agosto 31, 2008

>>>>>>>>>>>>>> desacertos <<<<<<<<<


se fosse o futuro
pincelava a vida
de forma diferente,
reformando o nexo
dispersava a noite
iluminando o sol,
no frígido Agosto
invertia os sentidos
das invernais canículas,
abafando absurdos
de forma abstracta
desacertava . . .desacertos
poema e fotos:poetaeusou

50 comentários:

Sol da meia noite disse...

As imagens são soberbas...
O vermelho que as envolve é como um desejo de vida, desejo envolto no fogo que o consome...
(A minha percepção...)

As palavras... olhas para o futuro pincelando a vida...
É como se trocasses a cor de cada cor...
Isto é ousar agarrar a vida que virá... renovando-a.

Beijinho, amigo *

Chinha disse...

Não sei se a vida poderás pincelar, pois às vezes falham as tintas e os pincéis secam, no entanto tuas fotos têm as mais belas cores da paleta...

Belo...Belo

Bom Domingo

Bjinhos em pinceladas conchinas

Juani lopes disse...

te fallo el flas?
saluditos

Filó disse...

Poeta,

Que bonito e colorido poema,
Num acerto de desacertos,
De vontades e quereres,
Que bom seria, se conseguissemos
Ir pincelando a tela da nossa vida , com as cores que mais gostamos.

Este é um pedacinho de tela , lindo,com cores e músicas do arco iris,
Sabor a POESIA!

Um abraço

poetaeusou . . . disse...

*
sol da meia noite
,
agarrar a vida,
procurando,
novas formas de respirar,
o que nos envolve,
acabar com a dualidade,
fazendo sentir, sentido,
as palavras . . .
é isto . . . na realidade
,
jinos de amizade,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Chinha
,
sabe bem sonhar,
quando sonho sou poderoso,
as tintas e os pinces
em suave e silenciso RAP,
dançam as cores da vida,
em generosa tela, preenchida
pela batida do meu olhar,
,
conchinhas coloridas, deixo,
,
*

Multiolhares disse...

Mas nós podemos pincelar o futuro,
Pois é no presente que escolhemos a cores que poderão dar vida ao quadro futuramente pintado, ainda que esse quadro fique inacabado
São as nossas acções no momento que seleccionam as cores alegres ou triste
Que o quadro da vida se vai pintando.

Beijos nossos

poetaeusou . . . disse...

*
juani lopes
,
são naturais, amiga,
na noite do eclipse,
á quinze dias,
um sol amarelado
cercado por um vermelho forte,
saíu . . . assim,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
filó
,
os dois ao luar
num pedacito de tela
e as ondas do mar
calmas como a noite bela
longe os rouxinóis
em alegre serenata
são como faróis
iluminando a lua de prata
,
In-fado Fernando Maurício
,
coloridas conchinhas, envio-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
luna
,
na vida cabem todas as cores,
cores que em afluxos,
a sua matização é visível,
o que nos permite e á nossa
maneira, sentirmos a vida . . .
,
beijos nossos
,

PILAR disse...

Olá!

Descobri ontem este paraíso, pela mão de uma muito amiga, que por sê-lo, vive o prazer da partilha!

Os desacertos trouxeram-me á memória um texto/discurso de Miguel Torga, que me acompanha desde 1991 e que é para mim uma espécie de oração!

Vou ousar, trascrevendo uma parte que vai ao encontro do sonho e do futuro:

"...É que ser novo não é ter só vinte anos no corpo. é tê-los também intemporalmente na alma, em cada instante rendida ao milagre permanente da vida, e pronta a coadjuvá-lo e eniquecê-lo. é não deixar morrer em nós o íntimo sentimento de que apenas nos foi dada uma oportunidade no mundo, a da nossa própria existência. Que somos nela uma singularidade radical,até quando o não parecemos, e que latejam dentro de nós, incorruptíveis as forças necessárias para o afirmar em todas as idades.
O império desta certeza profunda é que possibilitou a luta que travei em várias frentes ao longo dos anos, e em que estou ainda empenhado, de não desmentir nem degradar a meus olhos e aos olhos alheios a dignidade de vivente assumido, que recusa a rotina, o anquilosamento, a acomodação............................................................
Dar sem pedir, é o único condão dos deuses ao alcance dos humanos."

Vivam os poetas e para sempre as suas palavras!

poetaeusou . . . disse...

*
pilar
,
miguel torga,
o profeta atento . . .
,
«Cá vim dizer aos comprovincianos o que penso da nossa condição. Terá valido a pena? Nos tempos cosmopolitas que correm, já nem o Himalaia defende os tibetanos, quanto mais o Marão os transmontanos! Começo a temer que estejamos no fim da nossa História. Derrubadas as fronteiras, seremos um trago na garganta da Europa. E as fronteiras naturais estão a ruir aterradoramente!»
,
torga-Diário XII-pag. 144-145.
,
conchinhas torganianas,
,
*

São disse...

Desacertos...desacertados?
Face à beleza das fotos , pode ser que consigas o milagre.
Boa semana.

mdsol disse...

Otsog ed odut oa oirártnoc!

Ah! E as cores....quentes...gostei

sahnihcnoc

:))

poetaeusou . . . disse...

*
São
.
nem com a santa da ladeira . . .
que o setembro te traga,
a serenidade outonal,
,
maresias solares, dou-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mdsol
,
seroc setneuq
odnevros so serahlo
setnedra
seralucinac
.
setnans soizub, et-uod
,
*

gaivota disse...

olha amigo eu desacertava os desacertos de gentes que de gente não tem nada!
e mais, não deixava que vissem estas fotos, deste sol e deste mar
que nos invade, sempre!
leitão?, ah oh, depois das petingas
temos que ir ali ao cantinho, em famalicão, ao pé do adro...
vou sair, voltarei em dois dias desta vez
piliparessssssssssssss

cristal disse...

