abril 21, 2009

>>>>>>>>> de ali babás ressurgidos<<<<<<<<<


abril de angustias mil

video

deixo rosas vermelhas
de sangue adulterado
deste povo amordaçado
nos espinhos da desgraça,
meus irmãos desflorados
pelos abelhões do mel
que de uma forma cruel
até a seiva nos chupam,
sempre prontos para a liça
imunes a qualquer justiça
ocultam mútuos segredos
sobre o manto da ameaça,
recriando o Abre-te Sésamo
de Ali - Babás ressurgidos.
poema-fotos-video-poetaeusou

56 comentários:

Ana Martins disse...

"deixo rosas vermelhas
de sangue adulterado
deste povo amordaçado
nos espinhos da desgraça,..."

Um poema forte em forma de grito e revolta!

Gostei muito!!!!!!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Efigênia Coutinho disse...

">>>>>>>>> de ali babás ressurgidos<<<<<<<<<"

beleza de versos rosados, avermelhados em meio aos "">>>>>>>>> de ali babás ressurgidos<<<<<<<<<"

Efigênia Coutinho

Sonia Schmorantz disse...

“Nada há de mais poderoso que uma idéia
Que chegou no tempo certo.”
Victor Hugo

Tenha uma semana maravilhosa.
Abraço

Sônia

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Martins
,
um País
de Ali Babás, amiga,
,
conchinhas de estima,
envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Efigênia Coutinho
,
abre-te sésamo,
,
a chave deles, . . .
.
conchinhas de luz, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sonia Schmorantz
,
Julgar-se-ia bem mais
correctamente um homem
por aquilo que ele sonha do
que por aquilo que ele pensa ,
.
In – Victor Hugo
,
Maresias de carinho, envio,
,
*

Mari disse...

Forte!
Significativo e forte.
A rosa tem desta força e delicadeza.
Difícil decifrar.....
*****
Quanto ao que me falastes, claro que é poeta. Foi o que me pediu para perceber? Não tenho dúvidas....é poeta!!!!!

Veja se gosta!

Engana-se quem não vê no arco-íris a fonte de luz.
Lá encontram-se as cores, as mágicas diferenças.
A união e não a divisão.
As cores se unem formando um todo.
Arco-íris.....é luz branca!
Arco-íris, fonte de vida, de esperança, de sonhos, de paz.
Sonhos de menina, de buscar no céu a esperança viva.
Ou de pintar no imaginários meus encantos.
Na diferença das cores estão os irmãos.
Em sua plenitude, a comunhão.

Com infinito amor, mari!
Boa terça, reza por mim.

Maristella.

Filó disse...

Poeta

Belo começo de dia, com um Sol fantástico e Rosas vermelhas, das verdadeiras, daquelas que trepam os muros dos quintais, não são de cetim....

Poeta, Meu ABRAÇO, amigo sempre

Carla disse...

rosas vermelhas em Abril...coincidência hoje também cantei Abril!
beijos

São disse...

Abril, sempre, mas partilho a angústia do teu poema sentido.

Meu querido , agradeço-te sinceramente a profundidade da mensagem que me ofereceste em 21 de Abril!

Bem hajas!

GarçaReal disse...

Se eu fosse mar recebia tuas rosas
Vermelhas envoltas em beleza
Fecharia os olhos no momento de singeleza
Para não sentir os espinhos dolorosos
Que se cravam em momentos tenebrosos.

Tuas rosas são belas...Que haja algo lindo em nossos corações em alturas de decepções.

Lindo poeta de sempre

Ler-te é ser alguém...

2 anos volvidos...Tu sempre presente

OBRIGADA

Um bjgrande do Lago bem especial pelo que és.

Sol da meia noite disse...

E aqui cantas abril...
Em vermelhas rosas...
Cujas pétalas libertam...
Aroma de angústia...

E as rosas continuam a florescer, num abril por acontecer.


Um jinho amigo *

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Entre o que vejo e o que digo,
entre o que digo e o que calo,
entre o que calo e o que sonho,
entre o que sonho e o que esqueço,
a poesia.
Desliza entre o sim e o não:
Diz o que calo,
cala o que digo,
sonha o que esqueço.
Não é um dizer: é um fazer.
É um fazer que é um dizer.
A poesia se diz e se ouve: é real.
E, apenas digo é real, se dissipa.
Será assim mais real?

