abril 10, 2008

>>>>>>>>>>>>>> diferenças ??? <<<<<<<<<













...
...
...
retratadas palavras
lembranças retidas
invertendo presentes
nos passados futuros
versos experimentados
em compactos poemas
pensares actualizados
nos esperados amanhãs
fotografando no futuro
as enraizadas memórias
poema e fotos: poetaeusou
pretoebranco:álbum: A.L.

34 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido amigo Poeta... Belas diferenças... O tempo passa mas, Nazaré será sempre linda e formosa Nazaré... Quem a conheceu outrora, continua, a rever-se nela agora.
Parabéns!!!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

gaivota disse...

meu amigo, tenho forçosamente que te visitar, enquanto aí não estou...
é um tempêro para a minha alma vir cheirar a maresia desse canto aí ao norte e sentir a profundidade do meu mar desde aí, da pata do cavalo
tou mesmo velhaaaaaaaaaaaaaaaa
parece que foi ontem...
conchinhas e pedrinhas

Acordomar disse...

as diferenças... devem ser só na cor da foto, nao? Pois o mar tem a mesma cor, o mesmo cheiro, os mesmos carapaus :))))

.. e tou triste, pronto :( sou sincera - as palavras sao reais

Hoje deixo 3 beijos

LOURO disse...

Olá amigo, lindas fotos... Conheço bem a Nazaré é a minha voltinha preferida passar por aí e ir almoçar o bom peixe.
Um abraço,
Lourenço

Carminda Pinho disse...

Poeta,
diferenças? algumas.
O ontem e o hoje de uma terra linda.
O mar, esse é igual e, é lindo!
Felizmente, ainda há gente com memória.

Beijos

multiolhares disse...

É entre o passado e o presente
Que construímos o futuro
É nas lembranças retidas
Que comparamos amanhãs
É na enraizada memória
Que se escreve uma canção

Beijos nossos

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA & POEMAS
,
ai, nazaré,
que lindo é ...
,
conchinhas de iodo, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
linda,
quando faltares,
sem atestado médico
(eu não sou menos que o socras)
acabo com o blogue, mai nada,
não ouses faltar !!!
ouses...sou um grande intelectual,
qual pacheco pereira ou marcelo...
,
conchinhas com sol
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Acordomar
,
lin(d)a
,
se estás triste . . .
estás e és normal !!!
anormal . . .
sou eu ...
que neste vendaval,
neste turbilhão,
de incerteza no amanhã,
de um povo morto e "remorto",
assiste ao emergir de novas elites,
elites politicas, calculistas testas de ferro, dos grandes sugadores, que nos dividem para
melhor reinarem, sobre este povo
que tão dormente está, que nem uma secreta é necessária, basta a ASAE
,
como vês, se eu com tudo isto,
consigo ser optimista, além de
anormal, deveria ser internado,
,
(estou a reunir dados, envio-te)
,
conchinhas, choronas . . .
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
louro
,
uma boa opção,
,
bom peixe,
bons frutos do mar,
,
aproveita e fota a nazaré
notei no louro-fotos,
uma grande sensibilidade,
,
abç,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Carminda Pinho
,
não se vive,
sem memória, amiga,
,
memoriais conchinhas, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
,
solidificar o presente,
com as lições do passado,
memorizando os equívocos,
arquitectando o amanhã
para a canção do futuro,
,
beijos nossos
,
*

Carla disse...

que bom que é fotografar o futuro e dar-nos estas belas imagens do passado e do presente.
bjs

Isabel-F. disse...

bom amigo ...

que maravilha estas diferenças entre o ontem e o hoje ...

gosto de te ler como sabes ... mas as tuas fotos são maravilhosas ... nunca as levaste a nenhum concurso? devias fazê-lo ... merecem ser mais divulgadas ...

beijinhos

Sol da meia noite disse...

Um olhar pelo passado, onde nos revemos...
A eterna repetição. O enlaçar de tempos...

Belo, Poeta!
Jinhos

Jocista disse...

bem bom....

poetaeusou . . . disse...

