junho 23, 2008

>>>>>>>>>>>>>> é salgado <<<<<<<<<<<<<<


é salgado
o som da tua voz
cantando á brisa que passa
é salgado
o sulco dos teus lábios
em palato de maresias
é salgada
a cor do teu olhar
quando aqueces a minha pele
é salgado
o teu encosto
no turbilhão das nossas vagas
poema e fotos: poetaeusou

44 comentários:

Lena disse...

é salagado por tanta lagrima ter corrido para la...
é mesmo lindo esse cantinho poeta, é magico, é subreal.

Foi um fim de semana de canicula, a trabalhar de tarde, foi horrivel.....

Um beijo

Perdido disse...

inspiradíssimo este poeta. como eu gostava de ter uma musa assim salgada!

Sol da meia noite disse...

Neste sal... o tempero da Vida!

Jinhos, amigo

madalena disse...

:)
Pelo menos tens alguém que te tempere os dias...

Bjs :)

Deusa Odoyá disse...

Oi meu amigo e estimado Poetaeusou,
muito lindo esse recanto mágico e poético.
Obrigado por sua visita ao meu cantinho.
Espero que tenhas gostado.
Voltarei mais vezes aqui.
adoro as suas fotos.
beijos da amiga Regina Coeli.

fique na paz.

Pitanga Doce disse...

É salgada a lágrima, mas hoje não é dia dela. Há festa no Porto a noite toda. Nas Fontainhas, os fogos, as sardinhas, os martelinhos me chamam e eu não posso " ire, mas pró ano eu bou".

abraços de São João

poetaeusou . . . disse...

*
Lena
,
lágrimas imitando,
o cantar da sereia,
encanto,
na areia,
no canto, do recanto,
,
conchnhas de verão
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
vórtice salgado,
encosto do teu olhar,
,
jinos em conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Perdido
,
o sal conserva, amigo
e não só o bacalhau . . .
,
saudações
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
madalena
,
mas . . . as noites
começaram a crescer, non,
,
hehehe
,
um jino de amizade
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Deusa Odoyá
,
vou marcar o ponto,
ao teu cantinho,
gosto imenso dos teus poemas,
,
volta quando quiseres,
este recanto tem as
portas escancaradas,
,
fotogénicas conchinhas, deixo-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Pintanga
,
Para mitigares a saudade,
*
És no Porto, S. João
O Santo mais popular.
Há manjericos cheirosos
E lindos balões no ar.
Martelinhos, alhos porros.
Já são velha tradição
P´ra bater nas cabecinhas
Na noite de S. João.
E o cheirinho a sardinha
Sem nada, com broa ou pão,
São a melhor companhia
Na noite de S. João.
*
Foi um dia nas fontainhas
Que a vi falando com umas amigas
Atirei-lhe beijos, elas riram das gracinhas
São coisas próprias das raparigas
E eu voltei, todos os dias a procurei
E soube que ela se chamava Rita
Foi a moça mais bacana que encontrei
E tinha os cabelos presos com uma fita
Maria pitanga, Maria pitanga,
Eu pergunto á multidão
Mas ninguém a viu passar,
Maria pitanga, Maria pitanga, lálálálá,
,
Conchinhas de s.joão
,
*

darlan disse...

belas palavras, deixo-te meus parabéns e meus encantos por cada linha escrita... venha visitar-me no Brasil, na cidade de Belo horizonte, através de meu blog docepoetica.blogspot.com, ficarei demais encantado com sua visita...abraços

Mulher na Janela disse...

o sal dá gosto a tudo. quando escasso, de torpor e negrume o dia. quando em excesso, delírio e alta estação. porque se no ponto certo é enternescido, ficamos muito azuis, sinuosos e plangentes, com conchinhas no ceú da alma.

beijos...

Iara

Som do Silêncio disse...

Lindo...

as velas ardem ate ao fim disse...

salgado como as lágrimas.

bjo

Juani lopes disse...

A pesar de tu salada poesia, tus palabras endulzan mi alma
saluditos

Pitanga Doce disse...

Pois, ninguém a viu passar porque ela não foi. "Bai pró ano! e Bibóó São João das Fontainhas, carago"!

Alice Matos disse...

Sabe a mar...

Beijos para ti...

Chinha disse...

É salgado o sentir as ondas do mar a arrebatar a vida para com ele navegar...

É salgado e doce este teu amor feito poema

Em ti deixo caído um salgado beijo

:)

Multiolhares disse...

è salgada a vida que é temperada com amor

beijos nossos

poetaeusou . . . disse...

*
darlan
,
grato fico,
vou conhecer
teu canto,
,
saudações
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Mulher na Janela
,
salgado de mel,
me senti,
com as tuas palavras,
,
conchinhas amigas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
som do silencio
,
brindado sinto-me,
,
conchinhas
,
*

dona tela disse...

Quer espreitar o projecto do meu novo "profile"?

Muito obrigada, mais uma vez.

poetaeusou . . . disse...

*
as velas ardem ate ao fim
,
a chama das tuas velas,
ardem com os ventos salgados,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Juani lopes
,
na doçura das tuas palavras,
há a magia de "casillas",
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Pitanga Doce
,
eu tambem quero ir,
eu tambem quero ir,
ai eu tambem,
,
conchinhas
,
*

rosa dourada/ondina azul disse...

É salgado como as lágrimas que para lá correram !

O sal, elemento de vida !


conchinhas salgadas,

poetaeusou . . . disse...

*
Alice Matos
,
amo-te mar
eu fico louco
com o sabor a pouco
no teu olhar,
,
conhinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Chinha
,
nas asas do teu sal, sinto
o vento nas minhas veias,
,
conchinhas mareantes,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
com sabor a mel,
,
beijos nossos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
dona tela
,
vou já, já, já,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
rosa dourada/ondina azul
,
nas ondas
das minhas lágrimas,
alcanço o sal do teu olhar,
,
conchinhas
.
*

mariam disse...

vagas de amor transpirado,,,

oh! quanto sal...o tal sal da vida, será?


boa semana
um sorriso ;)

poetaeusou . . . disse...

*
mariam
,
o que é a vida ?
sofrimento é de certeza,
com ou sem sal . . .
,
conchinhas
,
*

Carminda Pinho disse...

Poeta,
este teu sal,
são beijos a Portugal.

Beijos para ti, também.:)

gaivota disse...

é salgado, meu amigo, a maresia envolve todo esse carinho...
beijinhossssssssssss

(continuo na minha lide, mudanças, limpezas...)

Ana disse...

Abençoado sal que tão bem condimenta este teu poema.

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Carminda Pinho
,
como esta missiva ressoa,
a veias salgadas de pessoa,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
linda
,
voa, voa nas brisas,
ventosas de mar,
salgadas,
nas vagas espraiadas,
,
pilipares
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
salgado dilema,
espumas ou brumas alvas,
entre as vagas,
de sal-gema,
,
conchinhas mareantes
,
*

Um Momento disse...

É salgada a brisa que invade cada poro inalando a suavidade sentida em cada olhar... em cada maré:)

Beijo de mar

(*)

poetaeusou . . . disse...

*
ana
,
maresias de iodo
em manto de pele,
tacteando . . .
,
conchinhas
,
*