abril 14, 2008

>>>>>>>>>>>>>> partida da chegada <<<<<<<<<



é no vento do instante
na maresia da ausência
que albergo as partidas
é no vento do instante
na espuma da presença
que desacerto a chegada
é no vento do instante
nos parados movimentos
que amarguro as chegadas
em desencontradas partidas
poema e fotos: poetaeusou

42 comentários:

gaivota disse...

mesmo aí ao sul, no instante do encontro e albergue de partidas e chegadas, os desencontros estão sempre amarrados e não há nem volta de mar que traga algo de volta..........
pedrinhas e pedrinhas do mar

Noite disse...

e eu... foi com o vento que cheguei, e por cá ficarei

Voce escreve com alma ;)

Bjs na ventania

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido amigo Poeta, linda postagem...

Hora a hora, nasce um fado,
na alma de um Português
e ninguém sabe os "Porquês"
dum facto tão pesquisado.
Que seja um condão herdado,
é uma ideia que manttenho,
pois, também eu me entretenho
os meus fados a cantar
e uso p'ra me acompanhar
esta guitarra que tenho.

Beijinhos de muito carinho,
Fernandinha

Anónimo disse...

No vento deste instante, estou a avisar-te que o primeiro comentador pode infectar-te o computador, se seguires a sugestão
de clicar lá.
Aconteceu-me há umas semanas, embora o nick fosse outro.
Se fosse a ti apagava-o rapidinho.

Abraço

sininho

multiolhares disse...

No vento do instante
Existem partidas e chegadas
Movimentos dispersos
Nas vagas do mar
Mas nessa brisa suave
Aportam os barcos
Guiados pelo farol
No albergue dos sentidos

Beijos nossos

Maria Clarinda disse...

(...)é no vento do instante
na maresia da ausência
que albergo as partidas
é no vento do instante


Meu poeta...como semppre palavras lindas acompanhadas pelas tuas belas imagens.
Jinhos

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
no abrigo
do nosso olhar,
nas partidas a chegarem
e nas chegadas das partidas,
alegres ou doloridas,
sempre o mar,
fica comigo
,
conchinhas de um sol de verão,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Noite
,
as brancas folhas
são tuas,
preenche-as como quiseres,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA & POEMAS
,
Eu canto o fado
Minha guitarra
Minha raiz
Em tom desafinado
Preso há amarra
deste país,
,
Conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
AnónimA
,
grato, capitã
,
tenho conhecimento,
não demoro um instante,
a exterminá-lo,
ou não fosse o "lanterna vermelha"
,
lembras-te do livro e filme ???
,
conchinhas
,
*

Sol da meia noite disse...

Nestas palavras, a plenitude dum pensamento!
Lindo!

Jinhos

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
,
nas vagas da vida,
em instantes sentidos,
dispersas chegadas
albergam partidas,
em ventos perdidos,
nas marés espraiadas,
,
beijos nossos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Maria Clarinda
,
albergue ventado,
na espuma do mar
o teu comentar
é um hino instaurado
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
intelectualizada análise,
de pleno entendimento,
,
conchinhas coloridas
,
*

Paula Raposo disse...

Pois é. Entre partidas e chegadas desencontradas se faz a história da vida...beijos.

Helena disse...

Assim é minha vida Poeta entre partidas e chegadas...
Contar os dias antes da partida e pensar com ansiedade no dia da partida da chegada.
Lindo teus versos !

Um beijo

Sérgio Figueiredo disse...

Meu Amigo "Poeta eu Sou"

"é no vento do instante"
Que as partidas e chegadas são incertezas.
"é no vento do instante"
Que se vivem tristezas e alegrias.
Certezas, apenas o mar, a maresia e "o vento do instante".

Bonito o teu poema

Um Abraço

Angel of Light disse...

Se esquecermos o pontão, também pode ser a Chegada... da Partida! Mas não a chegada da tua partida, meu querido "poetatués".

Boa semana.

Beijinhos cheios de Amor, Paz e Luz!

poetaeusou . . . disse...

