fevereiro 04, 2009

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>meu cativeiro<<<<<<<<<


fito os teus olhos
de verdes algas
mágico condão
da sabedoria
prisão oculta
meu cativeiro
colo encontrado
sonhado abrigo
em ti . . . concretizado

poema e fotos: poetaeusou

74 comentários:

neli araujo disse...

Muito lindo, amigo poeta!

Parabéns!

Conchinhas no teu cativeiro
,
*
,
*
neli

Mai disse...

Bendito cativeiro e feliz da alma cativa que tem a felicidade de poder se ver no brilho de um olhar especial e sábio.

Bela homenagem aos seu
verde-olhar-cativo.


Abraço em ambos.

Multiolhares disse...

Meus olhos de mar, amar,
Te dão esse cativeiro, prisão sem grades,
Onde porto de abrigo se tornam
Em magicas guaridas

beijos nossos

mulher lua disse...

O ecossistema está a mudar rapidamente. Pela cidade do Porto, não bastasse as centenas de pombas gordas que nem vacas, agora centenas de gaivotas passeiam-se e apropriam-se dos varandins... Detesto estas cenas. As gaivotas são necessárias para limpar as praias, não os contentores... Chiça!!!

Veijios ecológicos

Casa da Árvore disse...

A Casa ficaría muito bonita com o som do teu mar, do piar das gaivotas, de conchas a soprarem segredos.

Convidamos-te a ser um operário.

Um beijo

cristal disse...

Poeta

Poema magnifíco!
(é sempre lindo o seu poemar)
Depois...tantas gaivotas assim tão perto...uma delícia!

Um Abraço amigo

Justine disse...

Os teus poemas, sempre bravios e mansos, a cheirar a água salgada!

(cheguei, por aquelas idades, a jogar ao ringue na praia da Nazaré...quem sabe se o Sadi não se cruzou com o Norte, se ele ainda hoje anda por aí, entre as gaivotas! Aceito os serenos pilipares, mas ficaria mais tranquila se soubesse o que é...:))
Abraço ignorante

Codinome Beija-Flor disse...

Ah! Poeta,
Acho que você faz ligação direta com DEUS toda vez que vê o mar e logo em seguida se põe a poetizar.
Abraços

Duarte disse...

Li o teu comentário e opto por replicar aqui. Zé, o bom gosto tem o seu peso específico, não queiras ser tão humilde. Quem sabe sabe. Uma linda maçã, coradinha, está podre dentro. Uma beleza despenteada, com mão magistrais dás-lhe um toque subtil e redobra tal esplendor. è preciso estar no sitio e à hora precisa para que, com a mínima arte, lograr essas maravilhas que nos trazes diariamente.
Logo, com um entorno assim, vem a inspiração e as palavras brotam como flores na primavera, tudo é beleza.
Segue assim, que vais por bom caminho, para deleite de todos os que amamos a natureza e essa terra maravilhosamente bela, que se chama Nazaré.

Aceita amigo, que aquilo que escrevo não é para fingir, é sentido.

Um grande abraço de admiração e gratidão

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO AMIGO ZÉ, HOJE AS GAIVOTAS ESTÃO COMO NÓS TU E EU... SABES QUERENDO O QUÊ???
COLINHO NUM CANTINHO COM MUITOS MININHOS E UMA LAREIRA ACESSA COM A LENHA EM SILÊNCIO A TENTAR OUVIR, APENAS OS NOSSOS SILÊNCIOS... AMIGO!!! UM GRANDE ABRAÇO DE AMIZADE,
FERNANDINHA

MEU DOCE AMOR disse...

Ai colinho bom com miminho!!!!Tão bom e que rico cativeiro.Se o encontaste...há que amá-lo e mimá-lo também.

Um beijinho doce

Perla disse...

Pão e mar...
alimento divinal!

Bjinhos

Eärwen Tulcakelumë disse...

Sempre que aqui venho saio com o coração feliz em ver que a poesia mora em tua alma meu amigo.
Felizes são os teus versos e doce é teu cativeiro.

Pérolas incandescentes de carinho amigo entrego em tuas mãos neste meu retorno.

Eärwen

Sol da meia noite disse...

É bom fitar os olhos que nos prendem... que nos abrigam...

Jinho amigo *

mdsol disse...

sonhado abrigo
é vir aqui
e
ler
e
ver
e
conchinhas
e
tudo!
:)))

mundo azul disse...

_______________________________

Seu poema é um POEMA!

Precioso como o mar...

Quanto às fotos, são belíssimas...A segunda, dá vontade de rolar na areia!
Sobre as gaivotas...Sim! Também elas já se juntam aos carentes...

