março 02, 2008

»»»» disco rigido ««««

solidarizo-me com a luta dos professores
na figura do meu profs primário, dr. miranda.

banco de jardim
disco rígido das recordações
ficheiro de felicidade e lamentos
banco de jardim
ouvidor dos silenciados passos
tão perto, tão longe,
banco de jardim
memórias meladas
dos vencidos sonhos
banco de jardim
dos amores vividos
sacudidos . . .
por sacudidas saudades
poema e fotos: poetaeusou

26 comentários:

multiolhares disse...

Banco de jardim que tantas histórias falam
E tantas calam, assento onde as almas divagam.

Beijos nossos
luna

gaivota disse...

num banco de jardim descansei tantas saudades...
e alegrias e tristezas e terramotos...
agora passo por eles e nem me sento!
já não tenho tempo...
búzios com sol e mar num beijinho

GarçaReal disse...

Quantos segredos guardados num simples banco de jardim!
Quantos amores e desamores ali esquecidos ao longo dos tempos!
Quantos beijos observados e escondidos no baú de recordações!

Bom Domingo, pois a madrugada já espreita.

Um pilipar para a Gaivota

Bjgrande de uma Garça a caminho do Lago

Maria disse...

Para ti, poeta, hoje:
Num banco de jardim uma velhinha
está tăo só com a sombrinha
que é o seu pano de fundo.
Num banco de jardim uma velhinha
está sozinha, năo há coisa
mais triste neste mundo.
E apenas faz ternura, năo faz pena,
năo faz dó,
pois tem no rosto um resto de frescura.
Já coseu alpergatas e
bandeiras verdadeiras.
Amargou a pobreza até ao fundo.
Dos ossos fez as mesas e as cadeiras,
as maneiras
que a fazem estar sentada sobre o mundo.
Neste jardim ela
ŕ trepadeira das canseiras
das rugas onde o tempo
é mais profundo.
Num banco de jardim uma velhinha
nunca mais estará sozinha,
o futuro está com ela,
e abrindo ao sol o negro da
sombrinha poidinha,
o sol vem namorá-la da janela.
Se essa velhinha fosse
a măe que eu quero,
a măe que eu tinha,
năo havia no mundo outra mais bela.
Num banco de jardim uma velhinha
faz desenhos nas pedrinhas
que, afinal, săo como eu.
Sabe que as dores que tem também săo minhas,
săo moinhas do filho a desbravar que Deus lhe deu.
E, em volta do seu banco, os
malmequeres e as andorinhas
provam que a minha măe nunca morreu.

Carlos do Carmo : Balada para uma velhinha
Música: Martinho de Assunçăo
Letra: Ary dos Santos

Ana disse...

Memórias que não se apagam, no disco rígido da alma. Tecnologia mais perfeita não há.
Um beijo para ti, Poeta.

rouxinol de Bernardim disse...

Só um verdadeiro poeta para dar alma a um banco de jardim!

Excelente!

Sol da meia noite disse...

Quanta sensibilidade tua neste post.
Lindo o que escreveste, mais lindo o que as entrelinhas revelam...
Os bancos de jardim são livros abertos, onde as histórias atravessam tempos...

Jinho, Poeta

Um Momento disse...

Banco de jardim...
que me olhas sem fim...
Guarda os meus segredos...
Quando os ouves de mim


Beijo de Bom Domingo!!

(*)

poetaeusou . . . disse...

*
multiolhares
,
quantas memórias,
a prazo,
e á ordem,
estão depositadas,
num Banco . . . de jardim
,
beijos nossos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
num banco de jardim, tudo cabe...
o olhar parado do velhinho,
o olhar vidrado "daquele" ...
o olhar nostalgico do desiludido
o olhar dos "jovens da esperança"
e o mais belo, o irrequieto olhar,
de uma criança, num manto de
sorrisos esvoaçantes,
,
pililipares de gaivotas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
GarçaReal
,
ai se um banco,
as suas recordações gritasse,
cantatas memoriais soariam
no teu lago ... real,
,
pilipares para a garça da gaivy,
e para ti, brisas de iodo,
,
*

Helena disse...

Me associo a essa luta dos professores..
Saudades, quem as não tem !!!

Um beijo, poeta
bom domingo

poetaeusou . . . disse...

*
maria
,
não só os idosos,
tambem dos jovens,
das crianças, especialmente,
,
sabias quando se pergunta
aos povos que estão a procurar
portugal para se fixarem,
quais as "saudades" que têm dos
seus países, qual a resposta ?
,
Jardins, dos Jardins,
,
inté
,

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
como tu sabes, ana
,
buzios sonantes,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
rouxinol de Bernardim
,
o que pensará
um banco de jardim, amigo ?
,
abç
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
a tua complacência,
de me tolerares,
,
marés de jinos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Um Momento
,
banco,
segredos sem fim,
guardados sentires,
no jardim das memórias,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Helena
,
saudades,
nostalgia de nós,
,
um canto, de jinos,
do canto, dos encantos,
*

Vela ao Vento disse...

Bancos de jardim por onde vidas passam. Qual vela ao vento!

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Vela ao Vento
,
memórias ao vento,
pelos bancos passadas,
velas desfraldadas,
regrido no tempo,
,
conchinhas
,
*

Rosa Maria disse...

Ai se os bancos de jardim falassem...
A mim nunca me calhou nenhum azul, sempre foram verdes.
Mas eu até gosto do verde, gostos!!!

Beijinhos

Sininho disse...

Quem não tem um banco de jardim nas suas recordações é porque não viveu o suficiente...

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Rosa Maria
,
os meus recordados bancos,
eram de cores matizadas,
azul+madeira, verde+madeira~
vermelho+madeira,amarelo+madeira,
,
cor de madeira, da madeira mesmo,
na nazaré, em queluz, setubal,
jardim da estrela, campo grande,
principe real, venida da liberdade,
,
penso que a robialac,
não "fiava" ás camaras,
naqueles tempos,
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
sininho
,
ana,
referes-te ao banco do jardim ???
hehehehe
,
búzios bancários,
,
*

gaivota disse...

enquanto pililipo por aqui, vim-te visitar...
é isso tudo que também vejo num banco de jardim
e está lá também a avó e/ou avô a tomarem conta do netinho que brinca e corre atrás dos pombinhos...
beijinhos fresquinhosssssssssssss

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
nem mais,
,
pilipares
,
*