*
Helena
,
como diz,
o poeta popular,
vale mais um dia aqui,
que o ano todo lá, (aí)
,
conchinhas rochosas de mar,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sérgio Figueiredo
,
as incertezas
das incertas certezas
exactidão ambígua
das confusões aleatórias,
,
abç,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
paula raposo
,
paulinha
,
fundem-se,
as partidas e chegadas,
confundindo-se . . .
,
(enviei mail, situação do papi),
,
jinos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Angel of Light
,
reluz,
anjo da luz,
no abrigado cais,
destrói a escuridão,
do breu pontão,
segue o farol,
procura o sol,
vê por onde vais
,
conchinhas
,
*

Pitanga Doce disse...

Estas não são fotos que se ponham numa segunda- feira. Vá que eu entre num desses barcos e me espraie por aí...

abraços e vai ao concerto!

São disse...

Passeios de barco pelo Sado, tive ontem...com transbordo pelo meio e sem poemas lindos!
Feliz semana.

poetaeusou . . . disse...

*
Pitanga Doce
,
um cais acolhedor,
te espera,
,
não vi o bondinho,
irei saciar-me,
no meu ascensor,
ao sitio da nazaré,
e fotar o pôr do sol,
que hoje deverá estar lindo,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
que saudades eu tenho,
dos golfinhos do rio azul,
,
princesa do sado, hóhóhó,
,
sabes qual o motivo da chacota dos golfinhos ?
quando nadam em grupo olhando
as casas junto á praia,
exclamam:
brother, olha as gaiolas dos humanos, são mesmo parvos !!!
,
conchinhas de iodo, deixo,
,
*

isabel disse...

sem dúvida, és!

:)

gaivota disse...

e porque a noite é lin(d)a!!! volto aqui a rever essas embarcações de partida e de chagada, vazias para o mar e carregadas no regresso... quem dera!
vidas pesadas, meu amigo, muitooooooooooooooooooooo
conchinhas para ti

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
molho norte,
é teu, linda,
,
pilipares de gaivotas
deixo-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
isabel
,
pseudo-poeta, isabel,
pseudo-poeta,
,
só,
,
conchinhas poéticas, deixo,
,
*

rosa dourada/ondina azul disse...

Partida da chegada ou
Chegada da partida ?

Partida, que às vezes não tem chegada...


Conchinhas douradas,

Cöllyßry disse...

É num encontro, num instante...da vida...

Doce meu beijo

poetaeusou . . . disse...

*
rosa dourada/ondina azul
,
e,
quem parte,
leva saudades,
e quem chega
saudades tem,
e,
o fernando pessoa,
é
culpado de tudo isto . . .
,
conchinhas rosadas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Cöllyßry
,
aventada vida,
na espuma encontrada,
das instantes maresias,
,
conchinhas
,
*

as velas ardem ate ao fim disse...

Deste me umas saudades de um tempo vivido entre chegadas e partidas.sim já fui muito feloz.

um bjo

LOURO disse...

Amigo Poeta, belas fotos do porto da Nazaré... O poema, que dizer!!!
Não percebo nada de poesia.
Um abraço
Lourenço

poetaeusou . . . disse...

*
as velas ardem ate ao fim
,
e continuarás a ser,
acredita,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
LOURO
,
amigo
,
um poema
é
escrevermos o que sentimos,
arquitectando as frases,
ao nosso gosto, só ...
,
abç
*

ondina disse...

olá. partidas e chegadas é comigo, que estou sempre a viajar, a sonhar acordada. sim que sou água e da lua, e vivo em terra alheia... ou que saudades.
sal atlântico nas sobrancelhas rijas, chaputa frita sem espinhas no pão e as camisolas de lã na gaveta.
bjs

MEU DOCE AMOR disse...

É no vento,na maresia e na espuma...talvez!

Beijinho doce

poetaeusou . . . disse...

*
ondina
,
como sabes os nazarenos,
conhecem as 5 partidas do mundo,
estão em todas as paragens,
sempre disseram, a nossa terra,
é a terra que nos dá o pão,
,
conchinhas de luz para as meninas,
vagas de saude para todos, vós,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
MEU DOCE AMOR
,
talvez ...
em qualquer lado,
,
conchinhas doces,
,
*