Sol da meia noite disse...

Voz, que em silêncio, entoa inquietação...

Jinhos amigos * *

neide disse...

O silêncio as vezes nos fala tão alto... e que cenários perfeito para ouvir a nossa própria voz.

Poeta, seu cantinho continua lindo.

Bjsss

poetaeusou . . . disse...

*
Clara Margaça
,
serei tolo
enlaçar a chuva
e roubá-la á foz
dos meus pensamentos ?
serei tolo
agarrar as nuvens
com as mãos ventosas
e soprar entre os dedos
as tuas palavras.
tolo, serei ?
,
embaladas conchinhas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
Inquietação
é a prudência do porvir . . .
,
amigáveis conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
neide
,
os teus elogios,
são um perfeito cenário.
,
olha para a minha modéstia,
srsrsrsr,
,
Jino,
,
*

Inês disse...

Ah, quanto mar de repente!
Gostei desse espaço, poeta!
Muito prazer e um abraço!

Iana disse...

Meu amigo Poeta...


Como é bom estar de volta
ver teu mar
sentir a brisa passar

Ouvir as ondas e
mergulhar nas águas
do teu imenso
Mar...

Saudades de tiii caro amigo e admirável Poeta...

Beijos da rosa amiga que deixas flores por aquiii

Iana!!!

helia disse...

O Silêncio é de ouro...Lindos o Poema,as Imagens e o Vídeo

RETIRO do ÉDEN disse...

Tapo e destapo...
Tem algo a ver com "a face oculta"?

Agora a sério...esse mar está a ficar um espectáculo de bravura.
Os versos como sempre uma delícia.
...Mas quando li o tema ainda sem ler o conteúdo das palavras...só me lembrei do que se fala por aí...

Coitadinhos...como é que se pode ser tão injusto para quem tem sempre a(s) consciência(s) tranquila(s)?!

Forte abraço
Mer

rosa dourada/ondina azul disse...

Silêncio poemado,
com deliciosa música celta!


Maravilha!!!


brisas suaves te deixo,

Filó disse...

A voz do silêncio é por vezes o grito necessário para nos fazermos ouvir...
Mas o gesto é tudo e em sintonia se faz sinfonia de sentimentos, com lindas fotos e magníficos videos que acompanham o poema.

Poeta,muito bonito.
Um beijo amigo

neli araujo disse...

Poeta amigo,


A primeira foto (sigo o silêncio)é apaixonante!

Eu nem sei o que comentar...tão belo poema...juro, fiquei sem palavras...

Um abraço amigo,

Neli

poetaeusou . . . disse...

*
Inês
,
e de repente,
o Mar se desfaz,
espraiando, no areal,
renovando-se na espera
das tuas visitas,
,
conchinhas espraiadas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Iana
,
que saudades, amiga,
irei redimir-me !!!
mergulhando nas minhas faltas,
rosadas conchinhas,
deixo-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
helia
,
como a beleza do nar,
,
conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
RETIRO do ÉDEN
,
oculta ?
é tudo á vista . . .
,
bendito mar,
onde descanso
o meu olhar . . .
,
deliciosas conchinhas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
rosa dourada/ondina azul
,
um violino no telhado
do . . . Mar,
,
maresias musicais,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
Feliz me sinto
sorvendo o mar
olhares desejosos
rasados de cobiça
impulsos busco
nas amarras conjugadas
projectando o meu silêncio
,
conchinhas sinfónicas
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
neli araujo
,
vindo de ti,
ruborizado fiquei,
,
grato amiga,
,
gritantes conchinhas,
te envio,
,
*

Pó de Estrela disse...

Poeta das minhas estrelas...

Às vezes o silêncio é tão ensurdecedor, que mata a música da alma e abafa o bater do coração!

Gosto do silêncio molhado de uma pocinha na praia, onde o mar deixou o seu abraço!

Deixo-te um abraço também, cheio de estrelinhas do mar.

Lídia Borges disse...

Belo poema ditado pelo silêncio, ao som dos murmúrios do mar. As imagens ilustram-no na perfeição.


Um beijo

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

E esse silêncio ao som do mar paralisa qualquer pressa!

até mais.

Jota Cê

gaivota disse...

á repá... da cambra de lisboa??? daqui da nha'ldeia, um dia!
olha as cores do povo...
piliparessssss
depois quero lá ver-te a ti!

poetaeusou . . . disse...

*
Pó de Estrela
,
amiga
no próximo post
ofereço-te um vídeo,
(videado hoje),
onde o mar,
num ballet de poalhas
encenadas pelo vento,
faz das ondas rios,
deslizando ao longo do areal,
formando pocinhas
do teu contentamento !!!
,
espumas musicais, deixo-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lídia Borges
,
e quebrar das vagas
em brados de altivez,
ciciaram os meus espantos .
,
brisas serenas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
~*Rebeca e Jota Cê *~
,
no marejar das marés,
ecoam bélicos silêncios,
,
Saudações,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
sabes a ultima mês de abril ?
a Tania do Nelson,
"teve" uma menina !
"telemova ó Nelseeee"
,
pilipares,
,
*

Duarte disse...