Beijos de luz e o meu carinho!!!

________________________________

GarçaReal disse...

Na procura de um abrigo sempre se encontra um que se torna uma prisão.
Prisão da alma , prisão do coração...

Um pilipar para o sossego da gaivota

Bjgrande do Lago

Silvia disse...

Aqui, cuidei dos meus olhos e da minha alma. Tenha você um lindo dia!
abraços

silvia

neide disse...

Poeta,
Vim fazer uma visita e acabei gostando de tudo que vi e li por aqui, imagens lindas...

Voltarei, pois já estou seguindo seus passos.

Bjss

gaivota disse...

olha meu amigo, sem condição,
dizes muito bem!!! cála-ta a boca à meu...
aquela cativa, que me tem cativo, que por ela vivo, já nem sei se vivo....
lindoooooooooooooo
recordações de outros tempos!!!
coias de paixões... assim...
piliparesssssssssss

Bárbara disse...

no verde oceanico do teu olhar eu me perdi!!!

Entre "aspas" disse...

No azul do oceano,o verdo do teu olhar de esperança,um real saber da pura felicidade.
Bjs Zita

poetaeusou . . . disse...

*
neli araújo
,
grato, amiga
,
conchinhas libertadoras, dou,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Mai
,
um olhar
que emerge da sabedoria
e penso que saberás . . .
,
Conchinhas de luz, deixo
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
nas grades do teu olhar,
mergulham os meus sentires,
,
Beijos nossos
*

poetaeusou . . . disse...

*
mulher lua
,
Minha Amiga
,
E aquele Hino á Alegria !
Em bailados esvoaçantes
Emitindo gritos sonantes
A traineira acompanhando
O tom de maresia envolvendo
A toda á Nazaré gritando
Estamos anunciar vida,
Com esta sardinha querida,
Em acrobacias voando.
na Gaivota do Alexandre O’Neill !
“Se uma gaivota viesse
Trazer - me o Céu de Lisboa”
Ou na de, Vitorino Nemésio.
As Gaivotas, adulando as Sereias.
Eu vi-as. As Sereias. Nas rochas.
Da minha Ilha., sabes, Vitorino.
As Sereias já não encantam os Argonautas.
Subiram. nos satélites, do Bill Gates
E assediam os Astronautas.
Modernices,. querido Nemésio.
E tu Natália Correia.
A quem te referias, quando poemavas.
A dúvida é só perceber
Se vieste do sol ou do mar,
Ou a Gaivota da “ Utopia do 25 ”?
Da Ermelinda Duarte.
“Uma Gaivota, voava, voava,
Como ela somos livres”
?????????
“Como ela somos livres”
A liberdade não existe, tudo é condicionado.
Se voava, era suposto cruzar o Infinito,
Do escolhos desta vida . . .
E Albert Einstein ?
Onde ele poria a Gaivota
neste seu Pensamento ? …
“ Há duas verdades cientificas
A Estupidez Humana e o Infinito,
Embora quanto ao Infinito,
tenha as minhas duvidas” !!!!!!
,
in-poetaeusou . . .
,
envio-te
Conchinhas de amizade e respeito,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Casa da Arvore
,
quem sou eu
para recusar tal honra ?
,
claro que sim !!!
,
beijadas conchinhas, mando-te,

*

Teresa Durães disse...

olho que nos prendem!

poetaeusou . . . disse...

*
Cristal
,
ruborizado continuo a ficar,
sempre que me visitas.
,
abraçadas conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Justine
,
brisas de recordações,
na maresia das memórias . . .
,
o Sadi e o Norte,
embora noutra dimensão,
estão felizes, por não esquecidos,
,
pilipar
é o som que as gaivotas emitem,
podes ficar serena,
,
conchinhas solares
de (agora) te envio,
,
*

utopia das palavras disse...

Nuas grades
cinzeladas
de espuma
onde cativo
alvoras
no olhar
das tuas...gaivotas!

Beijos, poeta

NickGirl disse...

é um felicidade sen tamanho quando alguém elogia o que eu escrevo...
obrigada mesmo por ler!

Luz no teu caminho

Pitanga Doce disse...

Que bom vê-las a voar assim. E nenhuma com a asa partida.

Bom este teu cativeiro, hein?

Templo do Giraldo disse...

Ora viva amiga boa tarde. Depois de algum tempo de ausência da minha parte passei por aqui a deixar um abraço fraterno, e dizer que que ando "por ai" mas sempre atento as novidades aqui do teu espaço.

SAUDAÇÕES.

poetaeusou . . . disse...

