novembro 09, 2010

................................. chuva o sal da terra


o Mar estava assim - hoje quarta-feira
video
estas nuvens que tu vês
presas ás asas do vento
são castelos encantados
muralhas idolatradas
ameias do meu alento,
nas nuvens que vês passar
jorram volúveis regueiros
são regatos excitados
aguaceiros desvairados
salpicando o teu olhar
na procura dos ribeiros !
poema-fotos-video:poetaeusou

60 comentários:

Baila sem peso disse...

... ... ...
e nas margens dos ribeiros
crescem as ervinhas de cheiros...

lindo, lindo...terra e mar inteiros

nas palavras feitas água de sal
ficaram teus castelos com majestade real...

violinos acompanham a beleza
que tem a Mãe natureza

meu beijinho comovido com a beleza do sentido

SAM disse...

Querido poeta,

a imagem do poema é pura sensibilidade. Lindo demais, poeta. Obrigada.


Carinhoso beijo.

São disse...

Gostei do poema, adorei as fotos e o vídeo, mas destesto chuva!!

Um abraço, meu amigo.

Filó disse...

Castelos de nuvens, vertendo chuva, o sal da Terra.
Poeta que lindo poema, jorrando água, salpicando o olhar e lavando a alma...
Bonitas palavras e magníficas fotos, bailando ao som de violinos.
Poeta,quanta sensibilidade.. Gostei muito..é Lindo!

Beijinho amigo

GarçaReal disse...

Castelos de Outono regados pelas chuvas que acarretam nostalgia e pedem laivos de sol que aqueça o olhar e envolva o coração.

As fotos transbordam beleza

Pilipares outonais

Bjgrande do Lago com a amizade de sempre

RETIRO do ÉDEN disse...

Uma beleza de fotos e poema!
Abraço
Mer

Lídia Borges disse...

Dos "castelos encantados"
às nascentes e ribeiros,
É a água a regar prados
montes, vales e canteiros.

L.B.

Duarte disse...

Um mar que cuspe espuma branca,
que a enrola sobre a que já lançou...
tão longe e tão forte que nem caiu,
mas o moinho de arreia não pára!

Belo o que sentes, daquilo que vês, quando o escreves.

Imagens aos quadradinhos que me aproximaram à minha infância... belo!

Uma grande abraço

Cris de Souza disse...

ah, que ritmo majestoso...

obrigada pela visita, poeta!

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
e o ribeiro
é useiro e vezeiro
de galgar as margens
inundando o castelo
belo
acompanhando as aragens
nos odores e cheiros
matreiros !
,
marés de estima !
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
SAM
,
amiga,
sublime
a tua afectividade !
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
Minha amiga,
,
gosto da chuva no rosto,
escorrendo nos cabelos,
negra madeixa ao vento,
boina de marujo ao lado !
srsrsr,
,
marés de estima,
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
é um sublime texto,
as tuas palavras,
obrigado,
,
brisas serenas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
GarçaReal
,
castelos de areia
em praia lavado pelo mar,
e levado nas ondas de espuma !
,
pilipares
e conchinhas da tardinha,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
RETIRO do ÉDEN
,
mer
muito obrigado,
,
conchinhas, ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lídia Borges
,
Na encosta do montado
jorra feliz uma fonte
e para lá daquele monte
fica o Castelo encantado !
,
brisas nocturnas !
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
estou em divida,
meu amigo,
,
é o mar da minha infância,
companheiro das ilusões,
versões diferentes de vida,
das ultrapassadas querelas,
procurando sugestões,
engajadas nas quimeras !
,
aquele abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Cris de Souza
,
grato fico,
,
conchinhas,
,
*

Andradarte disse...

Mais um conjunto de qualidade....
Apreciei muito a primeira foto...
Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Andradarte
,
Castelos de Areia,
levados no vento !
,
Abraço,
,
*

TITA disse...

Poeta,tem dias em que somos fustigados por ventos que já conhecemos,mas não sabemos donde vêem.E estes desnudam-nos a tranquilidade não é?Uma brisa serena para ti deixo.

poetaeusou . . . disse...

*
TITA
,
se é, amiga !
,
ventos desviados
por “certos Almirantes”,
que alterando as Bússolas,
ficam desnudados,
do magnetismo com que
que enganam o Zé Povinho …
,
marés de Paz,
deixo,
,
*

© Piedade Araújo Sol disse...

gostei do poema e das fotos...retrata bem o que se passa por aí na Nazaré...

um abraço e um beij

gaivota disse...

