maio 03, 2010

----------------- e como a palavra turbulência está na moda





a evidencia
da turbulência
tem anuência
da conveniência,
na polivalência
das excelências
as sapiências
cosem vivencias,
onde a aquiescência
canta as indecências
em total obediência
ás pardas eminências
poema e fotos:poetaeusou

48 comentários:

Delirius disse...

Este teu poema, parecendo complicado, é extraordinário!
Parabéns!
Beijo meu!

Ana Isabel disse...

Extraordinário!!!

E tanto que nos diz!!!!!..


Um abraço


Ana Isabel

helia disse...

Um Poema muito bem conseguido!Gostei muito.

RETIRO do ÉDEN disse...

Eminências...que deveriam ser os primeiros a serem humildes e não o são...

Adoro TAIZÉ espaço, filosofia, partilha sã.

Forte abraço
Mer

"Cantinho Poético" disse...

Brindo! E em cada verso, na escuma,
alimento-me no teor do teu texto.
Decoro as tuas lições, e, no espelho
não perco um só ponto ou coisa alguma.

Machado de Carlos

Bom início de semana.......Beijos & Flores!

GarçaReal disse...

Se rosa sou...Rosa te deixo, não na turbulência mas na anuência de uma vivência

Tu poeta de excelência, ofereces poemas na beleza da evidência.

Bom ler-te.....Fazes a diferença ( para não dizer diferência)

Bjgrande lá do lago

Lena disse...

em ência,
la encontrei a decadência,

estou de acordo com essa "ência" toda Poeta

vivemos numa maleficência completa..

um beijo fresquinho...
esta de novo invernal....brrrr..nunca mais saimos disto

Baila sem peso disse...

está bem uma excelência
cantado com sapiência
na sua evidência!

Parabéns nessa turbulência!

E fica meu beijo, com paciência
que vejo dar, a tanta eminência!
(as imagens estão perfeição!)

(está uma aragem fria
que torna a noite mais bravia
o meu Maio está de mal comigo
tenho de o pôr de castigo! ;) )

segredo disse...

A turbulencia faz cada vez mais parte da nossa vida querido poeta;)
Beijinho de lua*.*

gaivota disse...

tá na modaaaaaaa
ó, pois tá!
altamente!
lindas palavras, zé...
á "encia", e deixa-te de modas, tá???
pilipares

Duarte disse...

Um tapete de espuma branca, que mais parece o trabalho mais complexo da artesã superdotada em rendas... dos que já vi: que maravilha! Só a natureza nos pode proporcionar algo tão maravilhoso.
Excelente fotografia amigo Zé. A ...ência à máxima potência.

Abraços de vida

Insana disse...

Onde a onde a
um amor assim..

Bjs
Insana

São disse...

...e haja paciência!

Interessante jogo de palavras, o teu.

Um grande abraço, Nazareno.

rouxinol de Bernardim disse...

As eminências são umas indecências... às vezes, claro...

Nem todas as maçãs são podres...

a.mar disse...

turbulência
a cadência do turbo...

um abraço

MEU DOCE AMOR disse...

Por isso...acho que não queria ser o Vespúcio...

Preferia refugiar-me nas ilhas das Caraíbas e de vez em quando...

Beijinh doce e belas palavras:)

Filó disse...

Poema turbulento, e muito bem escrito...com fotos Lindas.

Poeta, um beijinho amigo

tossan® disse...

Tua rima é essência, eu sinto tua poesia e por ela tu fotografas como amante devotado, utópico, qual poeta encantado...Abraço amigo

Ana disse...

Jogo de palavras bem urdido ! Parabéns, Poeta !
Um beijo.

Fernanda disse...

Querido Poeta,

Amigo das conchinhas que eu adoro!

Desculpa a minha ausência, ando sempre nesta roda viva que é a vida.
Tanta coisa interessante para fazer.

Lindo o teu poema, belo como sempre e as fotos.... sem palavras.
Parabéns amigo.
Beijinhos.

© Piedade Araújo Sol disse...

Uauuuuuuu

gostei!

as fotos estão belissimas!

beij

Barbara disse...