*
Codinome
,
Sabias,
que o mar
é o meu anjo da guarda ???
,
conchinhas em poemas, dou,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
mais confuso fico,
pobre de mim, amigo,
que apenas escrevo o que sinto,
foto apenas o vivo ou o inerte,
que na hora me crie empatia,
tudo gestos simples, triviais,
como o ar que respiro,
ou a maresia que me salga . . .
,
sei que não finges, Duarte !!!
,
um abraço ibérico, deixo-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA POEMAS
,
Ai se os silêncios falassem,
quantas verdades se diriam . . .
,
jinos , fernandinha,
,

*

poetaeusou . . . disse...

*
MEU DOCE AMOR
,
invejosa . . .
não podes ver um rico, com uma
camisola da feira de Carcavelos,
hihihihi
,
jinos em favos de mel,
te envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Perla
,
enquanto vai havendo, amiga,
,
conchinhas em pérolas, dou,

*

poetaeusou . . . disse...

*
Eärwen Tulcakelumë
,
grato amiga
feliz fico com o teu regresso,
iluminaste, este cantinho,
,
incandescentes conchinhas,
ofereço-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
sem duvida, amiga,
quase a roçar a gratidão,
,
um mar de jinos, dou,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mdsol
,
e
conchinhas
muitas
te
envio
coloridas
pela
íris
da
simpatia
*

poetaeusou . . . disse...

*
mundo azul
,
que bom
no fim de uma tarde fria,
ler as tuas quentes palavras,
cheguei á pouco da praia,
não rolei na areia, mas
deslizei sobre ela para o mar fptar
,
jinos e um mar de carinho,
te envio.
*

poetaeusou . . . disse...

*
GarçaReal
,
prisão dos sentidos,
reunidos
na abrigada alma . . .
,
jino da gaivota pilipante,
conchinhas para o lagoreal,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sílvia
,
volta sempre
esta casa é tua,
,
conchinha em abraços, dou,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
neide
,
e uma estrela cintilante
iluminou a minha casa,
obrigado,
,
espero que volte,
,
conchinhas de luz,
envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
quinchentes são esses pariga,
por ondeécandas,
á corriqueira, vai lavar a lôça,
quejá gragulhe tem,
xôu, xôu, . . .
,
pilipares das meninas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Bárbara
,
Verde mar,
mar sereno esmeraldino,
mar bravo de bárbara cor
mar verde, terno, delicado …
,
conchinhas mareantes, dou,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Entre “aspas”
,
felicidade
a esperançada meta
ilusória
por não existir,
porem
o nosso olhar
sorve o oceano
das esmeraldas vagas
ouvindo as marés
no seu marejar,
,
Algas em conchinhas, envio
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Teresa Durães
,
nas grades
da fantasia . . .
,
*****

Marlene Maravilha disse...

Meu querido amigo,
Com este cativeiro todos gostariam de permanecer presos!!!!
Lindo!
beijo

Ana disse...

Coitadas dessa meninas que devem passar o tempo em terra, com este temporal.
Está mau até para as gaivotas...

Com bom tempo ou com mau tempo, as fotos saem sempre bem. Quem sabe, sabe...

Abraço

olhodopombo disse...

quem dera eu
estar enganada,
assim meu coração
flutuaria leve
por cima das nuvens
e meus olhos
não veriam
o peso da indiferença
que caminha aqui
embaixo, na terra...

poetaeusou . . . disse...

*
utopia das palavras
,
gaivotas
de olhar cativo
nas espumas gradeadas
cinzelando as nuas rotas,
,
um mar de jinos, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
NickGirl
,
tu mereces,
,
conchinhas de luz, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
pintanga doce
,
cortaram uma asa á pitanga
pitanga sem asa não pode voar
pitanga sem asa não pode voar …
lálálálá lá lálá
,
cativas conchinhas, envio,
e melhoras, muitas, muitas, muitas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Templo do Giraldo
,
Por aí,
E por aqui . . . já vi . . .
,
Grato pela visita,
Irei espreitar
a praça do sem pavor,
,
Saudações,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Marlene Maravilha
,
preso ás maravilhas
do criador, continuo,
,
conchinhas sagradas, dou,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,

Sofro muito ao vê-las
ás centenas na procura de alimento,
nas lixeiras, a que chamam
aterros sanitários.
,
a crise chegou,
ás gaivotas e ás avestruzes
se parece . . . anda
por aí cada pardal - telhado !!!
,
conchinhas intemporais, dou,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
olhodopombo
,
a terra,
dos enganos
em que a leveza do pensar
é a fonte dos desenganos,
e a floresta é atingida
pelo indecoro de uma arvore
por aqueles que sós caminham
no meio da multidão
e outros sem olhar o céu
tomam a nuvem por juno . . .
,
vistosas conchinhas, deixo,
,
*

Duarte disse...

