janeiro 23, 2007

CUIDADO COM A GRIPE DAS AVES

A L C A T R A Z

GAIVOTAS, IMAGINÁRIO E A PANDEMIA

Não, não é possível.
Recuso – me a aceitar tal
Que as Gaivotas do meu imaginário
São correias de transmissão
Desse vírus supostamente mortal.
A Gaivota não, nem a Arvéloa
A Gaivina ou a Pardela
A Gaivota é amiga do ambiente
Limpa a praia, limpa o mar
Enriquece o visual, é Bela.
Não, não é a minha Gaivota,
As Gaivotas do meu imaginário
Regredindo á minha meninice
Permitindo que quase as tocasse
Que as sentisse.
As minhas Gaivotas
Em liberdade no meu Casal
Guardando a hortelã e salsa
De toda a miudagem
Que só pensava no mal.
Meus amigos …
E aquele Hino á Alegria !
Em bailados esvoaçantes
Emitindo gritos sonantes
A traineira Pedralva acompanhando
O tom laranja envolvendo
A toda á Nazaré gritando
Estamos anunciar vida,
Com esta sardinha querida,
Em acrobacias voando.
Não pode ser a Gaivota do Alexandre O’Neill !
“Se uma gaivota viesse
Trazer - me o Céu de Lisboa”
Muito menos de Vitorino Nemésio.
As Gaivotas, adulando as Sereias.
Eu vi-as. As Sereias. Nas rochas. a minha Ilha. Sabes, Vitorino.
As Sereias já não encantam os Argonautas.
Subiram. Nos satélites, do Bill Gates.
Astronautas. Modernices. Nemésio.
Querida, Natália Correia.
A quem te referias, quando poemavas.
A dúvida é só perceber Se vieste do sol ou do mar
Ou a Gaivota da “ Utopia do 25 ”?
Da Ermelinda Duarte, Não. Nem esta.
“Uma Gaivota, voava, voava,
Como ela somos livres”
Mas também não foi ela.
“Como ela somos livres”
A liberdade não existe, tudo é condicionado.
Se voava, era suposto cruzar o Infinito.
E Albert Einstein ?
Onde ele poria a Poetisa neste seu Pensamento ? …
“ Há duas verdades cientificas
A Estupidez Humana e o Infinito,
Embora quanto ao Infinito, tenha as minhas duvidas”
Não esta Gaivota não é culpada.
Espera !
E os familiares ?
O Albatroz, o Alcatraz.
Será que o Alcatraz terá razões ?
Não era ele o Guia, o Orientador dos Pescadores ?
Assinalando os cardumes,
no seu picado voo de mergulhador ?
O “Olhinha que o diga” já não pode, é ? morreu !
Que fizeram ao Alcatraz ? Votaram–no ao ostracismo
Substituíram – no com,
A sonda eléctrica, o radar, os GPS
Com os hélios detectores de cardumes.
Não perdoo a Deus.
De não criar um Alcatraz do tamanho de um Hélio
Ou Deus criou um Sáurio Voador Gigante?
Perdoa – me, Senhor se duvidei.
Não, não foi uma ave. Foi o homem, esse Irracional.
Escuta Fernando Pessoa !
Concordo pouco do legado que nos deixaste !
Mas tinhas razão,
Quando abençoavas a Aspirina.
E abominavas a maldita Constipação.
Que nos faz espirrar até á Metafísica.
Zanga – nos com a vida.
Rebenta – nos com a cabeça.
Suja – nos os lenços.
Deita – nos na cama.
E alterando o sistema do Universo,
Não nos deixa meditar sobre ele.
Tinhas e continuas a ter razão.
Não bastava, a constipação, o resfriado, a gripe.
Porquê a Pandemia ?
Não, só pode ter sido o homem.
E qual o laboratório que criou o vírus?
E quem o libertou?
E quem lhe deu a inteligência para se alojar nas penas,
Sabendo que seria transportado para todo o Planeta ? .
Não, não foi a minha Gaivota.
Sofro muito ao vê–las ás centenas a procurar alimento,
Nas lixeiras, a que chamam Aterros Sanitários.
Não, não é a minha Gaivota, não pode ser.
Por favor não me CONVENCEM,
Que a culpa édas Gaivotas !!!
poetaeusou
==========================================




21 comentários:

Paula Raposo disse...

Já li algures estas palavras...

Teresa Durães disse...

claro que é o Homem, a maior epidemia de sempre

poetaeusou disse...

Paulinha.
Leste extractos.
Pela simpatia que eu te tenho.
Estou á espera do teu Sinal...
Beijões, Gaivotas deles.

Sininho disse...

A culpa, aqui, morre solteira.
Também eu me recuso a aceitar um mundo sem aves. Mas...
Depois de destruír as aves e o Homem, o triunfo último poderá ser dos Vírus, uma forma de vida muitíssimo inteligente, ao que parece.
Ou, pelo menos, mais do que os médicos, que se vêem à nora, com eles...
Mas pode ser que não seja nada.
Mais vale olhar para o alto.
E apreciar a beleza da gaivota, enquanto os olhos puderem.

poetaeusou disse...

