setembro 01, 2008

>>>>>>>>>>>>>> o que tu quiseres <<<<<<<<<


sou barco parado
sem vento, sem velas
de mastros cruzados,
sou a inércia vestida
gaveta desarrumada
de cómoda, incómoda,
sou o que tu quiseres
tua bússola sem rumo
o teu abraço no cais,
um ombro em espera
de encontrado regaço
poema e fotos: poetaeusou

64 comentários:

Duarte disse...

Em suma,
afecto.
Diria que é isso,
o que pedimos à vida.
Poder ter
um ombro amigo
donde deixar as penas
que afogam o nosso ser,
de angustias...

Que tenhas um bom dia

Abraços

mariam disse...

ainda vim ver a "sua praia" pois sei que ela "renasce" aos primeiros minutos do dia...
afectuosas trocas essas...quem não gosta de colo e abraços? e acho também que as gavetas da sua cómoda estão arrumadinhas... crescer na idade... é bom! quando se foram mobilando bem as nossas assoalhadas(disse um dia Rosa Lobato de Faria)e se arrumaram as gavetas... as tais, de que falei lá num post...
até qualquer dia
fique bem
um sorriso :)

mariam

Sol da meia noite disse...

E não nos sentimos nós barcos parados, quando a vida passa por nós e nos encalha no areal...?
Quando ventos sopram longe de nós, sem nos tocar...?
E não esperamos nós por quem nos olhe, nos dê alento...? Nos mostre o rumo a seguir...?

Beijinho, amigo *

andorinha disse...

Inércia não pode ser, quem oferece um ombro, quem espera no cais com um abraço.
Palavras de Poeta, sentir da tua ternura.
Um beijo.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Poeta, serei tua Sombra, serei teu Sol, serei o ombro amigo onde repousarás a tua cabeça cansada de tanto pensar... Mas, Amigo jamais, estarei por perto quando tiveres grades a retirarem a nossa liberdade... Nascemos nus, mas libertaram-nos do cordam umbilical e seremos pássaros livres para sempre... Beijinhos de muita amizade,
Fernandinha

Chinha disse...

Gostei desta tua espera e entrega absoluta, sem restricções...

Bjitos

tulipa disse...

Continuo tão fascinada
com a tua bela escrita;
partilhas connosco
de uma forma fantástica.
Estás de Parabéns.

Por aqui foi o aniversário do meu bébé André, 2 aninhos.
Também faço referência ao bichinho de estimação dos meus netos.

De resto, continuo VIVA
é o mais interessante.

Beijos.

Multiolhares disse...

Podes ser tudo o que quiseres,
Barco de velas desfraldadas ao vento,
Rumando a porto seguro,
Sentindo as rotas marítimas
Pois isso é viver
Quando começamos a arrumar
as gavetas da cómoda, é sinal
que temos a vida arrumada, a nossa casa
interior segue o rumo certo.
E isso é crescer
Li em um livro à tempos, que temos de ter smpre a nossa casa interior arrumada, e isso passa por sermos bons pais, bons esposos, utilizarmos o amor, o carinho,a compreensão, a compaixão, a paciencia, que na cozinha da vida é uma receita milagrosa.
Quanto aos abraços, ao ombro,
Ao regaço, se já conquistaste
Serão sempre teus

Beijos nossos

daniel disse...

Poetaeusou

Na marina encostei, fico tranquilo, descontraído e o que quiseres farei.
Um abraço
Daniel

gaivota disse...

és o porto de abrigo da tua estrela cativa pela maresia que nos embriaga a todos os amantes desses ares!
olh'as gaivotas aí ao lado...
piliparesssssssss

poetaeusou . . . disse...

*
duarte
,
concordo, amigo
,
pedimos á vida . . . vida
e o ideal seria, que na vida, a
mão humana interviesse menos,
,
Saudações,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
atitude simpática
que agradeço …
dia 5 de Setembro irei, eu,
uma semanita até á Irlanda,
um sonho antigo de ver de perto.
o ponto divisório da luta fratricida
e religiosa , que dura há 2000 anos,
,
continuação de boas férias,
e conchinhas, muitas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sol da meia noite
,
a realidade chegará,
nas asas do vento,
é urgente a nossa atenção,
aquele golpe de asa
que nos indicará o caminho . . .
,
ventado jino, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
andorinha
,
perspicácia . . .
quem oferece não está inactivo,
,
ternurentas conchinhas, envio-te

,
*

poetaeusou . . . disse...

*
fernanda & poemas,
,
fernandinha
.
Quando alguém nasce
Nasce selvagem
Não é de ninguém
,
conchinhas mareantes
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
chinha
,
nas entregas,
nada se espera,
,
búzios sonantes,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
tulipa
,
tenho andado,
um pouco afastado,
no mesmo dia 30 de Agosto,
também a minha matildinha
fez seis anitos,
parabéns ao andré,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
,
luna
,
epilogando
a tua missiva,
a cor da vida
está traduzida
nas tuas palavras,
,
beijos nossos
.,
*

poetaeusou . . . disse...

