julho 21, 2008

>>>>>>>>>>>>>> talvez um dia <<<<<<<<<


talvez um dia
possa falar de mim
arejar minhas gavetas
espalhando os poemas
entre as frinchas do baú
que por medo eu não abri
talvez um dia
entendas porque razão
a busca da tua ausência
foi presença solicitada
no silêncio transmutado
das sensações confessadas
poema e fotos: poetaeusou

42 comentários:

tulipa disse...

Amigo poeta
Hoje, ao fim de um dia particularmente triste, abeiro-me da janela, neste momento e olhando a lua, as palavras sairam:

Esta noite a lua
chama por mim
Ela sabe como eu gosto
Quando está
em lua cheia
O seu brilho, o luar
Enfeitiçam-me.
Intensamente.
Despertam os desejos
Em mil carícias
Num ritual inebriante
Em que os meus lábios
Chamam por ti...

Beijinhos

gaivota disse...

os poemas das frinchas do etu baú, são como esta gaivota majestosa que fixou residência em cima dese pilar, como que a proteger a patado cavalo do outro...
não vá alguém sacar essa pégada...
mas liberta todos esses passados...
beijinhossssssssss

Multiolhares disse...

O passado é passado
Os silêncios são silêncios
Os segredos são segredos
Mas só quando conseguimos
Abrir o baú tocar em todos os
Detalhes que a vida escreveu
Ler o livro que o tempo guardou
Estamos prontos para
Buscar as ausências das solicitadas presenças
Só aí podemos voar como uma gaivota
Planar sobre o mar sem medo que os ventos
Nos empurrem contra os rochedos da vida

Beijos nossos

poetaeusou . . . disse...

*
tulipa
,
sorve o luar
está linda a lua
espalhando beijos
caindo no teu jardim
óh que beleza
acaba com a tristeza
é tempo de lhe pores fim
entra no barco dos desejos
pode ser uma falua
e rema, rema a cantar,
,
conchinhas de lua cheia
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
o baú
do meu olhar
é como a gaivota a voar
em volta do tal cavalo
assim sendo não me ralo
defender a tradição ?
bem ... pelo sim ou pelo não
vou levar o meu lúlú,
,
pilipares
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
.
o passado é passado
os silêncios, silêncios são
os segredos são segredos ?
assim sendo perco os medos
entrego o meu coração
ficarei mais descansado,
,
beijos nossos,
,
*

Paula Raposo disse...

Talvez um dia...claro. Beijos.

Chinha disse...

Talvez um dia se possa ler o que está escondido no baú da vida, na gaveta dos sonhos, talvez aqueles poemas que ficaram mais colados ao coração.

Fico à espera...

Bjinhos em ti

Boa Semana

poetaeusou . . . disse...

*
Paula Raposo
,
talvez . . .
,
jinos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Chinha
,
vou seguir
o teu alvitre,
acabar com os esqueletos,
fantasmas do meu pensar,
o baú vou arejar
não te farei esprar . . .
,
conchinhas, deixo,
,
*

Carla disse...

...talvez um dia o baú se abra e os medos fujam!
boa semana
beijos

Sol da meia noite disse...

"talvez um dia
possa falar de mim
arejar minhas gavetas
espalhando os poemas
entre as frinchas do baú
que por medo eu não abri..."

Acho que isto acontece a todos nós... existe um medo que nos bloqueia. E vamos adiando, adiando...

O pormenor das fotos... belíssimas!

Amigo, um beijinho *

poetaeusou . . . disse...

*
Carla
,
o passado,
muitas das vezes,
magoa-nos, ferem-nos
muito mais,
do que o presente de então ...
,
"uma mão" de conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sol da meia noite
,
os medos
são tormentos redobrados,
ter medo é precaução,
ter medo é cobardia,
ter medo é calar
para não magoar, quem amamos ...
,
conchinhas preventivas, dou-te,
,
*

Juani lopes disse...

tal vez un dia
yo pueda hablarte de mi
tal vez un dia
tu estes enfrente de mi

saluditos

as velas ardem ate ao fim disse...

bjo

Teresa Durães disse...

nem sempre é fácil falar de nós

WOLKENGEDANKEN disse...

O baú do nosso corazao ..... E preciso abri-lo para o po poder voar e deixar espaco para a vida .......

gotadevidro disse...

Pensamos sempre em tempos de futuro...Talvez um dia.

Belo este teu poema

Sem querer agravar teus problemas passa pela gota :)

beijo e boa semana

Magnolia disse...

Às sete para as cinco, aconteceu a revelação mais curta da história do Edifício Magnólia. Queres espreitar?

poetaeusou . . . disse...

*
Juani lopes
,
espero esse dia, amiga,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
as velas ardem ate ao fim ,
,
outro !!!
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Teresa Durães
,
é por isso,
que os sotãos,
estão cheios . . . de baús,
,
conchinhos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
WOLKENGEDANKEN
,
ai se o coração falasse . . .
,
conchinhas afogueadas, dou-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gotadevidro
,
os tais medos . . .
,
conchinhas sem receio, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Magnolia
,
é para já,
,
conchinhas,
,
*

rosa dourada/ondina azul disse...

Poeta,

Mais um belo poema,
Este do fundo do baú !

Ainda bem que andaste a arrumar gavetas,e lá o encontraste, lol :)))


conchinhas(de férias)

poetaeusou . . . disse...

*
rosa dourada/ondina azul
,
hehehe
,
estava caído,
amarelado,
ao lado do baú . . .
,
um mar de férias, desejo-te,
,
*

São disse...

Fico aguardando esse dia, Nazareno...
Óptima semana.

mdsol disse...

"no silêncio transmutado
das sensações confessadas"
Confesso publicamente: estas e outras fotografias andam a por-me com saudades da Nazaré, onde não vou há muiiiiiiiitos anos!
:)

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
nunca se sabe, amiga,
,
concinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mdsol
,
em agosto, não queiras,
muita gente,
junho e setembro,
são os melhores meses,
,
conchinhas mareantes, deixo,
,
*

Duarte disse...

Talvez um dia use esse funicular...
Sempre que estive por aí, sim ir mais longe o verão passado, fui como sempre pela estrada.

A busca da ausência, por vezes, faz-se infinita...
que com constância se compensa.

Que tenhas um bom dia

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
no sobe e desce
do funicular,
é ver a nazaré
em "camara-lenta"
,
saudações
,
*

ondina disse...

que saudades dessa luz da praia
que aqui chove há quase 3 semanas.
bjs

poetaeusou . . . disse...

*
ondina
,
e aqui nevoeiro, muito,
,
pedrinhas coloridas,
para as meninas,
amanha vou lanchar
com a mamã gaivota,
,
conchinhas de luz, para ti,
,
*

Alice Matos disse...

Como gostaria de estar presente nesse momento... mas esse será momento de poucas almas... Talvez um dia o vento espalhe algumas das tuas folhas ainda escondidas e possa eu pegar um sonho desperto de novo para a vida...
Beijo grande para ti...

poetaeusou . . . disse...

*
Alice Matos
,
farás parte do meu
poético testamento,
serás convocada
nos termos da lei ,
,
conchinhas de estima, envio-te,
,
*

mariam disse...

Suas "gavetas"..."adorei este poema...
diz-me tanto!!!

um sorriso :)

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
gavetas,
ficheiros
do passado,
testemunhando o presente,
,
conchinhas, deixo,
,
*

Ana disse...

Essas carruagens a par, tal como os dois padrões de pedra não estão aqui por acaso...

Ou enganei-me?

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
nada mesmo ...
perspicácia,
,
conchinhas
,
*