È mesmo Teresa.
Continua por aí voando.
Olhos abertos.
E avisa. A Malta.
xinos, Esvoaçantes.

dulce disse...

Olhemos o céu enquanto elas esvoaçam ainda.
Beijos

poetaeusou disse...

SININHO
Ou morre solteira.
Ou inquéritiza,
o Substituto. ihihihih
É como dizes...
Vamos deliciar-nos com o,
Bailado artistico das Gaivotas.
xinos, mareantes.

poetaeusou disse...

Dulce, duce Dulce.
Vamos olhar o infinito.
Imaginar O Balet de Moscovo.
( ainda existe ? )
Feito Gaivotas.
Confundir o seu pirlipipar.
Com a Orquestra Sinfónica de Viena.
E volver a casa, após o pôr-do-sol.
Evitando os refriados.
Beijos, via ondas do mar.

wind disse...

espectacular poema! Parabéns!:) bjs

poetaeusou disse...

WIND.
Gostas ?.
Dito por ti, acredito.
Agradecimentos de um Alcatraz.
Bjs. em mil Gaivotas, sinfonando.

non disse...

Meu caro, não e o homem: só É o homem!

("O universo sabe-me a espirro!")

Bjs. :)

poetaeusou disse...

N O N
O " Je " é uma excepção, OK ?...
O Universo, sabe-me a: Shakespeare,
Camus, Pasolini, Moliere, Brecht,
Gil Vicente,Euripedes, Macbeth e
Mady, Jayne Mansfield e "Herminia".
Beijo. com Arte de Palma.

Maria disse...

Por mim fico-me com as gaivotas argenteas e as pardelas da Ilha da Berlenga...
Essas não devem estar contaminadas...
As da praia também não poeta, porque esse mar purifica tudo...
Inté

poetaeusou disse...

MARIA
É...
Tu sabes, melhor do que eu !!!
O Mar, purifica, até as linguas sujas.
Hoje do Sitio vi a Berlenga.
Nitida de mais. Sinal de chuva.
E choveu...
inté.

Isabel-F. disse...

Somente uma palavra: Parabéns

Bj

poetaeusou disse...

IsaF.
Nada que igual-e a:
Essência do belo.
A sensual elegancia.
O afluxar de sentimentos.
Vertidos em arte.
Numa talentosa, Isabel.
Comentários/citações.
Curtas, incisivas, misticas.
Os parabens, serão para ti. SÓ...
Bj. (emnusartisticos)

Ana Ramon disse...

Estava a escrever um comentário sobre a gripe das aves e as tuas gaivotas quando me apercebi que estava a pensar noutra coisa: pensava eu que não é muito comum um homem escolher este modelo para um blog e apeteceu-me falar sobre isso. Dei voltas e mais voltas até que me pareceu que a melhor explicação seria teres criado um espaço feminino, tipo ninho, para recolheres as palavras das "tuas" mulheres, já que são só mulheres (julgo que com uma excepção) que visitam esse teu espaço, por gostarem de o visitar, obviamente. Apenas uma reflexão e um beijo

poetaeusou disse...

ANA.
Merece uma Explicação. aqui vai...
O Blog é unisexo. Multiplural de Temas, hoje vou provar. Como poeta
"que não sou" escrevo ao sabor da, inspiração momentanea, das Musas ocasionais, dos caprichos da procela, as "mulheres" não são
minhas e o Zé Camarinha, não é
Nazareno. hihihihi, um beijo Ana.
Só comento em Blogs Male, em temas, Politicos, Desportivos e
Religião, Solidariedade, Humanismo.
Logo comentava os outros temas, em
Blogs Female, onde fui tolerado.
Mas, querida Ana, estou ligado a uma empresa, 29 colaboradores, 27 mulheres, por mim seleccionadas, na
Área da Formação Profissional, todas com QE, elevado, como o QI.
Pela simples razão que só aceito,
sugestões de Mulheres, e sabes melhor que eu do tal 6º sentido.
Os meus amigos, á decadas, dizem-me
que eu tenho sensibilidade feminina, penso que não é defeito, agora, que me sinto bem com isso...
Ana, um Beijo, com PAIXAO DOS SENTIDOS, e com sabor a Chá.

poetaeusou disse...

Ana
O chá é o do teu Post.
Sabes, qua nossa lingua...
Com amizade, Ana.

maal disse...

Se a culpa é das Gaivotas...não sei não.
Gosto de as ver voar, mas não gosto delas, são más umas para as outras, serão todas fêmeas????
xau.

poetaeusou disse...

Maal.
A agressão femeal tem apenas um
alvo, o macho.
As femeas não se agridem mutuamente.
Porquem só têm uma arma a Lingua Silibina,(perdão Damas ihihihih)
Visão que tens... Gaivotas em Grupo buscando comida e é sempre, a
ave Maior, logo o macho, que procura roubar (roubar) a comida,
ás femeas.
Como vimos, a Fauna, plagia o humano.
E já não quero falar, porque estou a escrever, os Sportinguistas, é pá.
Perdão, os leões, pôem as femeas a caçar, para eles.
Pobres Fêmeas, Pobres Mulheres.
Um abraço ? um Xino ? tanto faz...