A beleza está no expressar o que se sente,
e quanto mais simples melhor se entende.

Esses poros tão abertos deixam fluir

expressões dum profundo sentir.

Emoções acumuladas que a mente repele
.
Sensibilidade, a tua, à flor da pele.

Um abraço

mariam disse...

Poeta,
ternas palavras, quem não gosta de um colinho! belíssimo vídeo...as imagens são lindas também.
...estamos mesmo a precisar da Primavera...

um sorriso :)
mariam

tossan disse...

Cativeiro do mar, onde nasceu parte da poesia do poeta. Abraço Amigo

Eduardo Aleixo disse...

Onde não há pão... não há sossego, não.
Olha o sol que vai nascendo
Anda ver o mar
Os meninos vão correndo
Ver o sol chegar.

Menino sem condição
Irmãos de todos os nús ....

--------------
A memória falhou-me. É da noite.
É dos anos. As vezes que isso cantei... E cantarei. Há coisas que não se esquecem.A minha alma não deixa. Junto às esttrelas, mas de olho sempre no irmão que sofre. É assim. Cada um é como é. Que cada um vá pelo seu pé.
---------------------

As fotos estão lindas, Zé. E elas, as gaivotas, o barulho que fazem. São ágeis, leves, de papo branco, elegantes, são como nós, de pés no chão, mas com fome de mar, de onda, de baile, da dança, cantam, gritam, lutam, são como nós, da terra, mas do ar, do vento, como posso, eu, que por vezes voo tão alto, não ver o seu sofrimento, a sua fome?
-------------------------

Boa noite. A amizade de sempre.
Eduardo

LUZIMAR disse...

Olá querido amigo poeta lindo demais as fotos e o poema.

Beijos no coração lhe deixo.

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
há . . .
se a beleza
nas tuas palavras, expressa,
estivesse ao meu alcance . . .
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
Primavera
o começo de um novo ciclo,
que seja tambem, a renovação
das bons vontades, que todos,
no fundo, transportamos . . .
,~
amigáveis conchinhas, te envio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
tossan
,
um grande
abraço, tossan
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Eduardo Aleixo
,
Que nada te falte …
,
Olha o sol que vai nascendo
Anda ver o mar
Os meninos vão correndo
Ver o sol chegar
Menino sem condição
Irmão de todos os nus
Tira os olhos do chão
Vem ver a luz
Menino do mal trajar
Um novo dia lá vem
Só quem souber cantar
Vira também

bairro
meu bairro negro
Onde não há pão
Não há sossego

Se até da gosto cantar
Se toda a terra sorri
Quem te não há-de amar
Menino a ti
Se não é fúria a razão
Se toda a gente quiser
Um dia hás-de aprender
Haja o que houver
Menino pobre o teu lar
Queira ou não queira o papão
Há-de um dia cantar
Esta canção

bairro
meu bairro negro
Onde não há pão
Não há sossego
,
In- zeca
,
Um abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
LUZIMAR
,
o mar reluz
na luz do mar
e no marejar
que o mar conduz
,
um mar de jinos, envio,
,
*

Ana Martins disse...

Caro Poeta,
"...sonhado abrigo
em ti . . . concretizado"

Sublime!!!!

Beijinhos,
Ana Martins

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Martins
,
sublime
a tua perspicácia,
,
jinos mareantes, deixo,
,
*

mulher lua disse...

Adoro o mar em todos os seus estados de alma e, também gosto das gaivotas, mas lá, no seu sítio. Até sou romântica... ah ah ah
Mas vou contar-te um segredo, aqui, que ninguém nos ouve. Só adormeci no cinema duas vezes. A ver o filme "Guerra das Estrelas" e, deleitada, ao som do filme "Fernão Capelo Gaivota"... ah ah ah

E esta, hein?

Veijios encapelados

poetaeusou . . . disse...

*
mulher lua
,
e irás contar-me mais segredos,
confirmar o que me segredou uma
gaivota, que na tua lua, no mar
da tranqualidade, onde as ondas
sáo de poeiras, tu mulher lua,
perguntas ás gaivotas, novas do
mar terreno, onde a musica do
fernão capelo gaivota, envolve o
declamar, da sophia, do torga, do
vinicius, da espanca, do redol,
do neruda, do nemésio, do O'Neill
do E. Andrade, do camões e pessoa,
,
conchinhas de pilipares, envio,
,
*