(Octávio Paz – México)

Desejo uma semana iluminada, com muita paz e amor.
Do amigo
Eduardo Poisl

Juani disse...

pues yo me las llevo, pues es mi flor preferida.
se nota,
se siente,
el 25 de abril
ya esta presente
saluditos

Teresa Durães disse...

um povo amordaçado, pois é. teremos o que merecemos?

utopia das palavras disse...

Outros caminhos
te viram
Com outros olhos
te roubaram
desventraram-te
mas tu vais
porque é sangue
verdadeiro
a tua cor...!

Beijo, poeta

lilás disse...

Poema sentido, e com encanto...
levo uma rosa,posso?

Multiolhares disse...

Abril e todos os meses do ano,
estão feitos em mantos de espinhos, que nem a suavidade das pétalas das rosas aliviam o sangue jorrado do coração que quem se quer sentir um pouco de gente mas até o trabalho que paga o pão, os abutres lhes roubam das mãos.
beijos nossos

Justine disse...

Isto hoje por aqui está mais telúrico, mas não menos poético:))

poetaeusou . . . disse...

*
Mari
,
gostei imenso do teu post,
,
Metamorfoseando
,
a vida é um arco,
irisado
na plenitude do olhar
nasce do pó ao pó torna,
brancos são os sonhos
que a nossa imaginação pinta,
aguarelas de esperança,
como o horizonte
que perto, além fica,
quando dele nos aproximamos.
é como dizes . . .
vamos mesclar as várias cores,
entre irmãos, em plenitude,
,
rezarei,
conchinhas de luz, envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
São rosas senhor,
,
pálidas, diria eu . . .
,
Brisas de paz, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Carla
,
não me digas
que não me compreendes
e não sentes
aquela força nos dentes . . .
,
conchinhas serenas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
Abril não tem culpa,
das rosas sem cor,
e dos
descravados, cravos,
,
a Paz interior
é a verdadeira Paz,
,
vagas de Paz, dou-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
GarçaReal
,
dói anos
é pouco e muito tempo,
desta amizade cimentada
por respeitos mútuos
a amizade, além do mais,
é o apreço que merece
quem nos estima,
,
pilipares
para o grande lago, envio-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
abril desencantado
reformulado
ante um povo . . . calado,
,
conchinhas amigas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
UMA PAGINA PARA DOIS
,
Octávio Paz
Prémio da Literatura – 1990
,
gostei,
,
um abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Juani
,
te ofereço
um rosa
formosa
no Eco
do Umberto
em nome da Rosa,
Mística
a Rosa . . .
,
Rosadas amizades, envio.
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Teresa Durães
,
não tenhas duvidas,
,
conchinhas
,
*

Duarte disse...

Essa Rosa Vermelha!!!
Que veste caminho e quelha,
é a rainha das flores.
E paixão pra muitos amores!

Pelo vento sacudida,
que atiça sem parar.
Como gente d´alma ferida,
rota pro tanto penar…

Ressalta a cor, e a beleza!
fogo, chama ardente,
como povo enfurecido!

Por tanto tempo perdido.
Numa luta desigual, demente!
Pedem justiça, tem pobreza.


Fundido num abraço

poetaeusou . . . disse...

*
utopia das palavras
,
sangue
do cravo esventrado
no sonho roubado
na cor do olhar
e no caminhar
da verdade exangue
,
um mar de jinos,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lilás
,
São tuas as rosas,
Cheirosas, formosas,
,
Conchinhas
,
*

amigona avó e a neta princesa disse...

Que linda mensagem, amigo...e as imagens também! Bem-hajas! Abraço...

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,

Homem que olhas nos olhos
que não negas
o sorriso, a palavra forte e justa
Homem para quem
o nada disto custa
Será que existe
lá para os lados do oriente
Este rio, este rumo, esta gaivota
Que outro fumo deverei seguir
na minha rota?
,
In-zeca Afonso,
,
beijos nossos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Justine
,
poesia telúrica,
srsrsr,
,
brisas amigas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
vermelha rosa
ferida ao vento
triste lamento
rosa chorosa

atiçado espinho
cravando a vida
rota ferida
sem ter caminho

demente flor
de pétalas sedentas
baças sem cor

fogo que não inflama
de brasas lentas
de um povo . . . sem chama,
,
um abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
amigona avó e a neta princesa
,
grato por gostares, amigo,
,
um mar de amizade,
dou,
,
*

Anónimo disse...

