junho 06, 2008

>>>>>>>>>>>>>> " destempo " <<<<<<<<<

>>>> de hoje <<<<
caminho
ao lado do teu lado
cantando o teu encanto,
o tempo do teu tempo
penetrou em mim,
e por ti,
o relógio parou
a destempo . . . no tempo

poema e fotos: poetaeusou

36 comentários:

gaivota disse...

é com destempo, ou sem tempo,
relógios isentos de ponteiros que se caminha nesses trilhos, meu amigo!ficam-se com os encantos naturais das presenças...
conchinhas das pedras

Ana disse...

Que sempre seja tempo de caminharem lado a lado. Desse caminhar nascem as palavras belas que escreves.
Um beijo, Poeta.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido Amigo Poeta, hoje passo só para te deixar beijinhos, estou com muito soninho... Até logo!
Fernandinha

mdsol disse...

gosto da ideia do tempo parar a destempo no tempo!
:))

Multiolhares disse...

E assim
Os ponteiros do relógio
Emudeceram, para escutarmos
Lado a lado o cântico do mar.

Beijos nossos

Juani lopes disse...

realmente te envidio cuando veo tus fotografias
saluditos

poetaeusou . . . disse...

*
gaivota
,
e ontem o mar
maresiava iodo,
naquelas pedras,
sempre diferentes,
sempre iguais . . .
,
pililipares para ti,
,
,

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
,
que privilégio,
caminhar lado a lado,
com estas belezas naturais,
mar, sol, areal, céu, campo,
floras diversas, cheiros, odores,
o voar das andorinhas,
o marejar do mar . . .
,
conchinhas solarengas, hoje,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
FERNANDA & POEMAS
,
fernandinha,
,
jinos, de iodo,
te emvio,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
mdsol
,
atempadamente
o tempo presente,
pressente o futuro,
,
temporais conchinhas, dou-te,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Multiolhares
,
luna
,
um marmejar.
no tic-tac,
de silenciosas vagas,
marés-cheias de tempo . . .
,
beijos nossos
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Juani lopes
,
fotografias,
beijos dos olhares,
,
conchinhas
,
*

Paula Raposo disse...

O destempo no tempo. Bom fim de semana, beijos.

poetaeusou . . . disse...

*
Paula Raposo
,
temporizador . . .
.
conchinhas
,
*

Serenidade disse...

E que o tempo nunca se esgote para que se irradie Amor todos os seguntos do actos e do coração do Homem para todos os seres que habitam este planeta maravilhoso.

Serenos sorrisos

poetaeusou . . . disse...

*
Serenidade
,
vamos semear,
carinho e ternura,
brandura e tolerancia,
respeito e sabedoria,
liberdade e paz e paz e, e paz,
e,
em nosso redor,
colheremos AMOR,
,
serenas conchinhas,
,
*

Teresa Durães disse...

quando o relógio para em momentos belos

poetaeusou . . . disse...

*
Teresa Durães
,
há momentos belos,
que fazem parar o tempo . . .
,
conchinhas
,
*

Duarte disse...

O mar... sempre o mar.
No seu vai-vem constante.
Das tempestades infernais:
Ás calmarias jacentes...
Como um relogio de sol.
Se não sai, pára o tempo.

Convém, às vezes...

Que tenhas um bom dia

Pitanga Doce disse...

Eu já quis parar o tempo. Agora só queria que voltasse um pouuuquinho atrás. Um ano, pode ser??

abraços intemporais

poetaeusou . . . disse...

*
Duarte
,
atempadas
marés cheias,
sereias,
cantando o encanto,
do carinho,
da amizade, do amor,
,
saudações
,
*

Suave Toque disse...

Tempo...Tempo que não passa

"Viver é sentir que nem tudo está perdido.
É olhar dentro de si e descobrir algo que se chama coragem.
Coragem para fazer de um simples detalhe uma imensa razão de viver."

Passando para desejar um feliz final de semana

Beijos

Suave Toque

Farinho disse...

As fotos estão lindissimas.

Adorei o poema, o amor faz-nos parar no tempo.

beijocas

São disse...

Vinda do deserto, da beleza austera e sóbria do deserto, delicio-me com as tuas fotos sempre tão marítimas1
Feliz fim de semana, Nazareno!

poetaeusou . . . disse...

*
Pitanga Doce
,
regride, amiga,
á cidade e ás serras,
aos serões na província,
aos cheiros das beiras,
á tradição coimbrã,
do teu pimpolho,
como eu sei o que viveste,
a alegria que sentiste,
igual á minha decerto,
aquela que vivi com o meu,
embora ele pertença,
aquela casta que eu abomino,
não posso com economistas, com a
excepção de um,meu filho, óbvio ...
,
conchinhas de amizade, amiga,
,
*

Sol da meia noite disse...

Aqui está o que se espera da vida... Ter quem connosco caminhe pelos corredores da eternidade...

Amigo, beijinho deixo *

poetaeusou . . . disse...

*
Suave Toque
,
e que passando,
já não volta . . .
,
jinos em conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Farinho
,
amor
é instantar os sentidos,
,
conchinhas,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
São
,
deserto ?
,
ai,
que não acertei,
o local da mesquita,
que alá, não me amaldiçoe,
oxalá . . .
,
conchinhas
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
Sol da meia noite
,
para todo o sempre,
assim seja,
,
jinos em conchinhas, para ti,
,
*

Rosi Gouvea disse...

Procuro dizer o que sinto
Sem pensar em que o sinto.
Procuro encostar as palavras à idéia
E não precisar dum corredor
Do pensamento para as palavras...

...Alberto Caeiro...

Fico muito feliz com sua visita!
Espero ver-te sempre por lá...
Sempre me encontrarás por aqui!

Doces beijos

Emanuel Azevedo disse...

Lindas fotos e lindos poemas. Trabalho de um verdadeiro artista. Parabéns e recebe um forte abraço dos Açores.

poetaeusou . . . disse...

*
Emanuel Azevedo
,
grato pela visita,
,
abraço nas asas de um açor,
,
*

Um Momento disse...

E quando o tempo cantado em encantos penetra no coração , pára o relógio encantado com o sopro que emana suave de emoção:)

Um beijo em tempo presente:)))))

(*)

poetaeusou . . . disse...

*
Rosi Gouvea
,
é na maresia,
buscando o cheiro,
nas palavras de caeiro,
que no mar ressoa,
espiritualizando pessoa,
ondulando fantasia,
,
conchinhas transatlânticas,
,

poetaeusou . . . disse...

*
Um Momento
,
canta coração, canta,
emana suave encanto
instanta-me o teu manto
num momento atempado,
pára relógio encantado,
dá-me a emoção que encanta,
,
conchinhas atempadas,
,
*