Olá Poeta

..."Se fossse o futuro
pincelava a vida"...
Certamente a vida ficaria mais bela, mais colorida,mais luminosa, impregnada da luz desta imagens líndíssimas...
No presente,consegue partilhar emoções, sentimentos, olhares atentos,que (desculpe agora estou a ser um bocadinho egoísta) me fazem sentir tão bem...
Por isso desde que o "conheço" todos os dias venho visitar o seu cantinho (tenho mesmo que vir!!) ainda que por vezes não faça qualquer comentário...

Obrigada por existir.

Um Abraço e muitos sorrisos :):)

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
vai, miga,
,
e volta bem,
não demores muito,
,
pilipaes
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
cristal
,
farei os possiveis,
para que voltes todos os dias,
,
conchinhas cristalinas, deixo,
,
*

R.G. disse...

desacertos da vida...
se eu fosse o passado...


Adorei as fotografias.

Beijo perdido

daniel disse...

Poetaeusou

Mas nas duas fotografias, o mundo aparece de côr diferente: Dizem ser a variedade que dá alegria!... Não estará qui a confirmação?
Um abraço,
Daniel

poetaeusou . . . disse...

*
R.G.
,
tudo seria diferente ???
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
daniel
,
haverá cores,
haverá alegria,
haverá mundo,
,
duvido, amigo,
,
saudações,
,
*

Ana disse...

Se pudesse acertava imagens e palavras, tal como tu :-)
Um beijo, Poeta.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido Poeta, belíssimas fotos, estou encantada e o poema a condizer... Adorei Amigo!
Fernandinha

Ana disse...

Então andou aí a tua mãozinha a tornar frígidos tantos dias e noites de Agosto???
Isso faz-se?

Gosto imenso desta "Feira da Ladra".

Abraço

Gerlane disse...

Lindas e deslumbrantes imagens! Deixaram-me extasiada!
Adoro a tua ousadia de fazer mágica com os sentidos e as palavras, poeta!

Uma ótima semana!

Beijos pra ti!

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
se eu tivesse a sensibilidade,
de escolher poemas como tu . . .
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
em verdade foi o tempo,
nevoeiros, brisas e
a poalha vencendo o sol,
,
a voz da sara é unica,
que pena as rigorosas éticas,
de todas as religiões,
coartarem a veia criadora,
dos seus seguidores,
como acontece com a sara,
,
conchinhas de amizade,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA & POEMAS
,
grato, fernandinha
,
jino,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gerlane
,
amiga
não exageres,
olha para mim,
ruborizado . . .
,
conchinhas,
,
*

Maria P. disse...

Desacertos em acertadas palavras...
Imagens intensas.

Beijinho*m*

MEU DOCE AMOR disse...

Se eu fosse futuro...

O que faria eu?

Humm...eliminava o passado e o presente para não existir futuro...

Beijo doce :)

poetaeusou . . . disse...

*
Maria P.
,
elogio,
na noite,
,
bj,
h,
*

poetaeusou . . . disse...

*
MEU DOCE AMOR
,
só para eu não o ser ???
,
amigas conchinhas,
,
*

Duarte disse...

Conseguir um equilíbrio...
que bom que seria!
Mas em tudo,
seriamos más felizes.
O tempo ajuda
a viver melhor.

Abraços

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
equilibrismos
da inclinável . . . vida,
,
saudações,
,
*

Esmeralda disse...

Poeta, nem tu, nem eu, nem o senhor do quisoue da praça, ou o médico do hospital somos o "futuro". Mas...
...se quisermos o futuro podemos mudar neste nosso presente aqui tão à mão.

poetaeusou . . . disse...

*
esmeralda
,
és filha do vento e da brisa,
irás para onde o amanhã te levar,
acredita
porque o dia de amanhã
nunca ninguem o viu . . .
,
convence-me o contrário.
eu agradece-te.
,
amigas conchinhas.
envoltas em discussão
onde a luz surgirá,
,
*

The Hazy Looker disse...

E a vida vale a pena quando está repleta de desacertos e se guia pela nossa própria criatividade.

Beijo grande.

Paula Raposo disse...

Adorei este teu desacerto...

Esmeralda disse...

Poeta vamos todos para onde o amanhã nos levar.
A isso chama-se destino.
No entanto, podemos sempre dar-lhe ma mãozinha, livre arbitrio...
Tipo aquelas decisões que deviamos tomar agora e não tomamos e depois quando acordamos no amanhã quase quemorremos por não o ter feito ontem.

poetaeusou . . . disse...

*
The Hazy Looker
,
desde que seja possivel . . .
,
saudações,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Paula Raposo
,
adorei o teu adorar,
,
jinos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Esmeralda
,
tens toda a razão, amiga,
o destino, o que tem que ser,
a sina, o fado . . .
para mim é o acaso,
há decisões pensadas que erramos,
outras sem pensar temos exito ...
a solução ???
sentir os sinais e
agarrar com mãos firmes.
as oportunidades . . . casuais,
,
conchinhas de luz, deixo-te,
,
*

Esmeralda disse...

O que são oportunidades casuais?
São tipos "janelas de oporunidade" que se fecham à minima corrente de ar?

poetaeusou . . . disse...

*
esmeralda
,
sabes
que me vences
no "direito ao contraditório" ?
,
maresias nocturnas,
,
*

Esmeralda disse...

Não, não sei Poeta.
Venço-te, como assim?

poetaeusou . . . disse...

/
esmeralda
/
pela oportunidade
das tuas palavras,
/
conchinhs verdes da irlanda,
envio-te
///