"Antes, porém, que vos vades, assim como ouvistes os vossos louvores,
ouvi também agora as vossas repreensões. Servir-vos-ão de confusão, já que
não seja de emenda. A primeira cousa que me desedifica, peixes, de vós, é
que vos comeis uns aos outros. Grande escândalo é este, mas a circunstância
o faz ainda maior. Não só vos comeis uns aos outros, senão que os grandes
comem os pequenos. Se fora pelo contrário, era menos mal. Se os pequenos
comeram os grandes, bastara um grande para muitos pequenos; mas como os
grandes comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem mil, para um só
grande. Olhai como estranha isto Santo Agostinho: Homines pravis,
praeversisque cupiditatibus facti sunt, sicut pisces invicem se devorantes:
«Os homens com suas más e perversas cobiças, vêm a ser como os peixes,
que se comem uns aos outros.» Tão alheia cousa é, não só da razão, mas da
mesma natureza, que sendo todos criados no mesmo elemento, todos
cidadãos da mesma pátria e todos finalmente irmãos, vivais de vos comer!
Santo Agostinho, que pregava aos homens, para encarecer a fealdade deste
escândalo, mostrou-lho nos peixes; e eu, que prego aos peixes, para que
vejais quão feio e abominável é, quero que o vejais nos homens..."

Sermão de Sto António de Pe Ant.Vieira

Abraço

Maria Faia disse...

Que bom passeio pelos ares Nazarenos eu acabei de fazer!
As rosa são lindas mas, o poema que as secunda cal mais fundo em nós.
Obrigado amigo,

Maria Faia

poetaeusou . . . disse...

*
Amigo(a) anónimo
,
antes de descobrir Karl Marx
16/17 anos, já discutia o,
Pe. António Vieira, como é obvio
opinar é contestar e comparar …
quando estava em cima da mesa
o movimento operário, a igreja
progressista e o comunismo,
fiquei conhecido como o “cheiro”
na maioria das citações de Marx,
eu exclamava, é pá cheira a vieira.
E a prova é este sermão feito por
Pe, Vieira, 300 anos antes de Marx,
,
Gostei do Sermão dos Peixes,
Não te quer desiludir mas sei-o de cor
,
A Cegueira da Governação
,
Príncipes, Reis, Imperadores, Monarcas do Mundo: vedes a ruína dos vossos Reinos, vedes as aflições e misérias dos vossos vassalos, vedes as violências, vedes as opressões, vedes os tributos, vedes as pobrezas, vedes as fomes, vedes as guerras, vedes as mortes, vedes os cativeiros, vedes a assolação de tudo? Ou o vedes ou o não vedes. Se o vedes como o não remediais? E se o não remediais, como o vedes? Estais cegos. Príncipes, Eclesiásticos, grandes, maiores, supremos, e vós, ó Prelados, que estais em seu lugar: vedes as calamidades universais e particulares da Igreja, vedes os destroços da Fé, vedes o descaimento da Religião, vedes o desprezo das Leis Divinas, vedes o abuso do costumes, vedes os pecados públicos, vedes os escândalos, vedes as simonias, vedes os sacrilégios, vedes a falta da doutrina sã, vedes a condenação e perda de tantas almas, dentro e fora da Cristandade? Ou o vedes ou não o vedes. Se o vedes, como não o remediais, e se o não remediais, como o vedes? Estais cegos. Ministros da República, da Justiça, da Guerra, do Estado, do Mar, da Terra: vedes as obrigações que se descarregam sobre vosso cuidado, vedes o peso que carrega sobre vossas consciências, vedes as desatenções do governo, vedes as injustiças, vedes os roubos, vedes os descaminhos, vedes os enredos, vedes as dilações, vedes os subornos, vedes as potências dos grandes e as vexações dos pequenos, vedes as lágrimas dos pobres, os clamores e gemidos de todos? Ou o vedes ou o não vedes. Se o vedes, como o não remediais? E se o não remediais, como o vedes? Estais cegos.

in-Padre António Vieira,
,
Um abraço,
,
*

Liliana disse...