á repá... esteve mau... quase me entrava na nha rua!!!
olha a "Boa Sorte" e o Toino ...
é lindo de ver, confesso, mas traz estragos e chatices...
pilipares

São disse...

Volto, pois estou preocupada com a hipótese de a fúria do mar , noticiada pela televisão, te ter afectado. Espero que esteja tudo bem contigo, pois que com a nossa amiga Gaivota sei que está. E , agora vou até a casa da Luna.

Um abraço, amigo meu.

poetaeusou . . . disse...

*
Piedade Araújo Sol
,
é como escreves amiga,
um pouco da Nazaré sem Barcos
que a CEE, mandou abater . . .
e agora querem juros descomunais !
,
um mãe de estima, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
á pariga,
não via o mar assim
á mais de vinte anos !
fiz mais de cem vídeos
e fotos, arregacei as calças,
fui para junto da bola nívea,
fugia de uma onda surgia outra
no S. Miguel bateu uma vaga
fez ricochete de mais de quinze
metros, subi as escadas do
S. António não sei como . . .
o vídeo é da manhã de hoje,
logo á 16 horas continua . . .
,
Pilipares,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
Amiga
o Mar da Nazaré é especial,
um pouco vaidoso apenas,
e ontem ao ver uma plateia
de milhares e milhares de pessoas,
fez uma fantástica exibição, num
monólogo da sua autoria, só no
Palco, num auto de afirmação,
clamava a plenos pulmões, as
ondas, vejam eu não estou cansado,
não estou velho, sou o mesmo mar,
o mar que vos ama, porque sei
que me respeitam e apenas me
contemplam quando eu quero
espreguiçar-me !
,
já falei com a Gaivota,
e a Luna está bem, foi saudada
pelo mar, no momento em que
uma vaga lembrou-se de atravessar
a marginal e foi protestar, entrando num Bazar Chinês, desconheço se foi devido á visita do Dignitário Chinês, vou indagar quando o meu Mar estiver calmo !
srsrsr,
,
(Grato pelo teu carinho)
,
marés serenas, ficam,
,
*

FlorAlpina disse...

Olá Poeta que é,

As imagens...
O poema...
E o mar...
Chuva o tempero da vida...

Bjs dos Alpes

Paula Barros disse...

Gostei deste poema, principalmente desta parte:
"são regatos excitados
aguaceiros desvairados
salpicando o teu olhar
na procura dos ribeiros"

Achei forte e bonito, feito a imagem do mar nesta quarta.

abraço.

Daniel Costa disse...

Poeta

E que castelos, deuses maeus!
Abraço

Baila sem peso disse...

Voltei porque percebi
como o Mar se enervou por aí...
anda zangado naturalmente...
mas acredito que não fará mal a boa gente!!...
Espero que venha calmaria meu amigo
e que tudo continue bem contigo
e com todos que te acompanham
e com Ele sonham...

Vi os castelos no vídeo...
uma beleza que põe o Homem em sentido!!!
beijinhos de carinho e muito juizinho...nada de chegar perto!!!

Agulheta disse...

Amigo poeta!Como gosto do mar,o meu olhar se fixa nele de diversas formas,quando se acalma e quando fica feroz,o temo e respeito,pela sua grandeza em cada momento que deixa em mim.
Beijinho

Mariazita disse...

Muito obrigada pelos votos de melhoras. Vou melhorando lentamente, e do mesmo modo vou agradecendo as visitas recebidas :)
O lançamento do livro está à porta, e não seria nada bonito eu ir para lá com espirros espalhar perdigotos pelos ares :)))

Estas tuas fotos estão muito boas!
E o poema é lindo, um hino à água que do céu abençoa a terra.

Continuação de boa semana.
Beijinhos sem borrifos de vírus...

RETIRO do ÉDEN disse...

Querido amigo poeta,
Desta vez, foi sal e areia a mais! ficou muito salgado/areado, para muitos por aí.
Deus vos ajude e guarde.
Abraço forte
Mer e família

Fa menor disse...

Pois é. Estas nuvens carregadas
dão chuvadas abençoadas.

Bjos

poetaeusou . . . disse...

*
FlorAlpina
,
vejo os Alpes,
em cada vaga
que quebra sobre a praia,
e a espuma,
desenha imagens e poemas,
entre as brumas dos sonhos !
,
Conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Paula Barros
,
a força do mar,
enleva as palavras
e assim nascem os poemas !
,
marés de estima,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Daniel Costa
,
Meu amigo,
,
nuvens
águas condensados,
desenhando
a nossa imaginação !
,
um abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
o Mar trouxe-me
uma encantadora missiva,
já lida, mas a precisar de reler,
não vi o Mar irritado, gosta de
brincar no areal, e envia as suas
mãos as ondas, tentar molhar,
quem pela praia vagueia !
srsrsr,
,
um mar de estima,
fica,
,
*

Lilá(s) disse...