*
daniel
,
continuares a admirar o belo,
de forma descontraída e serena,
,
um abraço amigo,
.
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
.
ai se eu fosse
um porto de abrigo,
abrigava todo o mundo,
e no cais da amizade,
colocava todos os meus inimigos
os maldosos e os inconscientes,
e tenho a certeza,
que na partida, em maré cheia,
as velas da barca bela,
cantariam hinos ao vento,
nas rotas da fraterniade . . .
,pilipares muitos,
,
*

cristal disse...

Olá Poeta

Hoje venho encontrá-lo numa atitude de "abandono", de entrega, numa dádiva total...
Estarei certa?
Estou aqui, eis-me aqui...
Estarei sempre aqui...
O Futuro acontecerá e a Deus pertence...
"...Sou o que tu quiseres
tua bússola sem rumo
o teu abraço no cais..."
Fazem-me sempre bem as suas palavras que por vezes me obrigam a fazer as minhas próprias refexões....
Vou deixar-lhe um Abraço Azul(como o mar) e pensar:"Let it be"

Um sorriso :)

poetaeusou . . . disse...

*
cristal
,
receptivo . . . talvez,
,
apenas existe o tempo,,
tripartido em,
passado, efémero presente
e inacessível futuro, é só.
,
não te deixes influenciar
por seres irrealistas,
os poetas eu pseudo . . .
,
Let it be – deixo -
.
conchinhas azuladas,
,
*

as velas ardem ate ao fim disse...

Claro que quero!

bjo

poetaeusou . . . disse...

*
as velas ardem ate ao fim
,
- - - vamos . . .
.
conchinhas amigas,
deixo,
,
*

Véu de Maya disse...

puxando os limites avaria-se a bússsola mas ganha-se altitude poética...e humana...o que é muita coisa...vim ao acaso, ou melhor pelo título.poetasou...

gostei.
abraço

Filó disse...

Poeta,

É muito gratificante encontar um ombro, um regaço,
Naquele momento,em que tudo é inércia , nada faz sentido e o rumo parece perdido.
Dar e receber, partilhar,afectos ..
Precisamos, para que as nossas gavetas fiquem bem arrumadinhas , nos nossos interiores , tranquilamente e em paz
Neste seu mar, os ventos vão sempre empurrando e o barco, esse, de velas erguidas , ruma em direcção a este cais.....
Onde nos esperam, sempre estes abraços, sempre bonitos e com esta poesia !!

Abraços, Poeta!

cristal disse...

Venho dizer-lhe em segredo, que sempre fui idealista, sonhadora,mas uma sonhadora com os pés bem assentes na terra...
Diria que lírica q.b.
E que ainda que por breves instantes, necessito sonhar...e "é pelo sonho que vamos"...

De qualquer forma,quero agradecer-lhe o conselho amigo.

Desejo-lhe uma boa semana,com muitas conchinhas e ** do mar.

rosa dourada/ondina azul disse...

De casa arrumada,
gavetas forradas,
assim se começa o Setembro,
assim começa nova época
e o Inverno não tarda...


conchinhas outonais,

Ana disse...

Hoje limito-me a mandar um beijinho a essa menina que não conheço mas será, certamente, a luz dos teus olhos.
Muitos parabéns para ela e para ti.

Abraço forte.

MEU DOCE AMOR disse...

És mesmo o que eu quiser?:))))

Ehehe!!!

Então...então...então...podes ser uma prancha de Surf para eu bailar nas ondas ao som do tilintar das tuas palavras?

Beijinho doce:)

MEU DOCE AMOR disse...

Vim a correr...pode ser mesmo barco.

Perdão

Gerlane disse...

Encontrei-me em teus versos, poeta.

Beijos pra ti!

Serenidade disse...

O barco da vida, de braço dado com os fados que se cruzam...

Serenos sorrisos

Estella Maris disse...

Nossa que lindo! parabéns, não escrevo tão bem assim se tiver tempo visite meu blog e deixe o seu comentário,
bjs meu querido

poetaeusou . . . disse...