Olá.

Das rosas, além da forma, cor, tonalidade e aroma, há um movimento de se desembrulhar, evolutivo, de promessa, ou seja, de sonho, de porvir, cujo objectivo é expor-se ao sol.
Tal como nós, ao sol da nossa alma.

Um bom dia, desta nave terra, onde viajamos no espaço.

Alexa disse...

Grande poeta
descreveu em poucas palavras o nosso 25de abril .
parabéns
um grito de revolta muitos virão atrás
um abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Maria Faia
,
as rosas são tuas . . .
fotadas na Benedita,
penso que na zona industrial,
vi barracões com mau aspecto
talvez desactivados, e as rosas
lindas, pareciam suplicar,
hó Zé, não queremos o Eden,
mas tira-nos daqui, simplesmente,
,
olha vieram para a Blogosfera
e nasceu o Poema, claro que os
Ali Babás, não são de Alcobaça,
eu até sou admirador dos Monges
de Cister, por mais não fora,
pela grande amizade que sempre
demonstraram sobre a Nazaré,
consentindo o Concelho da
Pederneira, apenas com uma
ressalva a Nazaré só ficaria
com uma Fronteira Neutra o Mar,
a Norte, Paredes de Alcobaça
a Leste Alcobaça, a Sul
S. Martinho do Porto, Alcobaça,
e este Mar talvez seja Alcobaça,
,
srsrsrsrsr
,
brisas daqui,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Liliana
,
as tuas palavras rosadas
são petalas esvoaçantes
vozes de aromas cantantes,
harmonias musicadas,
,
um mar de amizade, envio.
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Alexa
,
o 25 de Abril,
é de todos,
é triste que tambem seja,
daqueles que á 35 anos
se servem DELE,
,
conchinhas serenas
te envio,
,
*

mundo azul disse...

_______________________________


Seu poema é bonito, forte, grita um coração inconformado...

Mudam os lugares, mas, a situação é idêntica...
Enquanto homem, o ser humano será sempre a presa fácil da ambição...


Beijos de luz e o meu carinho!

_________________________________

Clotilde S. disse...

Enquanto houver Liberdade...

Beijinho,

Clotilde

tossan disse...

Dos dedos
deste poeta
dedilham
acordes da poesia
sofisticada e bela
que o coração alberga,
mesmo que acabe o dia.
Abraço

Dois Rios disse...

Meu querido poeta

Belo e significativo poema. Aliás, como sempre!

As rosas embelezam, colorem-se de "sangue adulterado", defendem-se com os seus espinhos e entregam-se aos versos de um poeta. As rosas são completas.

Meu terno beijo,
Inês

Adriana disse...

Quetionamentos,nos fazem crescer,talves como rosas cercados de espinhos ,mas ainda rosas!

poetaeusou . . . disse...

*
mundo azul
,
grato
pelas tuas palavras, fico,
,
envio-te marés de amizade,
do tamanho deste mundo azul
que nos preocupa,
,
jinos, minha amiga,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Clotilde S,
,
maus prenúncios, amiga . . .
,
Jinos mareantes, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Tossan
,
Que orgulho sinto
Que abençoada pessoa
Um tossan que ressoa
Palavras que não mereço
E que só agradeço
Porque no que escrevo nunca minto.
,
Um abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Dois Rios
,
quem melhor
do que uma Inês
pode falar de rosas
se conheceu os espinhos
abraçando seus destinos
nestas vias dolorosas
sabendo que os porquês
foi viver um amor maior
,
Um mar de jinos, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Adriano
,
A rosa é tão invejada
Que para se defender
Uma cerca tem que ter
De espinhos reforçada,
,
Conchinhas,
,
*

R.G. disse...

é sempre bom ouvir cantar Abril
até mesmo quem não viveu Abril

Beijo perdido

poetaeusou . . . disse...

*
R.G.
,
Abril Sempre,
,
conchinhas,
,
*