Elas também sabem aproveitar a energia solar...

Palavras e sons outonais, sempre agradam.

Um forte abraço

Baila sem peso disse...

e violinos soam no ar
e mulher celta a cantar!
as marés de lua cheia
nas ondas que vêm enfeitiçar
em ti, alma doce se enleia
ri e chora teu solfejo,
cantas a tua sinfonia
e versejas o verbo A(MAR)!
uma culpa, de beleza
que no silêncio fazes falar!

beijinho nesse mar que hoje bravo
tem uns acordes, sabor a cravo!

SAM disse...

A culpa quebra a beleza dos sonhos.A alternância das emoções são as notas que traduzem as partituras deste solfejar. Lindo, poeta!


Carinhoso beijo

São disse...

Mais um post lindooo


Tens uma hortense para a lapela deste teu espaço.

Se aceitares, obrigada.

Uma serena noite.

tossan® disse...

Regendo a sinfonia do silêncio...Abraço

Ana disse...

Maravilhoso!!!
Acho que deves seguir o silêncio da tua voz, ao som da música que ouvi nesse vídeo fantástico das ondas a quebrarem na poraia.
Continua a escrever, os teus sonhos, que no teu silêncio se fazem ouvir.
Desejo-te um dia muito feliz!
Um beijinho com "salpicos" de espuma dessas ondas,
Ana Paula

gaivota disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh ês de agoste, vou mandar massage... fixe! pá semana vou lá dar-lhe um beijinho ao vivo!
bigadaaaaaaaaaaa
pilipares

uminuto disse...

quantas vezes sigo o silêncio...e este trouxe-me até este mar. em silêncio admiro as imagens e prendo o meu olhar no encanto da segunda
um beijo

Daniel Costa disse...

Poetaeusou

Façamos silêncio frente ao areal e às gaivotas silenciosas.
Escutemos o imaginar do poeta, ficaremos com um cenário de encantar.
Abraços,
Daniel

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
amiga
,
no mínimo,
dá-me energia física . . .
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
são cravos
as vagas agrestes
que na praia, prestes
irradiam beleza
é a mãe natureza
que nos quer enlear
e no verbo a(mar)
tornar-nos seus escravos . . .
,
srsrsrsr,
,
búzios soantes, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
SAM
,
é problemática
a alternância no amor . . .
,
srsrsrsr,
,
amigáveis conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
amiga
sabes que sou avesso
aos selos e nomeações,
não sou contra . . .
como democrata que sou,
vou aceitá-lo e fixa-lo no
meu post, durante 24 horas,
como sempre faço,
,
Conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
tossan®
,
e no silencio
está a voz certa . . .
,
Abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
Amiga
,
salpico o olhar
com a maré-cheia
inundando a areia
pianando emoções
tocadas canções
de hinos ao mar .
.
salpicadas conchinhas,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
olha
ontem vi um rio
atravessar o areal.
logo vou postar-lo,
,
nâ á terra hemá praia,
,
pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
uminuto
,
o silencio do mar
são mensagens vigorantes.
.
brisas serenas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Daniel Costa
,
amigo
o teu comentar
são serenos poemas,
,
um abraço,
,
*

gaivota disse...

á pá... e eu aqui............
daaaaaaaaaaaaaaaaaaa
fico à espera de ver o "rio"
na 4ª estou aí, ao fimd a tarde, entretanto falamos!
beijinhussssssssssssssssssssssssss
pilipares também

Secreta disse...

"Tapo e destapo..." na dualidade dos sentires.

Fa menor disse...

Também sigo por entre vagas de silêncio
.
que me flutua
.
como meio naufrago...

deve ser do tempo

Bom fim de semana

Beijos

Céci disse...

Olá Amigo Poetaeusou!

Eu adoro seguir o silêncio... às veses é quando ouço todos os barulhinhos!

Bjinhos

Céci

poetaeusou . . . disse...

*
Gaivota
.
espera á suleira
do sul . . .
,
Pilipares
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Secreta
,
dualidades que
existem em nós,
,
brisas serenas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fa menor
,
mergulho
no silencio das palavras
com que me brindas . . .
,
Um mar de jinos, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Céci
,
silêncios
são marulhos soantes,
no cantar das marés . . .
,
Jino, deixo,
,
*

Lilá(s) disse...

Poema ou imagens o que é mais belo? os dois claro...
Bj

poetaeusou . . . disse...

*
Lilá(s)
,
claro . . .
que modéstia !!!
,
conchinhas,
,
*

São disse...

Agradeço e , se não te aborrecesm deixa-me dizer-te o que fiz para resolver isso, pois penso como tu: abri um blogue especifico para tal.

Um grande abraço.

poetaeusou . . . disse...

*
são
,
pensei o mesmo,
porém
lembra-me o Sampaio,
em dez anos de PR,
entregou 7.777 condecorações,
a quem merecia e ao contrário.
ao gato, ao cão, ao peixinho,
e ao papagaio da vizinha . . .
esquencendo o senhor policia
que durante os dois mandatos
lhe guardou a casa particular.
,
olha,
estou assim,
deve ser da chuva . . .
,
conchinhas molhadas envio.
,
*