*
Carla
,
mas,
tão distantes das tuas,
"borboletas invisiveis"
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Isabel-F.
,
"basta-me",
as montras da NET,
90% das fotos,
têm por fundo o mesmo palco,
mas sempre com diferentes cenários,
,
grato por tudo, amiga,
,
pérolas em conchinhas, deixo-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
o tempo,
dos tempos,
que sendo no nosso tempo,
é tempo que não é nosso ...
,
no meu tempo ... qual ???
,
atempadas conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
jocista
*
companheiro, Carlos
,
Extractos, cantados
Cada vez mais alto,
Por cada jocista que “ia dentro”
Na e nas imediações,
Da capela do rato,
30 de Dezembro 1972
Metade da esquerda pós.25 de Abril,
Estava no bem bom do exílio
Atraiçoando-se uns aos outros
E desmascarados no palco da
Vergonha dos empurrões, no 1º de Maio,
Durou uma semana a liberdade do povo,
Logo esquartejado em partidos, dividir
para reinar a que chamam democracia,
o demo na cracia,
numa cracia sem demo . . .!!!
,.,.,.,.
Tem alma forte e forte braço,
Quem vive á luz da fé cristã,
Seremos duros como o aço,
De corpo são e alma sã.
.,.,.,.,.,.,.,
Ofereço - Vos o meu dia inteiro,
O meu trabalho,
As minhas lutas,
As minhas alegrias e as minhas penas,
Na fábrica, na oficina,
Nos campos e nas casernas,
Nos escritórios e nas nossas casas.
Descansem em paz os operários,
Que morreram no
campo de honra do trabalho.
,.,.,.,.,.,.
Saudações jocistas

,
*

Gotika disse...

Meu doce poeta
lindas fotos!
Assim vamos vendo as mudanças que vão havendo com o passar dos anos .
Deixo te um beijo gotiko

poetaeusou . . . disse...

*
Gotika
,
mudanças ???
,
amiga,
as minhas não,
não gosto de espelhos.
hehehe
,
mocidade, mocidade,
porque fugiste de mim !!!
,
conchinhas
de mariante luz te deixo,
,
*

Maria Clarinda disse...

(...)pensares actualizados
nos esperados amanhãs
fotografando no futuro
as enraizadas memórias


Meu poeta, lindas as comparações em foto e em palavras.
Jinhos mil

Pitanga Doce disse...

Acho que as paisagens são as mesmas. Nós é que mudamos?

abraços

poetaeusou . . . disse...

*
Maria Clarinda
,
amiga
,
a raiz do pensamento,
regada com a água das memórias,
,
conchinhas
coloradas de lembranças,
deixo-te
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Pitanga Doce
,
as nossas mudanças,
são catalogadas,
por quem nos rodeia,
familiares, amigos, inimigos,
e quase sempre injustas,
e imerecidas para nós,
,
também sinto, o rumor leve
de uma folha caída,
arrastada pelo vento,
folha seca, mortificada,
mas, tenho a certeza, que
afastou-se da mãe arvore,
para dar lugar á vida,
ao renascer da esperança,
no brotar de uma nova folha, o
nascer de um ciclo, que pode ser
o teu, o meu, do outro, enfim ...
,
conchinhas esverdeadas
,
*

Eärwen Tulcakelumë disse...

Diferenças... acreditam que existam para mostrar que sempre podemos enxergar o belo, que podemos evoluir, colorir e continuar tendo a mesma essência...
Belo é o lugar...trago o cheio gostoso da maresia nas asas...

Pérolas incandescentes de doces lembranças.

Eärwen

Auréola Branca disse...

Poesias são a simples forma de aflar amando. Ou amar falando...
Ela gostaria de amar e falar... Gostaria, tão somente, de ser essa junção.
Ela era felicidade!

rosa dourada/ondina azul disse...

Diferenças? sim !
O antes e o depois ...

Nazaré, é sempre linda :)
O mar, é sempre Mar !


conchinhas azuis,

poetaeusou . . . disse...

*
Eärwen Tulcakelumë disse...
,
chamo-lhe ângulos diferentes,
no tempo espalhados,
de congénita beleza,
nas inatas maresias,
,
conchinhas florescentes,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Auréola Branca
,
o amor,
é a poesia exaltada,
cantada ao mar,
envolta em espuma de maresias,
,
conchinhas coloridas
,
*

poetaeusou . . . disse...

rosa dourada/ondina azul
,
és linda Nazaré
o teu casario branco,
o mar das tonalidades,
em areal dourado,
paraíso dos olhares,
,
Conchinhas dançando o vira,
Deixo-te
,
*

Ignota disse...

"lembranças retidas
invertendo presentes
nos passados futuros"

diz-me tanto... quantas vezes me apetece ter controlo sobre o tempo e sobre o desenrolar dos acontecimentos sobre a minha vida. chego a fazer trinta por uma linha! mas não vale a pena... conta só o momento presente, de facto.
"as enraizadas memórias", ainda assim, dizem-me muito...

e tu? tu és poeta!

poetaeusou . . . disse...

*
ignota
,
o tempo é abstracto,
o tempo somos nós,
naquele tempo diz o livro,
no meu tempo, dizemos,
o relógio é o juiz,
os ponteiros o carrasco,
e o tempo são memórias,
o tempo são as opções
de como o usar,
o tempo é imutável,
e o poeta tem razão,
porque atrás do tempo
outros tempos virão,
e para quem os quiser
em suma,
o teu tempo é o tempo
que escolheres . . .se puderes,
,
conchinhas, temporais,
,
*