Fui, voltei, fui de novo, movi, respirei e estou cá de todos os jeitos, a te ler...em turbulências.
1 abraço , "poeta és"...

Cildemer disse...

Na sequência
de estes tempos
de demência,
vamos direito
à falência;-)

***
Beijinhos e uma efervescência
de estrelinhas cheias de fluorescência,
deixo*******

poetaeusou . . . disse...

*
Delirius
,
a turbulência está in !
hoje nos jornais e TVs,
está aos “montes”, srsrsr.
,
conchinhas serenas, ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana Isabel
,
srsrsr,
não me digas !
,
marés calmas, desejo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
helia
,
gratificado, fiquei,
,
Brisas serenas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
RETIRO do ÉDEN
,
em Portugal,
a humildade é
sinónimo de atraso,
pobre País !
,
um mar de respeito, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
"Cantinho Poético"
,
o teu livro é tua alma que perfuma
em cada letra, beijo-te de joelhos
longe, beijo teus olhos vermelhos
a cantar a tua poesia entra brumas.
,
conchinhas floridas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
GarçaReal
,
turbulenta, a rosa
nas suas cores
no seu perfume
na sua beleza .
,
canteiros floridos
serenando o lago,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Lena
,
hoje
foi um dia de beneficência,
muito sol, mar bom,
centenas de pessoas na Praia,
junto ao canto,
,
brisas coloridas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Baila sem peso
,
calor de dia
noite fria
iodo da maresia
um cantar de nostalgia
nas ondas da melancolia
quero jantar, todavia
tenho a bolsa vazia
vou mudar de freguesia
Pai nosso e Avé Maria.
,
conchinhas,
sem utopia,
*

poetaeusou . . . disse...

*
segredo
,
olha,
vamos turbando,
que remédio … srsrsr
,
maresias nocturnas,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
linda,
,
já fiz o post para domingo,
SLB, SLB, SLB, srsrsr.
,
pilipares,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Insana
,
o amor
é um mar de entrega,
partilhando as vagas !
,
marés de ternura,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
rouxinol de Bernardim
,
é
saliências pardacentas,
,
Um abraço,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
a.mar
,
irrequietude,
cadenciada . . .
,
Saudações,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Filó
,
Amiga
turbulências,
são abalos secretos,
srsrsr,
,
um areal de conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
to*ssan®
,
amigo
não mereço
o teu sentir,
,
aquele abraço, fica,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
AFRICA EM POESIA
,
Obrigado ?
não, faço porque quero,
srsrsrsr,
,
Grato fico, amiga,
,
marés de luz, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
amiga,
apenas palavras,
obrigado,
,
vagas de amizade, deixo,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Fernanda
,

também tenho andado
fugidio, deve ser do pólen . . .
srsrsr,
,
um mar de estima.
*

poetaeusou . . . disse...

*
© Piedade Araújo Sol
,
Gostaste ?
obrigado
amanha faço melhor,
,
conchinhas floridas,
deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Barbara
,
fui, não quero mais sofrer assim
fui, você fez muito mal pra mim
fui, é bom pra você aprender
se fizer assim como fez pra mim
novamente vai ouvir:
,
canção brasileira
do meu imaginário,
,
luzentes maresias, deixo,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Cildemer
,
a ciência
das valências
está na persistência
das maleficências .
,
deixo-te
a essência
da fervência
ou Valado de Frades,
tanto faz, srsrsrsr,
,
*

gaivota disse...

lindooooooooooooo
espero mesmo que seja assim!
mesmo a sério, do coração!
6 anos depois, uma "homenagem" a quem eu sei!
força benfica!!!
pilipares

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
á miga
sabes tudiii !
,
pilipares,
,
*

SAM disse...

A inteligência do poeta destaca conseqüências e proeminências que incidem na indecência das excelências e eminências...

Carinhoso beijo, amigo. Um belo poema.

poetaeusou . . . disse...

*
SAM
,
nas evidencias
de notadas saliências
em forma de ruborescências
rumam as incidências
das narradas ocorrências !!!
.
envio um jino,
nas ondas das efervescências
,
*