*
véu de maya
,
grato fico,
,
para os poetas
(eu pseudo)
não existem limites,
(tu o sabes)
,
mareantes conchinhas ,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
filo
,
ternura
em palavras partilhadas,
molhadas na maresia,
em velas de poesia,
pelos ventos empurradas
na baça bela e segura,
,
búzios sonantes deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
cristal
,
empírica
a minha forma de ver
talvez por eu ser
também um sonhador
dou-te uma flor
gesto idealista
feição realista
com a tua lírica,
,
estrelas do mar te deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
rosadourada/ondinaazul
,
foi em Setembro
que as chuvas chegaram
chuva de estrelas
em forma de morangos
e flocos de açúcar
os relâmpagos desenhavam
instrumentos musicais
as gaivotas voando alto
criavam a ilusão de óptica
que produziam musica
a garotada olhando céu
gritavam em tom de rap
mãinha não quero ir á escola
quero fazer parte das bandas
dos morangos com açúcar . . .
,
rosa dourada,
isto vem a propósito de quê ?
não sabes ? nem eu . . .
,
rosadas conchinhas deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
a minha matildinha,
netinha seis aninhos.
futura fotografa,
,
um obrigado a dois,
,
*

Ana Diniz disse...

O reflexo dos seus versos sobre as águas encheram de saboroso deleite a minha alma...

Anoiteça lá no meu blog...

Beijos, amigo.


Ana

Maçã com Canela disse...

É assim que me sinto nee momento...
Sem rumo... sem vento que me mova...

Um beijo ao meu poeta de sempre :)

Buzios cantantes de prais distantes perdidas algures numa ilha qualquer :) apenas para ti! Escuta!

poetaeusou . . . disse...

*
meu doce amor
,
sabes que sim,
hehe
,
vamos surfar
eu marinheiro sem mar,
na magia da selva
sonhando com o fogo
tu o leão e eu,
,
conchinhas muitas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
meu doce amor
,
ou uma gaivota
a pedais, hehehe
,
buzios sonantes, deixo
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gerlane
,
estou feliz,
por ti, amiga,
,
jinos de amizade, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
serenidade
,
o fado da barca bela,
cruzando o mar das quimeras,
,
serenas conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
estella maris
,
quem não obedece
a uma estrela do mar ?
.
irei sim,
,
conchinhas mareantes, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Diniz
,
irei amiga,
com o maior gosto,
,
grato
,
nocturnas conchinhas, deixo,
,
*

Ana Martins disse...

Poema fascinante.
Adorei,
Beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Martins
,
grato fico, amiga,
não será
a bondade dos tus olhos ?
,
buzios sonantes, deixo-te
,
*

Deusa Odoyá disse...

Olá meu estimadao amigo.

Tú és o nosso leme,
Tú es o nosso porto seguro.
Tú és o nosso poeta , que ilumina os nossos sonhos, iluminando a nossa alma com tanta emoção.
Beijos amigo, e fique na doce paz desse seu poema.

Tua amiga de sempre.

Regina |coeli.

poetaeusou . . . disse...

*
maçã com canela
,
linda
,
não precisas de rumo,
nem de vento a favor,
alem do teu navegar,
o deus dos ventos protege-te,
,
pedrinhas de iodo deixo-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
deusa Odoyá
,
e tu és
a barca bela,
que aporta neste abrigo,
iluminando o olhar
espelhando o nosso mar,
,
espelhadas conchinhas,deixo,
,
*

mundo azul disse...

É um poema bonito e sentido...
Gostei de le-lo!


Beijos de luz e o meu carinho, poeta!

poetaeusou . . . disse...

*
mundo azul
,
grato,
,
luzentas conchinhas, deixo,
,
*

Beijos de luz e o meu carinho, poeta!

Paula Raposo disse...

Gostei!! Gosto de bússolas...

Esmeralda disse...

Como barco parado, sem rumo e bussola descontrolada, ficamos muitas vezes à espera que a oz forte de um marujo capitão nos diga a quantos pés devemos avançar na direção de umporto, ou simplesmente de um mar.
Mas essa voz que existe, não vem, e como um barco parado ficamos num mar de gentes que passam sem nos notar.

beijocas

PILAR disse...

Que lindo!

As genuínas entregas muito nos enriquessem.

poetaeusou . . . disse...

*
paula raposo
,
há algumas sem norte . . .
cuidado . . .
,
jinos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
esmeralda
,
não acorras
ao primeiro chamamento,
sê prudente como a serpente,
,
conchinhas clareadas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
PILAR
,
entregas
são dons sublimes,
,
conchinhas
,
*

Esmeralda disse...

Poeta como te enganas!!
Se o primeiro chamamento for aquela voz que sentes bem dentro, porque não dar-lhe ouvidos???

poetaeusou . . . disse...

*
Esmeralda
,
e porque não
hei-de fazer o que dizes . . .
,
conchinhas
,
*

Esmeralda disse...

Porque não farás o que eu digo...
E que digo eu, Poeta?

poetaeusou . . . disse...

*
esmeralda
,
dar atenção aos chamamentos . . .
que por serem intimistas,
não os queremos ouvir . . .
,
brisas setembristas,
deixo-te,
,
*