Gosto do sentir deste poeta! e o mar mesmo em fúria não deixa de trazer inspiração!
Beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
Agulheta
,
Ai as fases do Mar,
Mar sereno,
como a mansidão de um rio
Mar picado
como uma seara ao vento
Mar bravo
como um animal feroz !
,
mare nostrum, minha amiga,
marés de encanto, ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Mariazita
,
uns bagacinhos, fazem bem !
,
depois envio o meu endereço
para enviares um exemplar á cobrança !
,
brisas saudáveis,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
RETIRO do ÉDEN
,
foi um pouco agreste,
a fúria do mar,
porém o pânico nunca surgiu !
,
Mer
deixo-lhes os meus respeitos !
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fa menor
,
e a chuva continuou,
lá no Dragon,
vou pedir asilo politico,
ao mercado do bulhon !
srsrsr,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lilá(s)
,
Amiga,
o Mar é uma
fonte de inspiração
em todas as suas facetas !
,
maresias nocturnas,
,
*

MEU DOCE AMOR disse...

Qual a localização dos ribeiros?Como são?


Adorei a música...é como se...não eu não existisse, para começar a existir

Beijinho doce

Vieira Calado disse...

Somos feito de água, não é,

meu caro!

Um forte abraço

tossan® disse...

Amor e chuva são regatos excitados que nos provocam. Abraço amigo

Luis disse...

Meu Caríssimo Amigo,
O mar por aí esteve péssimo entrou pela marginal deixando lá muita areia e estragos nas lojas.
Quando está bravo faz destas desfeitas...
Um abraço amigo.

Cildemer disse...

O mar parece que está mesmo zangado!
Será a burrice do ser humano que o poz (pos/pôs?) assim?
O poema é uma delicia como sempre!
A chuva e as nuvens chegaram tambem aqui há uma semana e não querem ir embora. Tempo mais tristonho não há:-(
Ainda bem que se pode viajar e deixar a mente evadir através dos cantinhos dos amigos;o)

***
Beijinhos,
muitos,
muitos****

São disse...

Obrigada, meu amigo, pelas novas tuas e da Luna, felizmente boas!

O espectáculo do mar assim em fúria é maravilhoso, pena que - tal como os vulcões e o fogo -cause estragos.

Fico esperando as fotos e os vídeos que fizeste de certeza absoluta.

RRss talvez sim, tavez fosse em honra da delegação chinesa...

Um enorme abraço .

Amor feito Poesia disse...

A cor do amor é arco-íris após a tempestade.
Nada parece definir tanto e com tamanha beleza...
Ainda que no coração dos homens ele pareça cinza.

Pedro Miller

OBS: Tem selinho...pegue-o aqui!!
Beijos...........M@ria

poetaeusou . . . disse...

*
MEU DOCE AMOR
,
ribeiros ?
são sulcos por onde o amor
em noites de lua cheia
faz tatuagens na veia
com medo dos lobisomens !
eh eh eh eh
(olha saíu )
,
marés de estima,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Vieira Calado
,
a água que se faz cinza ou pó,
condensando um fim de ciclo !
,
abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
tossan®
,
e da excitação,
nasce o apego . . .
,
Abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Luis
,
meu caro,
como tem afirmado
mais que uma vez,
um experimentado politico,
não esses aprendizes de
feiticeiros que por aí pululam,
Portugal virou as costas ao Mar,
e o Mar de quando vez, tem
necessidade de afirmação,
foi o que aconteceu, amigo !
,
aquele abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Cildemer
,
não amiga,
,
o mar invadiu a Praia
abraçou a areia
ao beijá-la
quis dançar com ela,
e de cravo ao peito,
foi bailar o vira . . .
,
amiga
um mar de estima
deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
Amiga
são enormes as benquerenças do
mar, é belo e de aquietados modos,
ainda não trocámos impressões,
porém penso, que a sua ira é
legitima e eu no seu lugar, ver
exposto num bazar chinês, quadros
do Mar da Nazaré, feitos na China e
na Tailândia, custa um pouco . . .
eh eh eh, (abraço os amigos Chinas,
são pessoas correctíssimas)
,
marés Portuguesas, ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Amor feito Poesia
,
M@ria
,
o amor é incolor,
no supor,
do coração !
,
um mar de jinos,
deixo
,
*